Início » Carro » Tesla explica que “Full Self-Driving” não é condução autônoma de verdade

Tesla explica que “Full Self-Driving” não é condução autônoma de verdade

Documentos obtidos pelo site PlainSite revelam que o programa beta "Full Self-Driving" da Tesla não deve avançar muito

Darlan HelderPor

Há quase dois anos, Elon Musk, CEO da Tesla, disse que os carros da empresa seriam totalmente autônomos até o final de 2020. Avancemos para 2021: o bilionário ainda não conseguiu cumprir essa promessa. Pior: a Tesla agora diz que o programa beta Full Self-Driving não é adequado para a condução totalmente autônoma, sem interferência do motorista, revelam cartas da montadora enviadas ao Departamento de Veículos Motorizados da Califórnia.

Tesla Model S (imagem: divulgação/Tesla)

Tesla Model S (imagem: divulgação/Tesla)

Os documentos foram obtidos pelo site PlainSite e mostram que integrantes do DVM solicitaram mais informações sobre o Full Self-Driving. O órgão também queria saber se a Tesla pretendia moderar a supervisão humana quando a tecnologia fosse mais abrangente. Em resposta, a empresa disse que o Full Self-Driving é limitado e que o software beta “não é capaz de reconhecer ou responder a objetos estáticos e detritos de estradas”.

Em outro momento, a Tesla explica que não espera avanços significativos e completa: “não esperamos transferir a responsabilidade por toda a tarefa de direção dinâmica para o sistema”. De acordo com a montadora, a tecnologia deve permanecer em nível 2, que é a automação parcial (semiautônomo) — significa que o veículo pode tomar decisões sozinho, mas o condutor precisa ficar atento para intervir em casos urgentes.

Tesla em modo Full Self-Driving (Imagem: divulgação/Tesla)

Tesla em modo Full Self-Driving (Imagem: divulgação/Tesla)

As informações presentes na carta e as falas de Musk mostram que não há sintonia entre executivo e empresa. Em dezembro passado, o CEO disse que a Tesla chegaria ao nível 5 (automação plena) no final deste ano: “extremamente confiante”, disse.

Tesla quer expandir Full Self-Driving

Apesar disso, a Tesla está empenhada em impulsionar o programa beta Full Self-Driving. A marca já adiantou que vai expandir a versão 8.3 do software para mais veículos e que os clientes interessados já podem entrar em contato para solicitar. A demanda pela tecnologia é alta, tanto que a Tesla disse que disponibilizaria um botão no painel do veículo para fazer o download.

Com informações: Ars Technica

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Lucas Monteiro (@lucasmonteiro)

Todos os admiradores da Tesla que não tem dinheiro para comprar um veículo “autônomo” e especialmente os clientes que já possuem um, o sentimento é o mesmo: não veem a hora de que esses carros sejam absolutamente autônomos. Mas honestamente, estou do lado da Tesla em manter uma posição conservadora quanto a essa tecnologia.

É muita responsabilidade envolvida, e simplesmente dizer que o software está apto para transformar o carro em uma máquina “pensante” completamente autônoma - apesar dos avanços obtidos até aqui -, está longe de ser uma realidade no momento.

Meu palpite é que algo muito próximo de um carro verdadeiramente autônomo ainda pode levar mais uns cinco anos - sendo muito otimista.

Islan Oliveira (@Islan_Oliveira)

Bem, o Musk é bastante conhecido por ser otimista com os prazos. Quando ele dá prazo pra algo, melhor acrescentar 3, 5 ou 10 anos, a depender da dificuldade do que está sendo prometido.

Felipe Ventura (@felipe)

A questão é que chamar essa tecnologia de “Full Self-Driving”, mesmo estando longe da condução totalmente autônoma, não é tomar de fato uma posição conservadora.