Início » Jogos » Steam Play traz mais jogos do Windows para o Linux

Steam Play traz mais jogos do Windows para o Linux

Nova plataforma para gamer no Linux utilizará a Vulkan como base para portar os games

André Fogaça Por

O Linux não é a melhor plataforma para quem curte games, mas a Valve pode estar no caminho para mudar parte este cenário. Hoje (22), a empresa anunciou que uma nova versão do Steam Play será responsável por trazer games exclusivos do Windows para os sistemas operacionais que utilizam o Linux.

A novidade utiliza uma versão modificada da camada de compatibilidade WINE, que faz uso de APIs feitas para Windows em versões de sistemas operacionais que utilizam Linux, como é o caso do Ubuntu. Com a mudança, o Steam Play utilizará a API Vulkan para rodar implementações do DirectX 11 e 12, o que melhora o rendimento dos games e aumenta a capacidade de uso do hardware disponível em cada PC.

Steam

 

Além disso, a empresa garante que há melhorias na forma como os jogos utilizam o recurso de tela cheia e maior suporte para controles, que agora são reconhecidos automaticamente para modelos compatíveis com o programa. A primeira leva de games que podem rodar com o novo Steam Play no Linux contém estes títulos:

  • Beat Saber
  • Bejeweled 2 Deluxe
  • Doki Doki Literature Club!
  • DOOM
  • DOOM II: Hell on Earth
  • DOOM VFR
  • Fallout Shelter
  • FATE
  • FINAL FANTASY VI
  • Geometry Dash
  • Google Earth VR
  • Into The Breach
  • Magic: The Gathering – Duels of the Planeswalkers 2012
  • Magic: The Gathering – Duels of the Planeswalkers 2013
  • Mount & Blade
  • Mount & Blade: With Fire & Sword
  • NieR: Automata
  • PAYDAY: The Heist
  • QUAKE
  • S.T.A.L.K.E.R.: Shadow of Chernobyl
  • Star Wars: Battlefront 2
  • Tekken 7
  • The Last Remnant
  • Tropico 4
  • Ultimate Doom
  • Warhammer® 40,000: Dawn of War – Dark Crusade
  • Warhammer® 40,000: Dawn of War – Soulstorm

O melhor de tudo é que, com as APIs, jogos exclusivos de Windows precisam ser apenas marcados para que também fiquem compatíveis com Linux e o Steam faz o resto do trabalho.

O Steam Play foi lançado em 2010, permitindo que usuários de Linux, Mac e Windows acessem compras feitas em qualquer plataforma, com 3 mil títulos já disponíveis para quem tem o Linux instalado no computador.

Com informações: Valve.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Felipe Facundes

Achei um grupo de Gamers Linuxers. O conceito é bem interessante. Pois, funde o conceito Linux e Jogos. E ajuda a galera a rodar jogos do Windows no Linux. Grupo em português para Jogos que rodam no Linux, livres ou proprietários. https://t.me/winehq_linux

Roger "The Flood" Inacio

E a Vulkan e a antiga Mantle?

Roger "The Flood" Inacio

Não consegui rodar os que exigem o client Uplay como o child of light.

Romulo Pulcinelli Benedetti

Não é para quem quer ser alternativo, é para quem quer paz, O windows não é confiável em muitos aspectos, updates podem ferrar feio com tudo e a restauração temperamental do Windows, se recuperar seu sistema vivo vai ser depois de horas moendo dados. O linux tem restaurações que podem ser criadas e recuperadas instantaneamente e elas absolutamente sempre funcionam, e isso é apenas uma das muitas coisas cruciais que o Windows é incapaz de fornecer, tem muitos anos que eu não sei o que é ter contratempo por causa do computador.

Trovalds

Preconceito contra Linux NO DESKTOP. Pule o prefácio e vá direto à primeira parte se quiser ler o que interessa.

http://itvision.altervista....

Sandor Clegane

Doki Doki é bem Peculiar kk....joga que é bom !

Vitor Hugo

Faça sua dissertação sobre o mundo dos games, Trovalds, fiquei interessado.

OpenGL não é apenas multiplataforma, também é multipropósito. Você construiu sua frase para dar a entender que OpenGL não é pra desenvolver games, o que é mentira. Ele não é APENAS para isso, mas também é para isso sim.

Além disso, não existe só OpenGL no lado open source das APIs gráficas, esqueceu? Vulkan tá aí e tá rodando melhor que DX12 rs.

O mais engraçado é que a Vulkan também mata seu argumento de antes sobre a falta de interesse da AMD, já que ela foi construída baseada na Mantle, que a AMD desenvolveu e depois doou para o Grupo Khronos (pra terem um ponto de início e tornarem o resultado disso o novo padrão aberto do mercado de games).

Vitor Hugo

?

há anos que jogo Dota 2 nas duas plataformas, tudo lindo por aqui.

Fernando Jorge Mota

Argumenta aí, então. Sabichão.

Tudo o que eu vi até agora foi você apresentando inverdades e achismos baseados no seu preconceito contra Linux.

Nenhum link, nenhuma fonte, nenhum argumento minimamente decente.

Se tu é tão sábio assim, compartilha aí algo de qualidade em vez de ficar falando achismo e preconceito na internet, cara. Ainda mais se for pra ficar mandando essas frases focando na minha pessoa em vez de contra-argumentar decentemente o que eu falei. =)

Trovalds

"Sabe de nada, inocente..."

Fernando Jorge Mota

E?

Todo o seu "argumento" até aqui envolve somente NVIDIA e AMD, que até onde eu sei projetam GPUs, que trabalham (entre outras coisas, obviamente) com APIs para renderização, como Direct3D, OpenGL e Vulkan.

E outra: Mesmo usando quaisquer uma dessas tecnologias não te impede de criar um jogo de alta performance. Ou tá desistindo de falar que NVIDIA e AMD não apoiam o Linux e querendo mudar para APIs de áudio e afins também? Visando argumentar que só porque o DirectX é um "pacote mais completo" ele é melhor? Inclusive, já ouviu falar sobre engines de jogos? Elas são excelentes para integrar tudo (renderização, áudio, etc.) em um pacote bem legal para criar...jogos..E até onde eu sei as principais disponíveis por aí suportam nativamente Linux.

Não to te entendendo, Trovalds, honestamente.

Trovalds

Ia escrever uma dissertação aqui a respeito de coisas sobre o mundo dos games mas deixa pra lá. Vou só deixar o seguinte: DirectX é API pra desenvolver games, OpenGL não. E a primeira é exclusividade da MS.

Fernando Jorge Mota

Já tá testado: https://www.phoronix.com/sc... (vai vendo as páginas seguintes para ver os benchmarks)

Ainda não entendi seu ponto, cara. É óbvio que o Linux não ganha todas, mas tá BEM parelho ao meu ver. Basta o port ter qualidade. Logo seu argumento não faz sentido.

Genilson da Silva

Nada a ver. Ferrari usa a mesma gasolina que vai no Corsa. No caso do Linux é energia elétrica que é a mesma para qualquer sistema. Além do mais, não culpe o sistema pelo erro dos publishers. Afinal, quem faz tudo no Linux são usuários dele, não simplesmente usuários passivos de um sistema.

Guilherme Andrade

Linux é igual uma Ferrari sem gasolina. Enquanto o Corsa vai onde quer, eu prefiro não ficar parado esperando a boa vontade das publishers.

Exibir mais comentários