Início » Gadgets » Luminária de mesa Philips UV-C: o gadget que elimina vírus e bactérias

Luminária de mesa Philips UV-C: o gadget que elimina vírus e bactérias

Quase nada smart, luminária de mesa Philips UV-C promete inativar o vírus causador da COVID-19, além de germes e bactérias

Darlan HelderPor
Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Em um momento em que estamos mais atentos à desinfecção e limpeza de nossas casas e objetos, empresas como Signify, LG e Samsung aproveitam para lançar produtos que facilitam esse processo. Para provar que a tecnologia pode ser a nossa aliada nesse momento sem precedentes, a Signify lançou a luminária de mesa Philips UV-C, um gadget que custa R$ 1.100 e promete inativar vírus (incluindo o causador da COVID-19), além de germes e bactérias.

O produto é bivolt, tem painel de controle, orientação por voz, sensores para ajudar na segurança e só entra em ação com o ambiente vazio. Mas como tudo isso funciona? Eu consigo controlar por um aplicativo ou só manual? Faz sentido ter um produto como esse em casa? Eu testei a luminária de mesa Philips UV-C e compartilho todos os detalhes neste review.

Análise da Luminária de mesa Philips UV-C em vídeo

Aviso de ética

O Tecnoblog é um veículo jornalístico independente que ajuda as pessoas a tomarem sua próxima decisão de compra desde 2005. Nossas análises não têm intenção publicitária, por isso ressaltam os pontos positivos e negativos de cada produto. Nenhuma empresa pagou, revisou ou teve acesso antecipado a este conteúdo.

A luminária de mesa Philips UV-C foi fornecida pela Signify por empréstimo e será devolvida à empresa após os testes. Para mais informações, acesse tecnoblog.net/etica.

Design e instalação

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Embora seja possível encontrar luminárias de vários tamanhos, formatos e acabamentos, a Philips UV-C tem um design muito diferente do que estamos acostumados. Ela pesa 800 gramas, tem 24 cm de altura e a empresa teve de substituir o plástico pelo metal, que está presente em quase toda a estrutura do dispositivo, e é mais resistente aos raios UV-C. Dessa forma, o produto acaba durando mais tempo, o que é sempre ótimo.

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

No centro, estão as duas lâmpadas que atuam na desinfecção do ambiente. Elas não são removíveis, portanto, não podem ser trocadas a qualquer momento pelo usuário. Mas, de acordo com a Philips, essas lâmpadas têm 9 mil horas de vida útil — então dificilmente você terá problema de durabilidade. Entretanto, essa área central é toda aberta e vai exigir um certo cuidado durante o manuseio.

Os controles da luminária de mesa Philips UV-C são bem intuitivos e não há nenhum segredo ali; eles estão na parte superior e facilitam bastante o acesso, a ativação e programação. O primeiro botão permite ligar e desligar o eletrônico e ao lado nós temos o temporizador que possibilita selecionar o período de desinfecção.

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

O alto-falante com orientação por voz é muito bem-vindo e sem ele seria um desafio enorme entender como esse produto funciona. Existe uma “assistente” que fala português (puxado para o espanhol), e te ajuda durante a configuração inicial, avisa quando o produto entra em funcionamento e alerta sobre os perigos do UV-C, que, de certa forma, é nocivo para nós e nossos animais.

Em funcionamento

Todos nós corremos o risco de contrair e espalhar vírus e bactérias. A preocupação em torno disso ficou maior durante a pandemia, uma vez que compreendemos bem como um vírus, por exemplo, se alastra e afeta as nossas vidas. Essa atenção é ainda maior em locais públicos: hospitais, hotéis, aeroportos, escolas, comércios, dentre outros. Muitas empresas utilizam as lâmpadas UV-C, que emitem raios ultravioleta, para desinfecção de ar, objetos e superfície. Existem até robôs que emitem UV-C para esterilizar locais.

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

A Philips diz que pesquisas realizadas pelo Laboratório Nacional de Doenças Infecciosas Emergentes, da Universidade de Boston (EUA), mostraram que a luz aqui presente consegue eliminar germes, bactérias, ácaros, mofos e até o SARS-CoV-2, vírus causador da COVID-19.

O principal objetivo da Signify com esta luminária de mesa Philips UV-C é levar essa tecnologia e proteção mais eficiente para os lares das pessoas. Tudo isso é muito bacana, especialmente agora, mas eu acredito que a marca poderia esclarecer melhor o funcionamento, bem como permitir o acompanhamento da limpeza através de um aplicativo. Foi o que eu mais senti falta aqui: um app dedicado com instruções e, sobretudo, com informações de monitoramento.

Essa não é uma tarefa muito complexa para a Philips. Eu mesmo já elogiei o aplicativo e a integração da lâmpada Hue aqui no Tecnoblog. Seria muito mais interessante se este produto fosse mais tecnológico e permitisse o acompanhamento da desinfecção. Até porque você não pode ficar no mesmo ambiente quando ela está ligada, mas eu já chego nesse assunto adiante.

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Para cada espaço, a Philips recomenda uma atuação diferente. Exemplificando: em um local pequeno, como um banheiro, você pode definir a higienização para 15 minutos, obtendo um alcance de 2 metros. Para um quarto com cerca de 20m², o recomendado é definir 30 minutos e o alcance será de 2,5 metros. Já uma sala de estar, que geralmente costuma ser grande, o ideal é programar o tempo máximo: 45 minutos (aqui, o alcance será de 3 metros).

No meu quarto, que é pequeno, eu defini para 30 minutos. Depois disso não há o que fazer: você deve sair do ambiente e a luminária de mesa só é ativada quando a pessoa não está mais lá dentro. Ao terminar, ela diz “rotina concluída” e o usuário já pode entrar no espaço novamente.

Sensores

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Além do temporizador, a luminária de mesa Philips UV-C tem sensor de movimento que consegue identificar humanos e animais num raio de 5 metros. Na maioria das vezes eu percebi que o sensor é preciso e conseguiu bloquear o dispositivo assim que eu abri a porta do quarto. No entanto, em outro momento para testar a precisão, eu tomei um susto quando ela ligou do meu lado após eu programar. Eu estava no escritório, trabalhando no computador a uma distância de 1,20 metro da luminária e não havia objetos que pudessem causar interferências.

De fato, o sensor só atua quando há movimentos repentinos, não sendo capaz de reconhecer uma pessoa que está próxima, sentada na frente de um notebook, por exemplo. Isso não quer dizer que o sensor seja ruim, mas poderia ser mais eficiente para reconhecer o usuário parado no ambiente, ainda mais considerando o alcance de 5 metros (bem amplo).

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

A luz UV-C pode eliminar ou inativar microrganismos em geral (vírus, bactérias e fungos). Entretanto, a radiação é prejudicial para a nossa pele e olhos, por isso que você precisa tomar cuidado ao adquirir um aparelho como esse e é de suma importância ter esses sensores para garantir a sua segurança.

Luminária de mesa Philips UV-C: vale a pena?

A luminária de mesa Philips UV-C gerou sentimentos variados. Primeiro, este é um produto de nicho, eu vejo que ele é ideal para donos de pousadas, sítios e hotéis que recebem muita gente. Para o ambiente doméstico, que não é usado para aluguel por temporada, pode até valer a pena desde que você esteja ciente das limitações e aceite bem os cuidados exigidos.

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Luminária de mesa Philips UV-C (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Ainda é preciso tomar cuidado para não achar que pode iluminar ambientes da sua casa com ela. Embora a Philips comercialize este produto como luminária de mesa, o dispositivo não tem nada a ver com isso e não pode ser usado para essa finalidade. Seria muito legal se fosse assim, mas, pelo visto, esse não era o objetivo da Signify.

Quanto à desinfecção, o gadget chega num momento crucial e é muito bem-vindo nesse período, afinal ele pode, sim, ajudar a salvar vidas. Durante os testes de laboratório, a luminária mostrou bons resultados, conseguindo eliminar 99,9% do vírus SARS-CoV-2 em questão de segundos. Mas o usuário não consegue acompanhar isso de forma clara, por esse motivo que seria importante ter um aplicativo dedicado com dados. Se eu gostei da luminária? Bem, foi uma experiência muito diferente e curiosa testar um equipamento como esse, talvez possa fazer mais sentido quando essa opção residencial chegar mais tecnológica.

Especificações técnicas

  • Modelo: Luminária de mesa Philips para desinfecção UV-C (9290024766)
  • Tipo de lâmpada: fluorescente UV-C
  • Tensão de entrada: 110-240 VAC 50/60 Hz
  • Potência: 24 W
  • Vida da lâmpada UV-C: 9.000 horas
  • Comprimento de onda da luz UV-C: 253,7 nm
  • Irradiação de onda da luz UV-C: 660uW/cm²
  • Dimensões: 120×120×247 mm
  • Peso: 800 g

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
8 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Sérgio (@trovalds)

A questão da eficácia do UV-C para desinfecção de ambientes já é notadamente eficaz, tanto que existem equipamentos mais robustos que são costumeiramente usados em hospitais e laboratórios. Outra coisa em que comumente é usado a lâmpada UV-C é na desinfecção de aquários.

Quanto ao produto em si: acredito que seja caro pela estrutura de metal e o sensor de movimento. Tanto que existem lâmpadas UV-C de potências diferentes e marcas renomadas (como a Osram) à venda no mercado. Mas é algo que você tem que ligar e desligar manualmente e não tem a estrutura que essa Philips tem.

Everton Favretto (@evefavretto)

Vale lembrar e reforçar: UV-C não é brinquedo. Você ABSOLUTAMENTE não quer estar no mesmo cômodo que ela quando ela está ligada, pois causa queimaduras na pele e nos olhos.

Vítor Gomes Neves Oliveira (@vctgomes)

O preço é extremamente exagerado. Uma lâmpada UV-C n custa 10% disso. Acho que nem mesmo os sensores custem tanto quanto o é cobrado.

Everton Favretto (@evefavretto)

Ah sim, você tá pagando pela garantia, suporte e a marca Philips (literalmente também, imagino que a Signify tenha que pagar royalties para a Koninklijke Philips N.V.), além de impostos, importação e um tanto de “taxa otário”. Mas se tratando de algo com UV-C, melhor não brincar.

Vítor Gomes Neves Oliveira (@vctgomes)

Mas as plantas não podem receber até uma certa quantidade de UV?

Até pq elas ficam expostas ao sol o dia inteiro, que é uma luz UV natural

Everton Favretto (@evefavretto)

As plantas ficam expostas a UV-A e UV-B. UV-C é completamente bloqueado pela atmosfera (ainda bem).

² (@centauro)

Eu me pergunto se um produto desses é realmente necessário numa casa “comum”.
Pra um local onde tem muita circulação de gente e/ou vivem pessoas com o sistema imunológico debilitado ou pessoas de idade com dificuldade de locomoção (o que faz com que precisem ficar apoiando em todo lugar), talvez seja interessante, mas pra uma casa “convencional”, com um casal e talvez um filho(a)?
Me parece um zelo (ou preguiça) excessivo.

Porque, até onde eu me lembre, a chance de transmissão via contato com superfícies contaminadas é consideravelmente baixa e se você tiver o costume de lavar as mãos com frequência, essa chance cai ainda mais.