Início » Internet » SpaceX inicia beta público da internet Starlink de até 150 Mb/s

SpaceX inicia beta público da internet Starlink de até 150 Mb/s

Em e-mail, Starlink convidou usuários para beta público e revelou preço de sua internet com satélites em órbita baixa

Victor Hugo Silva Por

A SpaceX liberou nesta terça-feira (27) o beta público do Starlink, projeto que tem o objetivo de oferecer internet de alta velocidade por meio de milhares de satélites posicionados em baixas altitudes. Alguns usuários que já haviam se cadastrado foram convidados para testarem o serviço, que, por enquanto, promete conexão de até 150 Mb/s (megabits por segundo) e latência de 20 milissegundos.

Satélite Starlink, da SpaceX

A informação foi compartilhada por um usuário do Reddit, que recebeu um e-mail em que a Starlink anuncia o chamado Better Than Nothing Beta (ou Beta Melhor que Nada) justamente para diminuir as expectativas iniciais. Por enquanto, a empresa promete velocidade entre 50 Mb/s e 150 Mb/s e latência entre 20 ms e 40 ms. A mensagem também adianta a possíveis interessados que o serviço pode ter períodos sem conexão.

“À medida em que lançamos mais satélites, instalamos mais estações terrestres e melhoramos nosso software, a velocidade de dados, a latência e o tempo de atividade melhorarão drasticamente”, afirma o comunicado. A expectativa da empresa é de que a latência, por exemplo, passe a ficar entre 16 ms e 19 ms até setembro de 2021.

Mensagem da Starlink sobre beta público (Imagem: Reprodução/Reddit)

O beta público da Starlink também teve os preços revelados. O serviço cobrará US$ 499 (cerca de R$ 2.800) por equipamentos como antena e roteador, além de US$ 99 (R$ 560) por mês pela assinatura do serviço. A conexão pode ser configurada por um aplicativo para iPhone e Android que oferece instruções sobre como começar a usar o serviço.

SpaceX quer internet Starlink com 1 Gb/s

O plano da SpaceX é oferecer conexão de 1 Gb/s quando o serviço da Starlink estiver em pleno funcionamento, o que só deve acontecer em alguns anos. Hoje, o projeto conta com 775 satélites em órbita baixa, a distâncias entre 540 km e 570 km da Terra. O aumento da velocidade será viabilizado com a ampliação da rede da empresa, que pretende chegar à marca de 12 mil satélites até 2025.

No mesmo ano, a companhia espera oferecer o Starlink para 40 milhões de assinantes. O beta público é um passo em direção a essa marca. O serviço funcionava apenas em uma versão beta com um grupo restrito de participantes e, agora, começa a ser testado em um cenário mais parecido ao de seus concorrentes.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
23 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Diego Nascimento (@Dieg0)

Pensei que teria um preço competitivo.
Achei bem caro os US$ 499 + US$ 99 de mensalidade.

Leandro Alves (@KILLME)

Vocês sabem que esse serviço é para atender locais remotos e sem internet fibra. Não faz sentindo assinar isso morando na cidade hehehe.

Desenvolvimentista (@mandatario)

N tecnologias. Sabendo que é para o mundo.
Ele não quer competir com a internet do Japão ou da Coréia.

Aqui mesmo no BR. Tem lugar mesmo em cidades( até nas grandes) que só tem via rádio.
Outros só tem ADSL e bem ruim. Lixo. Aqui na minha cidade, perde pra via rádio!
Coaxial só é bom pra quem ta perto da central.
Existem mais tecnologias de acesso, mas não me lembro os nomes. Só sei que são fraquinhas.

São poucos lugares com cabo de fibra óptica.
Tem empresa que precisam de boa internet. Mas o cabo não chega lá! O investimento seria muito alto pra isso.
Imagina a competição mesmo em grandes cidades no Brasil.

E na Africa, e na América latina.

Sim este ‘ping’ tão alarmado é pra competir com as tecnologias existentes.
Não fibra é claro. Mas isto é obvio.