Vivo é acusada de facilitar fraude em promoção de SMS

Lucas Braga
Por

A receita das operadoras com mensagens de texto cresceu muito nos últimos anos, principalmente com a chegada dos pacotes ilimitados. A Vivo fez diferente: bonificava os clientes por cada mensagem recebida. Ao perceberem uma fraude, as concorrentes resolveram prestar queixa na Anatel sobre uma possível fraude da operadora.

A promoção funciona da seguinte maneira: a cada mensagem recebida de outra operadora, o cliente participante recebe R$ 0,01 em bônus para trocar por produtos e serviços. Quando o usuário acumula R$ 100, ele opta por gastar na própria operadora ou em diversos estabelecimentos conveniados, como o Parque da Xuxa. Essa promoção faz parte do Vivo On, que é um pacote de serviços que beneficia o cliente pré-pago com minutos, mensagens e acesso à internet.

Por causa da fraude, operadoras deverão pagar quase R$ 60 milhões para a Vivo.

Entenda que, para cada mensagem enviada de uma operadora para a outra, a operadora de origem deve pagar uma taxa de interconexão pré-estabelecida pela Tia Ana (Anatel). Com isso, Claro e TIM acusam a concorrente de facilitar uma fraude – no caso são quase R$ 60 milhões.

Com as promoções de mensagens da Claro e TIM, é possível pagar uma pequena taxa de uso diário e enviar torpedos ilimitados. Entretanto, no regulamento das promoções de ambas as operadoras, o uso excessivo de SMS é proibido, com pena de bloqueio da linha.

A Folha de São Paulo constatou que, durante um mês, 17% de todas as mensagens com origem da operadora Claro foram enviadas para dez números específicos da Vivo. Desses 17%, um cliente enviou, sozinho, 1,4 milhão de mensagens para um único cliente.

A Claro manifestou sua queixa sobre o problema na Anatel. O diretor de marketing da TIM afirmou por email à Folha que “esse tipo de promoção estimula o uso fraudulento dos serviços de SMS”, e ainda alfinetou a Vivo, ao fizer que “é surpreendente que empresas de grande porte desenvolvam produtos que possam estimular fraudes”.

A Vivo afirmou que está no direito dela, já que a promoção foi aprovada pela Anatel. De qualquer forma, ambas as operadoras já bloquearam o envio de mensagens em massa para esses números.

Relacionados

Relacionados