Arquivo Brasil

Estádios terão Wi-Fi grátis durante a Copa do Mundo

Paulo Higa
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Muitos que foram assistir aos jogos da Copa das Confederações, inclusive este que vos escreve, relataram dificuldades para acessar a rede de dados das operadoras. Mesmo com as tentativas em melhorar a infraestrutura nos estádios, ligações não completadas e falhas no 3G foram frequentes. Para solucionar esse problema, os doze estádios da Copa do Mundo terão redes Wi-Fi gratuitas durante os jogos, fornecidas pelas operadoras.

Com o Wi-Fi gratuito nos estádios, as redes 3G e 4G das operadoras devem ficar menos congestionadas. O diretor executivo do Sinditelebrasil, Eduardo Levy, estima que entre 30% e 40% do tráfego de dados seja feito por Wi-Fi. Ao Estadão, ele diz: “Em situações de alta concentração de pessoas, sempre existe um limite físico de banda disponível, que poderá ser solucionado pelo Wi-Fi”.

Mas as operadoras não instalaram equipamentos para reforçar a rede de dados? A resposta é sim: mais de 700 pequenas antenas foram instaladas nos seis estádios da Copa das Confederações.

Entretanto, Levy afirma que faltou tempo para fazer todos os testes necessários. De acordo com o executivo, instalar tudo em 47 dias no Estádio do Maracanã foi “um desafio e tanto”. Segundo ele, seriam necessários no mínimo 120 dias para posicionar melhor os equipamentos e fazer testes para reduzir interferências.

estadio-nacional-brasilia-xperia-sp

De acordo com um relatório do Sinditelebrasil, a porcentagem de ligações não completadas ficaram dentro de um nível “aceitável”. Em média, 2% falharam. Na final entre Brasil e Espanha, no Maracanã, esse índice subiu para 5%. A maior parte dos problemas aconteceu antes e depois do jogo: nesses períodos, as pessoas costumam ligar para parentes ou enviar SMS.

Não efetuei ligações no jogo entre Brasil e Japão, no Estádio Nacional de Brasília, mas usei a rede de dados. Era impossível fazer qualquer coisa no 3G, mas a rede 4G funcionava de maneira espetacular, atingindo picos de 60 Mb/s. Isso, claro, aconteceu porque ainda há poucos aparelhos compatíveis com o 4G brasileiro. Na Copa do Mundo, mais pessoas terão smartphones 4G, e aí é bem provável que tudo fique congestionado se o Wi-Fi gratuito não funcionar a contento.

No Estadão há alguns números interessantes sobre a telefonia móvel nos jogos da Copa das Confederações: foram 1,7 milhão de ligações (média de 2,2 minutos por chamada) e 4,6 milhões de comunicações de redes 3G ou 4G (média de 0,5 MB de dados trafegados). Na final, houve 88 mil comunicações através da rede 4G, apenas 18% do volume trafegado no 3G.

Com informações: Estadão.

Paulo Higa

Editor-executivo

Paulo Higa é jornalista, com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. Trabalha no Tecnoblog desde 2012, viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. É coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque