Netflix e Amazon estão aí para provar que produções próprias têm grande chance de sucesso. Não à toa, a BitTorrent Inc. quer trilhar um caminho semelhante: a companhia fechou uma parceria com a produtora Rapid Eye Studios para criar e distribuir conteúdo sob a marca BitTorrent Originals.

Children of The Machine

Nesta fase inicial, a empresa estará focada em produções para o público com idade entre 14 e 25 anos, a faixa etária que mais utiliza torrents.

O conteúdo produzido será distribuído via BitTorrent Bundle. Criada em 2013, esta plataforma disponibiliza para download materiais gratuitos (como uma música), mas dá ao distribuidor a opção de oferecer conteúdo mais abrangente (um álbum inteiro, por exemplo) mediante cobrança. Tudo de maneira legal, convém frisar.

Ficando de 30 a 60 dias no BitTorrent Bundle, a produção poderá ser distribuída posteriormente em outros meios, incluindo serviços de streaming. Isso significa que a empresa está disposta a apoiar outras produtoras interessadas na ideia.

No caso das produções BitTorrent Originals, haverá duas formas de distribuição: a primeira será gratuita, mas exibirá anúncios; a segunda será livre de publicidade, mas custará US$ 9,95 por temporada ou pacote.

Pelo menos este será o esquema de remuneração da série de ficção científica Children of The Machine, a primeira a fazer parte do projeto. A temporada inicial terá oito episódios de 60 minutos que começam a ser gravados neste semestre. A distribuição via BitTorrent Bundle deve ser feita no final do ano.

Os produtores ficarão com 90% do montante arrecadado; a BitTorrent Inc. receberá os 10% restantes para comissão e cobertura dos gastos com marketing.

Esta é, certamente, uma ótima forma de repelir o estigma de pirataria que a empresa carrega por causa do protocolo que leva o seu nome.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados