Início » Celular » Disney+: usuários reclamam de falhas na estreia do serviço de streaming

Disney+: usuários reclamam de falhas na estreia do serviço de streaming

Muitos usuários relatam falhas de login ao acessar o Disney+ ou enfrentam lentidão na plataforma

Emerson Alecrim Por
12/11/2019 às 15h33

Esta terça-feira (12) marcou a tão aguardada estreia do Disney+ nos Estados Unidos, mas nem tudo é só alegria: vários usuários estão relatando nas redes sociais problemas para acessar a plataforma de streaming neste primeiro dia de funcionamento.

Falha no Disney+

Falha no Disney+ (Foto: Rich Greenfield)

Diante do grande volume de queixas, a Disney recorreu às redes sociais para se pronunciar a respeito. No Twitter, a companhia disse que a quantidade de acessos ao serviço superou as expectativas e, por conta disso, a plataforma do Disney+ ficou sobrecarregada.

Muitos usuários relatam problemas para fazer login no serviço. Em alguns casos, as contas aparecem como bloqueadas. Também há relatos de usuários que conseguiram acessar a plataforma, mas enfrentam lentidão no carregamento da lista de conteúdo ou simplesmente não conseguem assistir às produções escolhidas.

É normal que serviços online apresentem instabilidades em suas primeiras horas de funcionamento. No entanto, a Disney dava a entender que o Disney+ estaria totalmente pronto para operar em sua estreia.

A frustração dos usuários vem justamente daí: muitos reclamam que a empresa teve tempo para se preparar para um volume alto de acessos ou que, pelas expectativas geradas, deveria ter previsto que o primeiro dia de funcionamento teria bastante demanda.

Falhas no Disney+

Estima-se que a Disney tenha gastado cerca de US$ 3 bilhões para preparar a plataforma. O dinheiro foi destinado sobretudo à tecnologia da BAMTech, que serve de base para o Disney+.

Originalmente, a tecnologia da BAMTech foi desenvolvida para permitir transmissões online da Major League Baseball e, posteriormente, serviu de base para outras plataformas, como ESPN e, durante algum tempo, HBO.

Em 2016, a Disney adquiriu uma participação minoritária da BAMTech e, em agosto de 2017, passou a deter 75% da empresa. Em outubro de 2018, a BAMTech passou a ser chamada de Disney Streaming Services. É essa divisão que responde pelo streaming do Disney+.

Até o momento, nenhum representante da Disney Streaming Services deu detalhes sobre as causas dos problemas de acesso. A Disney disse apenas que está trabalhando em uma solução.

Para a estreia, o Disney+ disponibilizou uma seleção de títulos de peso, entre eles, 16 filmes da Marvel (como os três filmes de Homem de Ferro, Homem-Formiga, Capitã Marvel e Vingadores: Ultimato), os episódios de I a VII de Star Wars (em 4K), além de produções originais, como o primeiro capítulo de The Mandalorian.

O serviço custa US$ 6,99 por mês ou US$ 69,90 por ano nos Estados Unidos. No Brasil, o Disney+ está previsto para ser lançado oficialmente em novembro de 2020.

Com informações: Ars Technica.

Mais sobre: , ,