Início » Negócios » Ações da Tesla caem após Elon Musk fumar maconha em entrevista

Ações da Tesla caem após Elon Musk fumar maconha em entrevista

A participação de Elon Musk em um podcast repercutiu negativamente na bolsa de valores

Por
07/09/2018 às 17h05
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Elon Musk sabe que seus passos são acompanhados por acionistas da Tesla, que reagem a quase todas as suas declarações. Porém, isso não o impede de ter atitudes no mínimo inusitadas, que influenciam a bolsa de valores. Nesta sexta-feira (7), a Tesla registrou uma queda de 8% no valor de suas ações.

O motivo? Elon Musk fumou um cigarro de maconha durante uma entrevista realizada na quinta-feira (6). A situação ocorreu durante o podcast “The Joe Rogan Experience”, transmitido ao vivo pelo YouTube.

Foto por Dan Taylor/Heisenberg Media/Flickr

Já no final do programa, com cerca de 2 horas e 9 minutos, o apresentador Joe Regan pergunta se Musk já fumou maconha. “Acho que já provei uma ou duas vezes”, disse o executivo antes de fumar um cigarro de tabaco e maconha.

Logo depois, o executivo brincou e disse que seus amigos estavam perguntando por que ele estava fumando maconha em plena entrevista. Ele disse não ter sentido nenhum efeito do cigarro.

Esta não é a primeira notícia que liga Musk ao uso de maconha. No início de agosto, o CEO da Tesla anunciou os planos de fechar o capital da empresa. A ideia, segundo ele, era pagar US$ 420 para cada acionista que não estivesse interessado na mudança.

Algumas pessoas afirmaram que o valor seria uma referência à maconha e que Musk havia fumado. Ao New York Times, ele rejeitou os comentários. “Eu não estava usando maconha, para deixar claro”, disse ele. “Maconha não ajuda na produtividade”.

Demissões na Tesla

Para piorar a situação, dois executivos deixaram a empresa esta semana: o diretor de contabilidade, Dave Morton, e a diretora de recursos humanos, Gabrielle Toledano. Ela estava de licença e confirmou à Bloomberg que não voltaria à empresa.

A situação de Morton, porém, parece ser mais complicada. Ele estava há somente um mês na empresa e disse que tomou a decisão porque o “nível de atenção pública, bem como o ritmo dentro da empresa, estão acima das minhas expectativas”.

Morton começou a trabalhar na Tesla um dia antes de Musk anunciar os planos de fechar o capital da empresa. A CBNC diz que a insatisfação começou com duas semanas na empresa. Após o plano de sair da bolsa ser anunciado, Morton tentou mostrar as dificuldades que a decisão causaria, mas sentiu que não estava sendo “ouvido e entendido”.

A saída de Toledano e Morton se juntam a outras baixas recentes na Tesla. No início do ano, a empresa perdeu outro diretor de contabilidade e sua tesoureira. Em 2017, o diretor financeiro se demitiu após 15 meses na empresa.

Com informações: The Guardian, G1.

Mais sobre: ,