Início » Celular » WhatsApp testa busca reversa de imagem no Google para combater fake news

WhatsApp testa busca reversa de imagem no Google para combater fake news

Recurso "Buscar imagem" aparece no WhatsApp Beta para Android; resultados do Google são abertos no navegador web

Por
13/03/2019 às 11h12

O WhatsApp está desenvolvendo um recurso que permite fazer uma busca reversa no Google de imagens recebidas pelo aplicativo. É uma ideia interessante para combater notícias falsas: o usuário poderia conferir se uma foto é montagem, ou se realmente corresponde à descrição dada em uma mensagem.

O WABetaInfo explica que o recurso funciona assim: você seleciona uma imagem, toca no botão de menu e depois em “Buscar imagem”. O app avisa que o arquivo será enviado para o Google e pede que você confirme sua escolha. Feito isso, o navegador web padrão será aberto com os resultados.

Esta função foi encontrada no WhatsApp Beta para Android, versão 2.19.73, mas ainda não está disponível para os usuários — ela requer alguns passos mais avançados para ser ativada, que o WABetaInfo não revelou.

WhatsApp combate informações falsas em imagens

As imagens são um calcanhar de Aquiles no combate às notícias falsas. Se você recebe uma mensagem de texto dizendo que Jélysson é o diretor do WhatsApp Messenger, por exemplo, fica relativamente fácil saber se é verdade: basta copiá-la e colar no Google. Um dos resultados mostrará que isso não procede.

É mais difícil fazer isso com imagens do WhatsApp no celular. Você precisa abrir o Google Imagens, mudar para a versão desktop, tocar no botão de câmera, depois em “Enviar uma imagem” e “Escolher arquivo”, e enfim selecionar a foto. Quase ninguém faz isso.

Com a novidade do WhatsApp, basta selecionar a imagem, tocar em “Buscar imagem” e confirmar. A busca reversa pode ajudar: o Google pode revelar se uma foto é montagem, ou se não bate com sua descrição.

O WhatsApp toma outras medidas para evitar a disseminação de fake news. Mensagens repassadas por seus contatos recebem o aviso “Encaminhada”; é possível encaminhar mensagens para até 5 contatos ou grupos por vez; e vídeos educativos pedem que o usuário “compartilhe fatos, não boatos”.

Com informações: Engadget.