Metrô precisa mesmo de sinal de celular?

Londrinos ainda não sabem se querem falar ao celular enquanto estão no transporte coletivo. Rio de Janeiro e São Paulo já contam com o serviço.

Thássius Veloso
Por

É curioso como, de tempos em tempos, certas discussões voltam a participar do meio social. Pondo as teorias da Comunicação de lado, o ponto é que os britânicos reiniciaram uma velha polêmica sobre a implementação do sinal de celular dentro dos túneis do metrô de Londres. Chegou a hora de falar ao telefone enquanto usa um dos transportes coletivos mais eficientes do mundo?

Dois sites fizeram uma mesma pesquisa, questionando se os britânicos têm interesse em usar o celular no metrô. Os resultados, porém, só ajudaram a embolar ainda mais o meio de campo. Temos a pesquisa do Good Mobile Phones, que diz que ¾ dos ingleses são contrários à ideia de ter sinal de celular lá debaixo da terra.

Já o Broadband Expert, que conduziu pesquisa bastante similar, afirma categoricamente que “cerca de” 70% dos entrevistados (moradores da cidade, obviamente) disseram ser a favor do celular no metrô. Não é surpresa alguma tomar conhecimento de que os mais velhos foram os que mais disseram não para a pesquisa (acima dos 55 anos), enquanto os jovens com 16 a 17 anos foram os que mais responderam sim.

Metrô de Londres não conta com rede subterrânea de celular

No meio desse furacão está a chinesa Huawei, uma gigante do mundo das telecomunicações. Ela se comprometeu a pagar do próprio bolso algo próximo de 50 milhões de libras para instalar a rede subterrânea de celular. Para você ter uma ideia, seria um investimento na casa dos R$ 135 milhões até os Jogos Olímpicos do ano que vem.

Claro que a fabricante não se propôs a isso por que é boazinha. Muito pelo contrário, os 50 milhões de libras seriam bem recompensados depois que a rede estivesse pronta, pois as operadoras de telefonia celular teriam que pagar para usar essa infraestrutura.

Veja só, pelo menos nisso nós não estamos atrasados. Enquanto os ingleses discutem o sinal de celular no metrô londrino, a cobertura de telefonia no metrô do meu Rio de Janeiro é uma realidade faz tempo (até porque diversas estações são na superfície, o que facilita muito).

Um consórcio paulistano também iniciou faz tempo a instalação da rede de telefonia no metrô de São Paulo. Pelo menos a linha 2-Verde — a que eu mais uso — conta com uma boa cobertura de celular, tanto para conversação como para uso do 3G.

É, nessa os ingleses ficaram para trás.

O que você acha do assunto? Celular no metrô é uma chateação sem tamanho ou inevitável e fruto da vida moderna, cada vez mais conectada?

Com informações: The Telegraph, Broadband Expert.