Início » Brasil » Claro bloqueia instalação do Gmail no Galaxy Tab

Claro bloqueia instalação do Gmail no Galaxy Tab

Operadora negar impedir a adição de aplicativos.

Por
7 anos e meio atrás

Algo muito estranho vem acontecendo no tablet Samsung Galaxy Tab que a Claro vende com tanto gosto e carinho em suas lojas. O consumidor vai lá, escolhe o produto tendo em vista as vantagens do sistema Android, ou então pelo preço que a operadora anuncia mesmo. Quando chega em casa, descobre que não dá para instalar aplicativos desenvolvidos pelo próprio Google. Muito esquisito.

Há diversos relatos desse assunto na internet. Bia Kunze, especialista em dispositivos móveis e colunista do Tecnoblog, chegou a escrever no site dela sobre os “Android capados da Claro” em março de 2011. A situação parece não ter mudado muito de lá para cá.

Galaxy Tab de 8,9 polegadas listado no site da Claro

Eu fiz o teste. Peguei um Galaxy Tab recentemente comprado em uma loja da Claro no Rio de Janeiro. Vem com diversos aplicativos da operadora, inclusive um cliente de email diferente do habitual. Ao buscar pelo tradicional Gmail no Android Market do aparelho percebi que o aplicativo não aparecia listado. Motivo para investigar um tanto mais.

A segunda opção foi recorrer ao Android Market baseado na web. Ali sim o Gmail aparece como opção de download — naquele esquema de mandar fazer a instalação remotamente. Entretanto, ao clicar no botão de instalar o Market listava diversos dispositivos Androids que eu uso ou usei. O Galaxy Tab estava entre eles sem a possibilidade de instalar. Ao lado do nome do dispositivo aparecia claramente que ele estava atrelado à Claro.

O único jeito de instalar o Gmail é baixando o pacote de instalação por fontes terceiras. O que é bem difícil, ainda mais quando estamos falando de tablet. Encontra-se facilmente a versão do Gmail para smartphones, mas o mesmo não vale para o Galaxy Tab e qualquer outro aparelho similar.

Por fim, o usuário fica com um cliente de email fornecido pela própria empresa. Um aplicativo que não funciona como deveria. Por exemplo, ele não redireciona corretamente mensagens de newsletter e de propaganda, que são parte do que os usuários recebem diariamente na caixa de entrada. E outra: para quem gosta do Gmail é natural tentar instala-lo. Nem a Claro nem a Samsung são obrigadas a inserir os aplicativos do gigante da web em seus produtos, mas também não deveriam bloquear.

A Claro forneceu a seguinte resposta depois de ser questionada pelo Tecnoblog sobre o motivo pelo qual remove aplicativos do Android:

“A Claro não restringe e não impede a instalação de nenhum aplicativo nos seus aparelhos vendidos com o sistema operacional Android. Todos os serviços podem ser instalados e utilizados normalmente. O que a operadora faz é pré-configurar os telefones vendidos em seus canais de venda para que estes tenham os próprios aplicativos da operadora ou de parceiros estratégicos.”

As evidências mostram o contrário e os diversos artigos publicados em blogs e fóruns da internet idem.

Também responderam sobre o porquê de bloquear a instalação de aplicativos:

“Caso o cliente deseje instalar qualquer aplicativo da sua preferência pessoal, basta acessar a loja Android Market e baixá-lo normalmente. O usuário é totalmente livre para deixar o aparelho do jeito que ele quiser, sem nenhuma restrição da Claro.”

O Tecnoblog também entrou em contato com a Samsung. A fabricante diz que “segue a política de customização da América Móvil (dona da Claro)  para os aparelhos voltados para essa operadora”. Não responderam quando questionados sobre os termos da política de customização.

Não havia nenhum porta-voz do Google do Brasil imediatamente disponível para comentar o assunto.

Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários aqui.