Início » Celular » Xiaomi Pocophone F1 e Redmi Note 6 Pro são lançados no Brasil a partir de R$ 1.999

Xiaomi Pocophone F1 e Redmi Note 6 Pro são lançados no Brasil a partir de R$ 1.999

Redmi Note 6 Pro custa R$ 1.999 e Xiaomi Pocophone F1 sai por R$ 2.999; eles estão à venda em lojas físicas da Ricardo Eletro

Felipe Ventura Por

Os celulares da Xiaomi estão oficialmente de volta ao mercado brasileiro: o Pocophone F1 tem preço sugerido de R$ 2.999, enquanto o Redmi Note 6 Pro sai por R$ 1.999. Eles estão à venda apenas nas lojas físicas da Ricardo Eletro, e foram homologados pela Anatel a pedido da empresa DL.

Xiaomi Pocophone F1

“Os modelos disponíveis nas lojas da Ricardo Eletro são: Redmi CX 261 (64 GB – 4 GB RAM), com o preço sugerido de R$ 1.999, e o Pocophone CX 262 (128 GB – 6 GB RAM), com o valor sugerido de R$ 2.999”, informa a varejista em comunicado ao Tecnoblog. A empresa diz que realiza a venda “considerando todos os custos de cada produto”.

Vale lembrar que o Pocophone F1 e o Redmi Note 6 Pro não são compatíveis com a frequência de 700 MHz (banda 28) do 4G brasileiro, que oferece maior penetração em ambientes fechados. No entanto, os dois aparelhos podem acessar redes 4G nas bandas 1, 3, 5 e 7.

A DL ficará responsável pela garantia de um ano e assistência nacional dos celulares Xiaomi. A empresa, fundada em 2004, tem como missão “ser a empresa referência no mercado brasileiro para produtos eletroeletrônicos de baixo custo e com qualidade”.

A Ricardo Eletro diz ter mais de 600 lojas físicas espalhadas por 20 estados. Não há pontos de venda em São Paulo, Rio Grande do Sul nem em boa parte da região Norte (com as exceções de PA e TO). Além disso, a varejista lembra que os aparelhos da Xiaomi estão “sujeitos a disponibilidade de estoque”.

As lojas físicas da Ricardo Eletro podem ser encontradas em Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins.

Pocophone F1 custa cerca de US$ 300 fora do Brasil

O Pocophone F1 se destaca na China e Índia por sua relação custo-benefício, saindo por cerca de US$ 300; ele chegou a um preço mais salgado no Brasil. Trata-se do modelo com 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento.

Este celular da Xiaomi possui tela IPS de 6,18 polegadas com resolução Full-HD+ e notch para a câmera de 20 megapixels. Por dentro, encontramos o processador Snapdragon 845 e uma bateria de 4.000 mAh.

A câmera traseira dupla recebeu nota próxima ao iPhone 8 nos testes do DxOMark; ela tem sensores de 12 megapixels e 5 MP. O leitor de digitais fica na traseira; há também reconhecimento facial com infravermelho.

Por sua vez, o Redmi Note 6 Pro vendido no Brasil tem 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento expansível via microSD. O processador é o Snapdragon 636, e a bateria tem capacidade de 4.000 mAh.

Este celular possui tela de 6,26 polegadas com resolução Full-HD+ e notch. São quatro câmeras no total: duas frontais (20 megapixels e 2 MP) e duas traseiras (12 megapixels e 5 MP).

Xiaomi Pocophone F1 (Brasil) – ficha técnica:

  • Tela: IPS de 6,18 polegadas, Full-HD+ (2246 × 1080), proporção 18,7:9, 403 ppi, notch
  • Processador: Snapdragon 845
  • RAM: 6 GB
  • Armazenamento: 128 GB, expansível por microSD de até 256 GB
  • Bateria: 4.000 mAh com recarga rápida de 18 W (Quick Charge 3.0)
  • Câmera traseira dupla
    • sensor principal: 12 megapixels f/1,9, Sony IMX363, pixels de 1,4 µm, autofoco por detecção de fase dual pixel
    • sensor de profundidade: 5 megapixels f/2,0
  • Câmera frontal: 20 megapixels f/2,0
  • Sistema operacional: Android 9 Pie (atualizado do Oreo 8.1) com interface MIUI 10
  • Dimensões: 155,5 x 75,3 x 8,8 mm, 182 g

Xiaomi Redmi Note 6 Pro (Brasil) – ficha técnica:

  • Tela: IPS de 6,26 polegadas, Full-HD+ (2280 × 1080), proporção 19:9, 403 ppi, notch
  • Processador: Snapdragon 636
  • RAM: 4 GB
  • Armazenamento: 64 GB, expansível por microSD de até 256 GB
  • Bateria: 4.000 mAh com recarga rápida de 10 W
  • Câmera traseira dupla
    • sensor principal: 12 megapixels f/1,9, sensor de 1/2,55 polegada, pixels de 1,4 µm, autofoco por detecção de fase dual pixel
    • sensor de profundidade: 5 megapixels f/2,2, pixels de 1,12 µm
  • Câmera frontal dupla
    • sensor principal: 20 megapixels f/2,0, pixels de 0,9 µm
    • sensor de profundidade: 2 megapixels f/2,2, pixels de 1,75 µm
  • Sistema operacional: Android 8.1 Oreo com MIUI 9 (será atualizado para 9 Pie com MIUI 10)
  • Dimensões: 157,9 x 76,4 x 8,3 mm, 182 g

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Anderson Morais

E, tá bem informado mesmo.

Bruno

sim....mas no caso dessas foi por causa do bug mesmo..

Ayr

Mercado Livre ou Dinheiro Livre...

Android Planet Canal

ai falou tudo kkk

Ayr

Quero Xiaomi a preço justo. Pagaria até caro, mas a este valor...

Frank Lane Souza

O aparelho é bom, porém vender praticamente pelo dobro do valor comercializado no Mercado Livre? E olha que estou falando de aparelhos que já estão no Brasil, porque importando é mais barato ainda, era melhor nem ter voltado só avacalhou o custo beneficio.

Fabio Santos

Xiaomi tentando ser oficial no Brasil vira piada como as demais kkk.
Não dá a carga tributária já é pesada e os caras ainda vão se espelhar na mais pesada tributação ainda que é o sul do Brasil.

Michel

"Vale lembrar que o Pocophone F1 e o Redmi Note 6 Pro não são compatíveis com a frequência de 700 MHz (banda 28) do 4G brasileiro, que oferece maior penetração em ambientes fechados. No entanto, os dois aparelhos podem acessar redes 4G nas bandas 1, 3, 5 e 7."

o suporte aos 700Mhz era um dos motivos na qual eu esperava que viesse com a chegada do xiaomi ao brasil e vcs me trazem a porra de um celular importado pagando pelo preço de um nacional?

johndoe1981

Já li lá que a Kabum e Cissa também exigiram que não postassem promoções dessas lojas no fórum. Mas sei também que tem loja que é proibida simplesmente porque não paga jabá aos administradores...

johndoe1981

Acho que sumiram até os merchans no Caldeirão do Huck sumiram kkkkk. Enquanto isso, Magazine Luiza oferecendo muitos produtos com frete grátis, de valor justo pro Nordeste, ou ainda dando a opção de retirar a mercadoria gratuitamente na loja. Moro em Fortaleza e tenho comprado direto na Magalu, a loja está fazendo um trabalho louvável de conseguir driblar o velho problema de logística do país.

Enquanto isso, B2W e Cnova querem cobrar fortunas de frete pro Nordeste, e no caso do Pontofrio e Casas Bahia, quase nunca disponibilizam retirada de produto em loja física para assim não ter que pagar o frete.

Fantasma do Espaço

As físicas aqui da city e interior fecharam. O negocio esta tão mal que o dono da Ricardo eletro, tirou a cara das propagandas rsrsr

Leandro Damascena Silva

hmm... que cheirinho de FLOP. Foi mal Ricardo Eletro, mas esses preços estão absurdos. Como vocês pegam um smartphone custo-beneficio e faz "poco-beneficio"? Nós como consumidores inteligentes, passamos. Boa sorte pro burros que vão comprar da Ricardo eletro.

AleMouta

Esperei a toa porque o preço do F1 subiu mais que o dobro. Passo. Melhor importar. Cara, o Brasil e seus Brasileiros, viu?!

Bruno

grupo máquina de vendas (ricardo eletro, citylar, etc) pediu pra os administradores da hardmob pra não deixarem mais postar promoções dessas lojas por lá. problema jurídico depois de um bug descoberto na loja que foi aproveitado por muita gente.

Wendel F De Freitas

Lógico que é opção minha, mesmo que tente me obrigar. Não acredito e ponto.
Não precisava ficar nervosinha.

Exibir mais comentários