Início » Celular » Desmanche do LG Wing mostra como tela giratória funciona

Desmanche do LG Wing mostra como tela giratória funciona

LG Wing tem tela que gira para ficar na horizontal; vídeo com desmanche do celular mostra como mecanismo funciona

Emerson Alecrim Por

O LG Wing é um forte candidato a celular mais inusitado do ano. Mas, depois do espanto que a sua tela giratória causa, vem a pergunta: como é que esse mecanismo funciona? Um canal no YouTube tratou de desmanchar o aparelho para encontrar a resposta.

LG Wing (Foto: Divulgação/LG)

Antes, convém contextualizar. O LG Wing é um celular com duas telas. A principal tem um painel pOLED de 6,8 polegadas enquanto a secundária é uma tela gOLED de 3,9 polegadas. A principal pode ser girada para ficar em posição horizontal. Quando isso ocorre, ambas as telas fazem o smartphone ter formato de ‘T’.

Na primeira olhada, a ideia não faz muito sentido. Porém, de acordo com a LG, essa abordagem pode ter várias utilidades, como facilitar o uso do celular como GPS no painel de um carro ou a tomada de fotos — os controles da câmera aparecem na tela secundária.

O desmanche feito pelo canal JerryRigEverything começa com a óbvia remoção da tampa traseira, procedimento que revela a bateria e a placa principal do celular. A retirada desta expõe o mecanismo que faz a tela girar.

LG Wing - desmanche

Trata-se de um sistema relativamente simples, mas interessante. Há um buraco na estrutura do mecanismo pelo qual passa o cabo flexível que permite à tela funcionar. Ao lado, a LG posicionou um pequeno amortecedor (lembra aqueles usados em carros) que absorve o impacto do giro.

A movimentação em si é feita por meio de duas molas acopladas a uma placa fixada no módulo da tela principal. Uma das molas mantém o celular aberto (com a tela na horizontal); a outra deixa o aparelho fechado.

Também é possível notar que a LG usa uma espécie de plástico lubrificado para prevenir atritos e deixou um espaço entre o celular e a tela principal para evitar que detritos que entrarem ali danifiquem os componentes nas movimentações.

Todo celular que tem partes móveis nos faz pensar no risco de o mecanismo correspondente se desgastar rapidamente. Olhando o vídeo, a articulação parece ser robusta. De todo modo, a fabricante afirma que o sistema do LG Wing foi projetado para suportar mais de 200 mil aberturas. Considerando uma média de 100 rotações por dia, isso corresponde a cerca de cinco anos de duração.

Além da tela giratória, o LG Wing conta com chip Snapdragon 765G, 8 GB de RAM, 128 GB ou 256 GB de armazenamento, além de três câmeras na traseira, a principal com 64 megapixels.

Na Coreia do Sul, as vendas começam em outubro. Posteriormente, o aparelho será lançado na América do Norte e Europa. Não há informação sobre disponibilidade no Brasil.

Com informações: The Verge.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

John Smith (@john)

Falando com muito preconceito aqui, mas me parece solução pra um problema que não existe nem existirá. Funcionalidade que será muito restrita no dia-a-dia e exigirá um desenvolvimento adicional nos apps específico pra esse formato, o que eu duvido muito que terá algum futuro. Os dobráveis, pelo menos, apenas expandem a área disponível, o que requer pouquíssimo ajuste nos apps - basta que o design seja responsivo.

Eduardo Alvim (@Eduardo_Alvim)

Eu gostei. Usaria. Lembro de uma famosa frase do Steve Jobs que dizia mais ou menos assim “o consumidor não sabe o que quer, até que mostremos a ele”.

John Smith (@john)

Então. Como inovação eu também gostei. Sou totalmente a favor de novos conceitos (ainda que não goste necessariamente dos produtos), acho que assim se descobrem novas tendências e saímos da mesmice, vendo o desenvolvimento dos quais somos capazes.

Mas certos conceitos são muito limitados, como este. Não vi nenhum uso prático que tornaria esse formato indispensável. Mapas? Botões separados para câmera? Até agora só vimos meras adaptações para tentar justificar o formato, mas que na prática não trazem nenhum real diferencial em relação a quem tem um celular “convencional”.

Fora que atualmente o usuário fica refém dos apps que a própria LG desenvolver para uso com esse celular, mas se a longo prazo não houver interesse dos desenvolvedores, eventualmente até a própria LG não vai dar mais suporte a ele.

Como produto prático esse aparelho não me despertou nenhum interesse.

² (@centauro)

Pelo que eu lembro de ter visto, usar a câmera com o aparelho “aberto” ajuda na estabilidade, funcionando como um gimbal, o que é bacana se for eficiente.