Arquivo Internet

Combate à pirataria pode beneficiar o próprio Google (e a Apple)

Loja Play tem tudo para aparecer na frente em resultados de busca.

Thássius Veloso
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Na sexta-feira (10) este Tecnoblog noticiou sobre a mais recente tentativa do Google no combate à pirataria. O buscador disse com todas as letras que o algoritmo de pesquisa e indexação foi modificado para posicionar páginas com conteúdo pirata abaixo daquelas que são fornecidas por empresas responsáveis, reconhecidas e que tratam de propriedade intelectual alheia conforme manda o figurino. Faltou-nos destacar que o Google pode se beneficiar (ele próprio) da modificação. Explico.

O Google detém uma loja própria com conteúdo diverso. É bem verdade que a Google Play funciona melhor para quem está nos Estados Unidos, uma vez que somente a partir de lá (e talvez de outros países cujo mercado é importante) é possível desfrutar ao máximo da Play – com aplicativos, músicas, filmes e mais. Estes são os conteúdos que podem aparecer numa posição superior a partir dessa semana, quando a modificação do algoritmo entra em ação.

Além disso, outra provável beneficiária é a Apple. Afinal, a loja iTunes traz há muitos anos últimos lançamentos musicais, filmes e séries. Trata-se de um player bem estabelecido que não teria grande problema em atrair a atenção dos robôs que vasculham a internet em busca de conteúdo. E todo mundo sabe que a Apple é séria nos contratos que firma com empresas de distribuição e conteúdo.


(Vídeo do YouTube)

O Google citou nominalmente os serviços Spotify (de música), Hulu (para assistir séries) e o site da agência de notícias NPR como páginas confiáveis que ganhariam visibilidade com as modificações do algoritmo. Nada com relação à Google Play e à iTunes.

Pode ser que o Google esteja pagando de bom moço nessa história de combater a pirataria, mas na verdade pensa em fortalecer o próprio negócio por meio da Google Play. O que você pensa sobre este assunto? Os comentários estão abertos. O lema “Don’t be evil” (Não seja malvado) da companhia continua valendo.

Thássius Veloso

Ex-editor-executivo

Thássius Veloso foi editor e editor-executivo do Tecnoblog de 2008 a 2014. Liderou o noticiário e cobriu de perto os maiores acontecimentos do mercado de eletrônicos de consumo, games e serviços. É jornalista, palestrante e apresentador de tecnologia na rádio CBN e no canal de TV por assinatura GloboNews.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque