Apple se explica sobre certificação ambiental nos Macs

Thássius Veloso
Por

Alguns sites de notícias vêm apontando desde o início dessa semana para o fim, no site da Apple nos Estados Unidos e outros mercados, das páginas específicas que mostram a conformidade dos notebooks da Apple com a EPEAT. Hoje a Apple veio a público para explicar que adota medidas para criar produtos “verde” e que segue as diretrizes do padrão Energy Star 5.2, determinado pelo governo dos EUA.

Essa situação é curiosa porque, se bem me lembro, em vários keynotes o finado Steve Jobs fazia questão de mostrar os atributos “verdes” dos produtos da Apple e ainda mostrava o selo do EPEAT. Afinal, era uma instituição importante que servia para mostrar que os Macs estavam de acordo com as melhores práticas em termos ambientais. Na última troca de linha, porém, ficou decidido que o EPEAT não mais serviria para este fim.

O site do EPEAT diz que os produtos certificados pela organização passam por processo de fabricação com menos toxinas (“como o mercúrio”) e são fáceis de reciclar. Há que afirme que o abandono do EPEAT por parte de Cupertino tem a ver com os novos MacBooks, construídos em uma peça de alumínio, com os componentes eletrônicos soldados, de um jeito que torna difícil o posterior desmonte para reciclar.

Pelo menos uma das alegações da Apple para a decisão faz muito sentido. O EPEAT desconsidera a emissão de gases que contribuem para o efeito estufa na fabricação dos produtos. A organização também não fornece certificação para celulares, smartphones e tablets.

Apple verde

A Apple mantém em seu site uma seção dedicada aos atributos “verdes” dos produtos.

Aproveitando o assunto, faço a pergunta a você, caro leitor: nas suas compras você se preocupa em verificar se os produtos estão em conformidade com as boas práticas ambientais?

Com informações: The Loop.

Relacionados

Relacionados