Início » Celular » WhatsApp testa busca reversa de imagem no Google para combater fake news

WhatsApp testa busca reversa de imagem no Google para combater fake news

Recurso "Buscar imagem" aparece no WhatsApp Beta para Android; resultados do Google são abertos no navegador web

Felipe Ventura Por

O WhatsApp está desenvolvendo um recurso que permite fazer uma busca reversa no Google de imagens recebidas pelo aplicativo. É uma ideia interessante para combater notícias falsas: o usuário poderia conferir se uma foto é montagem, ou se realmente corresponde à descrição dada em uma mensagem.

O WABetaInfo explica que o recurso funciona assim: você seleciona uma imagem, toca no botão de menu e depois em “Buscar imagem”. O app avisa que o arquivo será enviado para o Google e pede que você confirme sua escolha. Feito isso, o navegador web padrão será aberto com os resultados.

Esta função foi encontrada no WhatsApp Beta para Android, versão 2.19.73, mas ainda não está disponível para os usuários — ela requer alguns passos mais avançados para ser ativada, que o WABetaInfo não revelou.

WhatsApp combate informações falsas em imagens

As imagens são um calcanhar de Aquiles no combate às notícias falsas. Se você recebe uma mensagem de texto dizendo que Jélysson é o diretor do WhatsApp Messenger, por exemplo, fica relativamente fácil saber se é verdade: basta copiá-la e colar no Google. Um dos resultados mostrará que isso não procede.

É mais difícil fazer isso com imagens do WhatsApp no celular. Você precisa abrir o Google Imagens, mudar para a versão desktop, tocar no botão de câmera, depois em “Enviar uma imagem” e “Escolher arquivo”, e enfim selecionar a foto. Quase ninguém faz isso.

Com a novidade do WhatsApp, basta selecionar a imagem, tocar em “Buscar imagem” e confirmar. A busca reversa pode ajudar: o Google pode revelar se uma foto é montagem, ou se não bate com sua descrição.

O WhatsApp toma outras medidas para evitar a disseminação de fake news. Mensagens repassadas por seus contatos recebem o aviso “Encaminhada”; é possível encaminhar mensagens para até 5 contatos ou grupos por vez; e vídeos educativos pedem que o usuário “compartilhe fatos, não boatos”.

Com informações: Engadget.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Rick Silròd

Segundo o dicionário Aurélio (uma referência em língua portuguesa) uma pessoa instruída é [aquela que recebeu

Rick Silròd

Não falei sobre polarização, me refiro que, a todo o tipo de informação que são repassadas indiscriminadamente, sem checar. Quando eu tinha Whatsapp, pessoas de todas as idades repassavam notícias, grotescamente falsas, quer seja em grupos ou no privado.

Quando disse "maioria", não representava a totalidade das pessoas pouco instruídas, pois, neste grupo há pessoas de critério e perspicácia. Pessoas pouco instruídas não significa ausentes de interligência, mas que podem ter ausente um critério rigoroso para classificar a informação como fidedigna ou não por meio de verificação simples.

Quanto ao site citado, as fake news ali tem vistas para as que têm teor político, e notícias falsas não se limitam a isto. Nem todo site é fiável e bom para embasar e esclarecer assuntos, e temo não poder recomendar aquele citado.

Exercite interpretação de textos, oportunamente é minha melhor recomendação à ti. Boa saúde á ti e aos teus!

Ronaldo Cesar

Que bom

João

Ué mas não era pra ser o telegram com 750830843 mil recursos que ninguém usa?

Valdinei Ferreira

Se preocupe não que já já lançam um WhatsApp Lite também. kkkkk (que vai começar com uns 25MB e depois chega aos 100MB, tipo o Fb Lite)

Eduardo Braga

Daqui a pouco tá outro Messenger da vida

Marcos Monteiro

Mas olha só como o Facebook e Google são bonzinhos <3 <3
Isso vai ajudar muito, pode confiar rs

Paul

Podem criar mil ferramentas, mas isso nunca poderá ser contido.Quem acredita e espalha tá nem aí. E as pessoas que criam tais fake news já têm em mente o público propício para espalhar. Querem exemplo melhor que

Uriel Dos Santos Souza

Quem compartilha fake news não ta nem ai pra verdade!
O importante é atacar quem elas não gostam! Sendo verdade ou não!

Diogo

Ainda assim, o "peso" do WhatsApp tá mais relacionado com o acúmulo do histórico e mídias de conversas do que com o app propriamente dito.

Daqui a pouco o whatsapp terá 2 gigas com tanto recurso que estão adicionando. Nao que essa aqui especifica seja ruim, (estou olhando pra vc, stories).

Rick Silròd

A verdade é que a maioria das pessoas das que repassam fakenews são pessoas pouco instruídas, das que são facilmente levadas por todo tipo de notícia, não saberiam usar este tipo de ferramenta. Tecnologia não é para incaltos.

Jairo ☠️

O que seria de nós sem o Google -)