Início » Internet » SpaceX inicia beta público da internet Starlink de até 150 Mb/s

SpaceX inicia beta público da internet Starlink de até 150 Mb/s

Em e-mail, Starlink convidou usuários para beta público e revelou preço de sua internet com satélites em órbita baixa

Victor Hugo SilvaPor

A SpaceX liberou nesta terça-feira (27) o beta público do Starlink, projeto que tem o objetivo de oferecer internet de alta velocidade por meio de milhares de satélites posicionados em baixas altitudes. Alguns usuários que já haviam se cadastrado foram convidados para testarem o serviço, que, por enquanto, promete conexão de até 150 Mb/s (megabits por segundo) e latência de 20 milissegundos.

Satélite Starlink, da SpaceX

A informação foi compartilhada por um usuário do Reddit, que recebeu um e-mail em que a Starlink anuncia o chamado Better Than Nothing Beta (ou Beta Melhor que Nada) justamente para diminuir as expectativas iniciais. Por enquanto, a empresa promete velocidade entre 50 Mb/s e 150 Mb/s e latência entre 20 ms e 40 ms. A mensagem também adianta a possíveis interessados que o serviço pode ter períodos sem conexão.

“À medida em que lançamos mais satélites, instalamos mais estações terrestres e melhoramos nosso software, a velocidade de dados, a latência e o tempo de atividade melhorarão drasticamente”, afirma o comunicado. A expectativa da empresa é de que a latência, por exemplo, passe a ficar entre 16 ms e 19 ms até setembro de 2021.

Mensagem da Starlink sobre beta público (Imagem: Reprodução/Reddit)

O beta público da Starlink também teve os preços revelados. O serviço cobrará US$ 499 (cerca de R$ 2.800) por equipamentos como antena e roteador, além de US$ 99 (R$ 560) por mês pela assinatura do serviço. A conexão pode ser configurada por um aplicativo para iPhone e Android que oferece instruções sobre como começar a usar o serviço.

SpaceX quer internet Starlink com 1 Gb/s

O plano da SpaceX é oferecer conexão de 1 Gb/s quando o serviço da Starlink estiver em pleno funcionamento, o que só deve acontecer em alguns anos. Hoje, o projeto conta com 775 satélites em órbita baixa, a distâncias entre 540 km e 570 km da Terra. O aumento da velocidade será viabilizado com a ampliação da rede da empresa, que pretende chegar à marca de 12 mil satélites até 2025.

No mesmo ano, a companhia espera oferecer o Starlink para 40 milhões de assinantes. O beta público é um passo em direção a essa marca. O serviço funcionava apenas em uma versão beta com um grupo restrito de participantes e, agora, começa a ser testado em um cenário mais parecido ao de seus concorrentes.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
23 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Diego Nascimento (@Dieg0)

Pensei que teria um preço competitivo.
Achei bem caro os US$ 499 + US$ 99 de mensalidade.

Eita (@mandatario)

Caro em!
US$ 99 por mês!
Se bem que as que existem hoje vendem 20 mega por 300 reais!

Mas eu achava que o serviço deles seria mais barato
Sera que vai baratear no futuro?

Leandro Alves (@KILLME)

Vocês sabem que esse serviço é para atender locais remotos e sem internet fibra. Não faz sentindo assinar isso morando na cidade hehehe.

🤷‍♀️ (@xavier)

Será que, mesmo durante o Beta Melhor que Nada, os usuários precisarão comprar os equipamentos?

Adriano Angelo (@Angelo)

Tá começando! O preço vai ser mais baixo com o lançamento e mais usuários.

guilherme daniel (@guilherme_daniel)

Sim, tem na matéria, a antena é aparte.

🤷‍♀️ (@xavier)

De fato, tinha entendido errado (como se o preço fosse o cobrado após o beta).
Obrigado.

Matheus (@mths0x5f)

Tá no preço e pelo nicho que atende nunca será mais barata que conexão a fibra, mesmo sendo pior, por características técnicas e mercadológicas.

Não falaram do uplink… deve ser horrível.

Eita (@mandatario)

Não faria sentido o investimento para esses locais!
Que sempre são mais pobres!

Ele quer sim competir com as redes locais!
Por isso a enfase na latência de 20 milissegundos.

Eita (@mandatario)

Não faz sentido tanto alarde na latência de 20 milissegundos. Para estes lugares.

Que sempre são mais pobres!

Ele quer sim competir com as redes locais!

Leandro Alves (@KILLME)

O alarde da latência foi contra os outros serviços via satélite, não tem como eles competirem contra fibra ótica. No próprio site do Starlink:

“With performance that far surpasses that of traditional satellite internet, and a global network unbounded by ground infrastructure limitations, Starlink will deliver high speed broadband internet to locations where access has been unreliable, expensive, or completely unavailable.”

Luis Gustavo (@REVIGORARE)

Os principais focos da distribuição da internet são comunidades isoladas, centros de pesquisa afastados, navios em alto-mar, entre outras regiões cuja conexão cabeada é ausente ou inviável.

André Gorgen (@Banana_Phone)

Meus pais moram na fazenda, fica longe da cidade e a internet deles é via rádio. Eles pagam 400 por mês por uma internet de 8mb (tem dias que o speed test mostra 25mb, mas tem dias que não dá nem 1mb). O maior problema é com a latência que é sempre bem alta.
Não vejo a hora da StarLink estar disponível sobre o Centro-Oeste, tem muita gente lá precisando de conexão e disposta a pagar caro por isso. A agricultura 4.0 também vai poder expandir bastante com isso.

🤷‍♀️ (@xavier)

image728×366 31.2 KB

Akuma 01br (@Akuma_01br)

Totalmente inviável no Brasil, assim como os carros tesla. Lamentável!!!

Exibir mais comentários