Início » Internet » Disney+ deve chegar por R$ 28,99 mensais com pré-venda em outubro

Disney+ deve chegar por R$ 28,99 mensais com pré-venda em outubro

Disney+ no Brasil deve ter plano anual de R$ 289,99 para concorrer com Netflix e Amazon Prime Video

Felipe Ventura Por

O lançamento do Disney+ no Brasil, para concorrer com Netflix e Amazon Prime Video, já está confirmado oficialmente para novembro. Agora, temos mais uma fonte reafirmando o preço do serviço de streaming — R$ 28,99 ao mês — e trazendo uma novidade: será possível adquirir sua assinatura em pré-venda a partir de outubro.

Disney+

De acordo com o Notícias da TV, o Disney+ custará R$ 29 ao mês ou R$ 290 no pacote anual. Em agosto, o aplicativo para Android do serviço de streaming já havia revelado os preços de R$ 28,99 e R$ 289,99 (sem arredondamento); eles apareciam para usuários nos EUA que tentavam criar uma conta com dados do Brasil.

Além disso, as assinaturas começariam a ser vendidas por aqui em 17 de outubro, um mês antes do lançamento em si. Pode parecer estranha uma pré-venda de serviço, mas é algo que já deu certo.

No ano passado, o Disney+ entrou em pré-venda nos EUA sem nenhum benefício adicional: não havia desconto no preço nem conteúdo adicional no catálogo. Ainda assim, quase 2 milhões de pessoas se cadastraram antes da estreia, segundo estimativa da consultoria Jumpshot.

Disney+ tem 60 milhões de assinantes

Um dia após o lançamento, em novembro de 2019, havia mais de 10 milhões de usuários em três países (EUA, Canadá e Holanda), incluindo quem estava no teste gratuito de sete dias. E em agosto de 2020, o Disney+ já tinha ultrapassado 60 milhões de assinantes — a empresa planejava atingir essa meta só em 2024.

Os filmes da Disney, Marvel e Pixar que estavam na Netflix começaram a deixar a plataforma no Brasil. O mesmo ocorrerá em outubro com títulos atualmente no Prime Video, como Capitã Marvel, Vingadores: Ultimato e o live-action de O Rei Leão. Todos eles irão para o Disney+, que contará também com séries exclusivas como The Mandalorian; a segunda temporada estreia no mês que vem.

O app do Disney+ havia indicado que o novo filme Mulan, live-action baseado no desenho animado de 1998, custaria R$ 112,90 no Brasil e exigiria assinatura. Resta ver se isso vai mesmo acontecer; esse título será liberado para todos os assinantes em dezembro.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
24 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Anderson Antonio Santos Costa (@Anderson_Antonio_San)

Achei caro o preço do Disney+. Será um tiro no pé da Disney no Brasil.

Caio (@Cai0)

Não achei caro, está mais barato que o plano padrão da netflix e ainda dá direito a stream 4k.
Caro achei foi o filme da Mulan, eles estão praticamente pedindo pra assistir pirata.

Jedielson (@Jedielson)

4k 4 telas tá 50 pila na Netflix. Onde que tá caro esse preço do Disney+?

² (@centauro)

vai custar provavelmente em torno do que custa uma assinatura de TV a cabo normal, mas você vai ter acesso a muito mais conteúdo de maneira muito mais flexível.

Exatamente por isso que você não precisa ter todas essas assinaturas ativas ao mesmo tempo.
Querer ter todas essas assinaturas ao mesmo tempo é que nem querer ter todos os video games e jogos ao mesmo tempo. Caro e vai ser fisicamente impossível aproveitar tudo porque tempo é finito.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Não achei caro, está na média.

Não é um serviço que me interessa, mas vejo grande potencial entre aqueles que tem filhos menores.

² (@centauro)

Você não precisa assinar todos os serviços de streaming ao mesmo tempo.
Você não precisa manter a assinatura de todos os serviços de streaming ao mesmo tempo.
Você sequer teria tempo pra assistir tudo.

Você tem combos aqui e ali que vem com Deezer ou algum outro serviço de streaming de música que você pode complementar com o youtube.

Geralmente as pessoas assinam os serviços de streaming pra deixar a TV a cabo, não pra complementar.

Windows 10 você não precisa pagar pra usar. As únicas restrições de se usar o Windows 10 sem uma chave são uma frase no canto inferior direito falando que o Windows não está ativado e algumas limitações de personalização.

Office 365 da MS sempre tem promoção de um ano, mas também tem a versão gratuita online. Ou usa alguma das alternativas gratuitas que existem como o LibreOffice ou o GDocs.

Antivirus tem o do próprio Windows que funciona bem e não precisa pagar a mais por ele.

Jogos tem o Steam que vive fazendo promoção que não acaba mais e deve ser mais comum você ter uma biblioteca com mais jogos não jogados do que jogados. Fora a questão do tempo. Você não vai ter tempo hábil pra jogar um monte de jogo E assistir o monte de conteúdo de todos os serviços de streaming que você listou então não tem motivos pra ficar pagando pra ter acesso a tudo ao mesmo tempo o tempo todo.

Outros softwares depende, pode ser que exista versão freeware, pode ser que exista alguma alternativa gratuita, pode ser que faça sentido pra pessoa comprar de fato por qualquer motivo que seja.

O resto da sua lista (as centenas de outros serviços") está ai desde sempre.

Consumismo é você querer ter tudo isso sem precisar.