Início » Brasil » Empresas de ônibus em 15 cidades pedem fim do Uber Juntos por transporte irregular

Empresas de ônibus em 15 cidades pedem fim do Uber Juntos por transporte irregular

Concessionárias de ônibus abriram queixa em 15 cidades pedindo que Uber Juntos seja proibido por concorrência predatória

Felipe Ventura Por
43 semanas atrás

As empresas de ônibus continuam em pé de guerra com o Uber Juntos (antes Uber Pool). Elas apresentaram queixa ao poder público em 15 cidades pedindo que o serviço seja proibido, acusando-o de fazer concorrência predatória. Enquanto isso, as concessionárias de São Paulo dizem que a tarifa pode aumentar mais no ano que vem se sofrerem prejuízo com a menor demanda.

Foto por Dylan Passmore/Flickr

Segundo o G1, as empresas de ônibus dizem que o Uber Juntos faz concorrência direta e predatória sem estar sujeito às regras do transporte coletivo, como preços fixados e gratuidade para idosos. Foram apresentadas queixas em São Paulo, Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS), Fortaleza (CE), Aracaju (SE), Maceió (AL) e em nove cidades da região metropolitana do Rio de Janeiro.

Vale notar que o Uber Juntos funciona atualmente em apenas 6 cidades: Fortaleza, Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo.

Em São Paulo, as concessionárias de ônibus intermunicipais querem que o Uber Juntos seja proibido ou, então, que siga as mesmas regras do transporte coletivo — sendo obrigado a rodar em regiões de pouco movimento e oferecer viagens gratuitas para idosos e estudantes.

Além disso, se o Uber Juntos causar prejuízo às empresas de ônibus, isso pode resultar em preços mais caros no ano que vem. "Vai implicar em uma tarifa maior no próximo reajuste tarifário", segundo Ivan Lima, advogado do Setpesp (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado de São Paulo).

"O Uber Juntos faz a mesma coisa [que o ônibus], que é chegar a alguns destinos a partir de pontos em que ele passa, sem ter que arcar com os ônus da regulação. Quando [o carro] pega quatro, cinco pessoas, muitas vezes o valor se aproxima do do transporte público. Isso tira passageiros e interfere em todo o cálculo complexo da tarifa", diz Lima ao G1.

Passageiros trocam ônibus por Uber e 99

Segundo a NTU (Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos), a demanda por ônibus deve cair entre 5% e 7% este ano, com os usuários de transporte coletivo migrando para transporte via aplicativo — como Uber, 99 e Cabify.

Otávio Cunha, presidente-executivo da NTU, diz ao G1 que a situação pode piorar caso esses aplicativos migrem de carros para vans. Para ele, o Uber Juntos "é o táxi lotação travestido de nova tecnologia". A 99 opera um serviço semelhante em Belo Horizonte, chamado 99Compartilha (antes 99 Pool+).

Vale lembrar que a Uber começou a operar um serviço de micro-ônibus no Egito: o Uber Bus oferece viagens para 15 a 20 pessoas e usa a mesma tecnologia do Juntos para combinar passageiros a veículos, levando cada um até seu destino. O preço não é fixo mas é "acessível", segundo a empresa.

A Uber diz em comunicado que o Juntos não é transporte coletivo, e sim "um sistema que combina viagens individuais com trajetos convergentes para compartilhar o mesmo veículo". O serviço "complementa o transporte público, ampliando o acesso dos usuários à rede pública principalmente na região central".

Por sua vez, o 99 "entende que não há impedimento para o exercício da atividade e, por isso, segue acompanhando regulamentação do transporte por aplicativos e mantém diálogo constante com poder público".

Com informações: G1.