Início » Gadgets » Roteador Mesh D-Link Covr 1103: para expandir o sinal do Wi-Fi

Roteador Mesh D-Link Covr 1103: para expandir o sinal do Wi-Fi

D-Link Covr 1103 tem três roteadores mesh e entrega boa cobertura Wi-Fi, mas velocidade pode decepcionar usuários exigentes

Lucas Braga Por
D-Link Covr 1103 (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

D-Link Covr 1103 é um kit mesh com três roteadores (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

É bem provável que você já tenha reclamado do sinal de Wi-Fi na sua casa, principalmente se a conexão sem-fio for fornecida pelo modem da sua operadora de banda larga. A tecnologia Mesh pode ser uma solução adequada para resolver os problemas de conexão e espalha a internet por toda a sua casa.

Testei nas últimas semanas o D-Link Covr 1103, kit mesh com três unidades e promessa de cobertura para até 464 m². Funciona, é bom, é difícil de instalar? Você vai descobrir a resposta no review a seguir.

Análise do D-Link Covr 1103 em vídeo

Aviso de ética

O Tecnoblog é um veículo jornalístico independente que ajuda as pessoas a tomarem sua próxima decisão de compra desde 2005. Nossas análises não têm intenção publicitária, por isso ressaltam os pontos positivos e negativos de cada produto. Nenhuma empresa pagou, revisou ou teve acesso antecipado a este conteúdo.

O kit mesh Covr 1103 foi fornecido pela D-Link por doação não será devolvido à empresa. Para mais informações, acesse tecnoblog.net/etica.

Design e portas

O Tecnoblog recebeu o kit do Covr 1103, que conta com três equipamentos. A D-Link também comercializa o Covr 1102, que se trata do mesmo produto mas com apenas duas unidades do roteador. O nome real do produto é Covr 1100, e a variante representa apenas a quantidade de dispositivos mesh no mesmo kit.

D-Link Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

D-Link Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

O roteador por si só é simpático: trata-se de uma caixinha quadrada na cor branca, discreta e que pode ficar na sala sem bagunçar a decoração. A linha Covr 1100 não tem antenas externas, infinitos LEDs e aquele design padrão de roteador que parece uma nave espacial.

Quanto ao design, a frente apenas estampa a marca Covr, e não há nada nas laterais. A parte superior possui um diminuto LED indicador (que pode ser desligado via software!) e saídas de ar, enquanto o lado inferior possui etiquetas de informações, botão de reset e mais saídas de ar. Antes que você se preocupe: não, não há ventoinhas e a refrigeração ocorre de forma passiva, então pode deixar o roteador no seu quarto que nenhum barulho irá lhe atrapalhar a dormir.

D-Link Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Portas do D-Link Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

D-Link Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Topo e LED indicador do D-Link Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Base do D-Link Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Base do D-Link Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

As portas de rede ficam todas na parte traseira, que possui uma entrada WAN, para você ligar o modem da sua operadora de banda larga, e uma única saída LAN, para conectar dispositivos por cabo – se precisar de mais slots, basta ligar um switch no equipamento Covr, preferencialmente com suporte a Gigabit Ethernet. Ali também fica um botão liga-desliga e a entrada da fonte de energia.

Configuração

A instalação do Covr 1103 não é uma tarefa complicada: basta fazer o download do aplicativo D-Link Wi-Fi na App Store (iOS) ou Google Play (Android), e seguir o passo a passo indicado. Você pode escolher qualquer um dos equipamentos do kit para ser a base principal, que irá ficar próxima ao modem da operadora.

Aplicativo D-Link Wi-Fi direciona instalação do Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Aplicativo D-Link Wi-Fi direciona instalação do Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Durante o processo – que demora alguns minutos –, o aplicativo do smartphone faz a leitura de um QR Code que fica na parte inferior do equipamento Covr. Depois, o sistema tenta identificar qual é o padrão da sua conexão (IP dinâmico ou PPPoE) para se ligar à internet.

Durante a configuração da primeira torre, você pode trocar o nome e senha da rede Wi-Fi. Também é possível fazer a conexão com a conta D-Link para vincular o dispositivo aos assistentes do Google e Amazon.

Configuração inicial permite definir nome e senha da Wi-Fi no D-Link Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Configuração inicial permite definir nome e senha da Wi-Fi no D-Link Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Concluído o processo inicial, chega a hora de conectar as outras unidades mesh: bastou ligar na tomada e pronto, todos os outros Covr se juntaram com ao equipamento principal automaticamente e espalharam o sinal de internet para toda a casa.

D-Link Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Configuração de unidades mesh no D-Link Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Recursos do D-Link Covr 1103

Apesar de ser um kit com múltiplos dispositivos, a linha Covr 1100 tem funções simples de roteador e faz praticamente o arroz com feijão. No aplicativo para smartphone, é possível definir uma rede Wi-Fi exclusiva para convidados, configurar o controle parental com limite de tempo e…. só.

Aplicativo D-Link Wi-Fi faz apenas o básico (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Aplicativo D-Link Wi-Fi faz apenas o básico (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Algumas das configurações, como redirecionamento de portas, ajustes de IPv6 e bloqueio de sites estão disponíveis apenas na interface web, o que torna o processo pouco intuitivo para usuários mais leigos.

Interface web do D-Link Covr 1103 (Reprodução: Lucas Braga/Tecnoblog)

Interface web do D-Link Covr 1103 (Reprodução: Lucas Braga/Tecnoblog)

Senti falta de algumas funções: diversos roteadores concorrentes possuem gerenciamento remoto através do aplicativo de smartphone, mas isso não existe no Covr 1100. A D-Link até tem um serviço de Cloud, que serve apenas para vincular o dispositivo com as plataformas de assistentes de voz.

Outro ponto negativo é que o IPv6 não tem suporte a passthrough, o que pode afetar usuários de serviços de banda larga com modem sem suporte ao modo bridge e que queiram usar o Covr 1100 para controlar a conexão doméstica.

A linha Covr 1100 oferece suporte ao modo de ponto de acesso, que é algo que sempre elogio e espero dos equipamentos atuais. Com essa função ativa, o produto deixa de trabalhar como roteador e delega essa função para outro dispositivo pré-existente, e passa a atuar apenas como interface Wi-Fi para a rede local.

D-Link Covr 1103 permite escolher entre modo bridge ou roteador (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Um ponto positivo que vale destacar é que a linha Covr 1100 tem certificação EasyMesh, que traz compatibilidade com alguns produtos mesh de outras fabricantes que tem o mesmo selo. Outra vantagem é que o equipamento possui suporte ao padrão de segurança WPA3, o que dificulta o trabalho do seu vizinho bisbilhoteiro que quer roubar seu Wi-Fi.

Google Assistente e Amazon Alexa

A conta D-Link Cloud também serve para conectar o Covr 1100 a assistentes de voz. É possível utilizar a Amazon Alexa ou Google Assistente para controlar o roteador doméstico, mesmo longe de casa.

D-Link Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

D-Link Covr 1103 tem suporte a Google Assistente e Amazon Alexa (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Testei por aqui e funciona bem, mas não acredito que seja um grande diferencial e a função vai acabar esquecida com o passar tempo. A integração permite apenas ativar e desativar a rede Wi-Fi de convidados e reiniciar o roteador.

O ponto positivo é que funciona em português do Brasil, algo que não ocorre na linha Deco da TP-Link que tem compatibilidade com a Alexa. Tem quase um ano que resenhei o Deco M4 e na época a fabricante afirmou que não tinha data prevista para o lançamento da skill na Amazon.

Desempenho e sinal do D-Link Covr 1103

Com o kit Covr 1103, a D-Link promete cobertura Wi-Fi nominal até 464 m², mas essa capacidade costuma ser pensada para casas norte-americanas, com paredes de madeira ou drywall, e não se aplica tanto para as residências brasileiras, de tijolos e concretos.

Com suas três unidades, o produto conseguiu de fato levar Wi-Fi para toda a minha residência, que é grande e tem dois andares.

O melhor posicionamento que encontrei foi demonstrado na planta abaixo. O equipamento principal ficou no segundo andar, no cômodo Quarto/Escritório com indicador ilustrado em azul:

Planta da casa com localização de equipamentos

Segundo andar – unidade principal e repetidora do D-Link Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Planta da casa informando localização de equipamento

Primeiro andar – apenas unidade repetidora do D-Link Covr 1103 (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Um fato curioso é que o dispositivo do primeiro andar ficava mais próximo da copa do segundo andar, mas a conexão sempre foi feita com o roteador principal, do Quarto/Escritório. Afastei ainda mais o produto para diversos locais da casa, mas a conexão sempre foi feita com a unidade primária.

Velocidade

O Covr 1103 cobriu toda a minha casa, mas as velocidades de acesso desse kit mesh foram inferiores ao que já consegui com produtos concorrentes, como o TP-Link Deco M4 ou Huawei Wi-Fi Mesh WS5800.

O plano da minha banda larga tem 500 Mb/s de download e 250 Mb/s de upload, e o provedor costuma entregar o contratado na maior parte do tempo. Já me acostumei com o fato de que só é possível atingir toda a banda disponível no Wi-Fi apenas quando estou muito próximo do roteador, mas nem isso consegui com o Covr 1103.

Por aqui, conectado ao equipamento principal, minha velocidade máxima no Wi-Fi foi de cerca de 480 Mb/s, com média de 451 Mb/s. Essa medição foi aferida por uma transferência de arquivos entre dois computadores, ambos com armazenamento SSD e compatíveis com o padrão Wi-Fi 5.

Ao me afastar do Quarto/Escritório, o desempenho caiu ainda mais: enquanto o segundo notebook se conectava a um roteador satélite, a velocidade máxima que consegui atingir foi de 209 Mb/s. Aqui vale destacar que os resultados podem variar conforme o tipo de construção ou interferência de roteadores de vizinhos, e o desempenho pode ser melhor ou pior dependendo do local.

Você pode conferir os resultados nosso teste na tabela abaixo. Os valores estão em megabits por segundo (não confundir com megabytes por segundo):

Local Velocidade média de transferência
Ambos os laptops próximos ao Deco principal 451 Mb/s
Laptop 1 próximo ao Deco principal
Laptop 2 no quarto da direita do 2º andar, conectado a um Covr secundário
122 Mb/s
Laptop 1 próximo ao Deco principal
Laptop 2 no quarto da direita do 2º andar, conectado a um Covr secundário
122 Mb/s
Laptop 1 próximo ao Deco principal
Laptop 2 no quarto da esquerda do 2º andar, conectado ao Covr principal
227 Mb/s
Laptop 1 próximo ao Covr principal
Laptop 2 próximo ao Covr secundário do 1º andar
209 Mb/s
Laptop 1 próximo ao Deco principal
Laptop 2 na Sala de Estar
78,4 Mb/s
Laptop 1 próximo ao Deco principal
Laptop 2 no Quarto 1 do 1º andar
125 Mb/s

Vale a pena?

O D-Link Covr 1103 é um produto que promete expandir o sinal de Wi-Fi e cumpre bem esse propósito, mas quando se trata de desempenho é melhor pensar com calma para decidir se é a escolha ideal.

Caixa do D-Link Covr 1103 (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Caixa do D-Link Covr 1103 (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Para a maior parte das pessoas, que usam internet para streaming de vídeos em smart TVs, videochamadas, redes sociais e navegação na web, o Covr 1103 é mais do que o suficiente. No entanto, quem faz uso pesado da rede doméstica com transferência de arquivos e precisa baixar e enviar conteúdos de vários gigabytes na nuvem, existem outras opções mais adequadas.

As velocidades de banda larga estão ficando cada vez maiores, e é comum encontrar planos acima de 300 Mb/s. Se você mantém o preciosismo de conseguir toda a internet contratada na casa inteira, é melhor investir em algum kit mesh compatível com o novo padrão Wi-Fi 6.

Na data da publicação desse review, o D-Link Covr 1103 foi encontrado no varejo por cerca de R$ 1.000, enquanto o Covr 1103, com duas unidades, era vendido por cerca de R$ 600. Dependendo do tamanho da residência é mais vantajoso comprar dois kits do Covr 1102 para construir uma rede com quatro unidades mesh.

D-Link Covr 1103/Covr 1102 – Especificações técnicas

  • Rádio: 802.11ac Wave II (Wi-Fi 5), frequências de 2,4 GHz e 5 GHz, MU-MIMO, 2 antenas internas, compatível com EasyMesh
  • Velocidade nominal: 300 Mb/s em 2,4 GHz e 867 Mb/s em 5 GHz
  • Conectividade: IPv4, IPv6
  • Portas: 1x WAN, 1x LAN (Gigabit Ethernet)
  • Segurança: WPA2, WPA3
  • Modos de operação: Roteador (servidor DHCP), Access Point (cliente DHCP)
  • Serviços extras: Amazon Alexa, Google Assistente
  • Recursos: rede de convidados, relatórios de dispositivos, controle parental, controle de banda (QoS), Beamforming, roaming rápido, backhaul de Ethernet
  • Dimensões: 92 mm de largura, 92 mm de altura e 92 mm de profundidade (unidade)
  • Peso: 197g (unidade)

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
2 usuários participando