Twitter - verificado

O Twitter deve passar por mais uma mudança, mas esta vai ser bastante desafiadora: Jack Dorsey, CEO da rede social, fez uma transmissão via Periscope na quinta-feira (8) e, nela, prometeu estender a verificação de contas — o desejado selo azul ao lado do nome de usuário — a todos os usuários da plataforma.

Esse recurso existe há algum tempo e foi criado para coibir problemas com perfis falsos ou que fazem paródias. O selo de verificação atesta que aquela conta pertence mesmo a determinado indivíduo ou organização, razão pela qual é muito requisitado por celebridades, jornalistas, políticos, empresas, ONGs, entre outros.

Mas há um problema que o próprio Dorsey reconhece: muitos usuários interpretam o selo de verificação como símbolo de status — afinal, personalidades famosas o utilizam — e, principalmente, como emblema de credibilidade, como se o símbolo validasse o conteúdo daquela pessoa ou entidade.

Explicando de outra forma, muitos usuários aceitam com mais facilidade os argumentos de determinado perfil porque, no entendimento deles, o selo azul indica que aquela pessoa é especial por alguma razão, do contrário, não teria recebido a verificação.

Isso é perigoso. Essa falsa percepção de que o selo valida os argumentos de determinado indivíduo ou organização pode ser usada para manipulação política, por exemplo. Recentemente, um golpe envolvendo criptomoedas foi disseminado no Twitter com relativo sucesso, tudo porque uma das contas usadas no esquema obteve, de alguma forma, um selo de verificação.

Ao abrir a verificação de perfil para todos os usuários, talvez o Twitter consiga acabar com a “glamourização” do selo azul e, o mais importante, se desvencilhar da imagem de “validadora” de declarações ou discussões dentro da rede social.

Twitter

Só não está claro como isso será feito. Atualmente, o processo de verificação está suspenso por conta principalmente dos problemas envolvendo golpes, mas, via de regra, exige o preenchimento de um formulário e o envio de informações que validem a identidade.

Não dá para seguir com esse processo se a verificação for aberta a todos os usuários. Qual vai ser o procedimento, então? O Twitter ainda não revelou, mas Dorsey falou em um mecanismo escalável com o qual as “pessoas podem verificar mais fatos sobre si mesmas”.

Tampouco está claro quando a verificação generalizada começará a funcionar, mas, dada a complexidade do assunto, deve demorar um pouco. De todo modo, Dorsey comentou que o plano é liberar o recurso até as eleições de 2020 nos Estados Unidos.

Com informações: The Verge.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados