Início » Gadgets » Chromecast com Google TV: que bela surpresa (com 4K e controle remoto)

Chromecast com Google TV: que bela surpresa (com 4K e controle remoto)

Reproduzindo em 4K e agora com controle remoto, Chromecast com Google TV é um dongle completo com muitos acertos

Por
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

A nova geração do Google Chromecast trouxe muitas novidades. Dentre elas, podemos destacar a interface Google TV, que promete mais fluidez, e o pequeno controle remoto que enfim elimina a necessidade de usar o smartphone. Também conhecido como Chromecast 4, o dongle pode reproduzir em até 4K, traz suporte ao HDR, Dolby Vision e tem compatibilidade com o famoso assistente virtual da empresa, o Google Assistente.

O Chromecast com Google TV foi lançado em setembro de 2020, mas ainda não deu as caras no Brasil, pelo menos até a publicação deste review. Enquanto isso, o modelo de terceira geração segue disponível no mercado nacional. Nas últimas semanas, eu usei bastante o Chromecast com Google TV em português e compartilho agora a minha experiência de uso.

Análise do Chromecast com Google TV em vídeo

Aviso de ética

O Tecnoblog é um veículo jornalístico independente que ajuda as pessoas a tomarem sua próxima decisão de compra desde 2005. Nossas análises não têm intenção publicitária, por isso ressaltam os pontos positivos e negativos de cada produto. Nenhuma empresa pagou, revisou ou teve acesso antecipado a este conteúdo.

O Chromecast com Google TV foi adquirido pelo Tecnoblog no varejo. Para mais informações, acesse tecnoblog.net/etica.

Design e instalação

Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

O Chromecast de terceira geração, lançado no Brasil em 2019, era um dongle legal pela portabilidade e integração com as plataformas do Google. Mas com a concorrência se movimentando rápido — e aqui posso citar Xiaomi, Amazon e Roku —, a gigante das buscas precisava trabalhar em atualizações profundas para não ficar estagnada nesse setor.

Começando pelo design, nos últimos anos o Google manteve aquele visual sóbrio e sem graça em formato de disco ou bolacha. A nova geração ainda tem um pouco desse formato, porém traz um acabamento muito mais moderno e bonito. São três cores (branco, azul e rosa) disponíveis no mercado que ajudam a promover o aspecto clean e minimalista, e o mais legal é que o controle remoto acompanha a cor do dongle.

Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Instalar o Chromecast continua fácil e em poucos minutos ele está configurado. Tudo o que você precisa fazer é conectar o equipamento na porta HDMI da TV ou do monitor, e usar o cabo USB-A com USB-C para então ligar o dispositivo. Eu, porém, fiquei um tanto frustrado ao saber que o aparelho não consegue usar a porta USB da TV para energizar e obrigatoriamente o usuário precisa do adaptador de energia enviado na caixa. Nós ainda tínhamos tomada livre aqui, mas essa situação pode ser ainda mais frustrante para quem está limitado.

Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
App Google Home (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
App Google Home (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Após a instalação, o Google pediu para realizar a configuração e atualizar o software. Nesse período, eu posso dizer que tive uma das melhores experiências possíveis. Com o app Google Home, foi possível fazer a integração rapidamente com a minha conta Google e, em poucos minutos, ele estava pronto para uso. O device tem suporte ao Wi-Fi 802.11ac e funciona tanto em 2,4 GHz quanto em 5 GHz, e tem Bluetooth 4.1.

Controle remoto

Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Um dos principais pontos negativos dos Chromecasts passados é que eles serviam apenas para espelhar conteúdos do celular na tela grande, sem usar controle. Agora você tem um acessório bonitinho, compacto e com um aspecto futurista — confesso que é um dos controles mais bonitos que eu já vi. Mas como nem tudo é perfeito, esse belo formato exige atenção do usuário, pois perdê-lo no sofá ou em outro ambiente da casa é muito fácil.

Em comandos, você tem à disposição botões de navegação, seleção, retorno, home e os de volume que foram alocados na lateral direita para serem acionados com o polegar. Só há um atalho para streaming, que permite abrir a Netflix e outro para o YouTube. Também há um botão bem destacado para acionar o Google Assistente — falaremos sobre ele ainda neste review.

Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Donos de televisores com HDMI-CEC ainda têm outra vantagem. O controle remoto do Chromecast pode ligar e desligar a TV, o que é ótimo já que elimina a necessidade de ficar usando vários controles para cada tipo de ação. Nos testes do Tecnoblog, o acessório foi capaz até de ligar e desligar a soundbar que estava conectada à TV. Excelente trabalho!

Software: uma análise do Google TV

Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

O Google TV do Chromecast 4 é uma interface personalizada do tradicional Android TV e é um dos maiores acertos da empresa, na minha visão. Eu gosto do atual Android TV, mas devo admitir que ele não é o meu preferido e não há nada a mais que possa impressionar; é só um sistema ok. O novo software me contenta pelos menus e apps com cantos arredondados, a tela de ajustes está intuitiva com layout simplificado, e a tela inicial destaca mais o conteúdo em relação ao Android TV.

Apesar da experiência positiva, eu senti falta da personalização no Google TV, que é um dos grandes destaques do Android TV. Além disso, ele pode ser meio lento para iniciar e, em alguns momentos, o software levava até 40 segundos para abrir. Ainda assim, após a inicialização, a fluidez é formidável, com desempenho equivalente ao do Amazon Fire TV Stick 4K e do Roku Express. E um detalhe importante: nós testamos o Google TV em português do Brasil, com tudo certo.

Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

A nossa unidade já veio com YouTube, Amazon Prime Video, Apple TV, Disney+, HBO Max e Netflix. Na loja de aplicativos ainda é possível encontrar Globoplay, DirecTV Go, Star+, Paramount+, Looke, Pluto TV, Vix, Plex, Spotify, Deezer, Amazon Music, TuneIn e Tidal. Ainda que seja internacional, após a configuração, você tem acesso a um cardápio completo, com os principais aplicativos usados no Brasil.

Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

No controle do Chromecast há um microfone que pode ser acionado para interagir com o Google Assistente. A tecnologia conta com os mesmos comandos que já conhecemos do Android TV e eu posso pedir para abrir um app, para tocar uma música específica, ver a temperatura em algum lugar e outras curiosidades que você tiver. A tecnologia passou por um “redesign” no Google TV e está mais rápida e mais abrangente na tela em relação ao outro sistema. Eu gostei!

Além do controle remoto, eu também testei comandar o dongle pelo Google Nest Audio. O Assistente no equipamento de áudio foi capaz de ligar a TV e abrir alguns apps rapidamente. No entanto, pode acontecer de o dispositivo não entender ou simplesmente ignorar algum comando. Por exemplo, em um determinado momento, eu solicitei para abrir a Netflix e o Nest Audio me deixou no “vácuo”. Outra coisa que eu notei é que ele não consegue abrir a HBO Max de jeito nenhum. É uma experiência que ainda precisa de aprimoramento.

Chromecast com Google TV e Google Nest Audio (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV e Google Nest Audio (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Para concluir Google TV, o software, a meu ver, é uma grande surpresa, sendo um aperfeiçoamento decente do Android. E a grande sacada aqui foi o cuidado da empresa ao trabalhar com ícones, telas e outros elementos que tornaram o sistema muito agradável com uma navegação mais fluida. Eles estão no caminho certo.

Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Desempenho

No hardware, o Chromecast 4 é alimentado por um processador quad-core, que trabalha aliado a 2 GB de RAM. Com YouTube, Amazon Prime Video, Apple TV, Disney+, HBO Max e Netflix instalados, sobraram pouco mais de 4 GB de espaço interno, isto é, muito limitado e infelizmente eu consegui instalar poucos apps por falta de memória. Então é bom levar isso em consideração.

Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

No mais, ele tem configuração simples, nada de anormal, e aqui nós não tivemos muitos problemas com desempenho; o que mais incomodou, mesmo, foi a lerdeza ao ligar em alguns momentos. Fora isso, os aplicativos rodam bem; são inicializados rapidamente; e a navegação permanece fluida como manteiga.

Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Asphalt 8 e outros títulos só rodam com um joystick Bluetooth, então jogar com o controle remoto do Chromecast é inviável, pois a tela fica travada. Em termos de performance, o game de corrida rodou muito bem sem engasgar e não apresentou congelamento constante. Eu lembro que o Fire TV Stick era um dos dongles que melhor rodava Asphalt 8 — agora o Google entrou na briga.

Em imagem, o equipamento entrega boas tecnologias. O Chromecast com Google TV pode reproduzir em até 4K a 60 fps e suporta Dolby Vision, HDR10 e HDR10+, para imagens mais vivas e contrastadas. Para os amantes de som, como eu, o dispositivo ainda é compatível com Dolby Atmos e se você tem uma soundbar com a tecnologia, fica aqui o convite para testar com um filme com Dolby Atmos, pois a experiência é incrível.

Chromecast com Google TV: vale a pena?

Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Partindo para as considerações finais, o Chromecast com Google TV é um grande acerto do Google. As gerações passadas ficaram marcadas pela portabilidade e por serem ótimos dispositivos de streaming. Mas com Xiaomi, Amazon e Roku colocando dongles mais completos e acessíveis no mercado, estava claro que o Google precisava dar uma resposta, afinal o nome Chromecast é forte e perder essa fama não seria o ideal. Eles conseguiram dar uma resposta à altura.

Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Chromecast com Google TV (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Ainda que não tenha sido lançado no Brasil — e o Google tem sido bem lerdo para oficializar seus produtos por aqui —, o Chromecast 4 é um dos melhores dispositivos de streaming da atualidade. Ele traz um acabamento decente com belas cores, o controle é um fofura e funciona bem, enquanto o Google TV representa um belo amadurecimento do Android TV. Resolução 4K e suporte ao HDR, Dolby Vision e Dolby Atmos são outros atrativos.

O atual Chromecast só não é 100% decente porque a empresa cometeu alguns deslizes. O armazenamento interno ainda é o grande ponto negativo por ser limitado demais. A personalização da interface que eu gosto no Android TV também foi esquecida no Google TV, mas isso é só um detalhe. Definitivamente, o Chromecast é um gadget incrível.