Planet Coaster reacendeu minha paixão por simuladores de parque de diversão

Com mecânicas de construção e gerenciamento minuciosas, Planet Coaster é uma verdadeira máquina de transformar sonhos em realidade

Murilo Tunholi
Por
Planet Coaster (Imagem: Divulgação/Frontier)
Planet Coaster (Imagem: Divulgação/Frontier)

Planet Coaster foi um verdadeiro achado na minha vida. Por muitos anos, aguardei a chegada de um simulador de parque de diversões tão bom quanto o clássico RollerCoaster Tycoon 2, mas parecia uma missão impossível. Em 2016, a Frontier apostou nesse gênero que estava mal servido desde 2002 — e deu muito certo. Vem comigo que vou te contar porque Planet Coaster tem um lugar especial no meu coração.

RollerCoaster Tycoon fez parte da minha infância

Eu cresci com a franquia RollerCoaster Tycoon. Os simuladores de parque de diversão tiveram papel importantíssimo no meu processo de descoberta dos videogames. Lembro com detalhes do meu primeiro desktop, um Compaq Presario 7476, cuja principal função era rodar jogos de CD-ROM do início dos anos 2000. Era fácil passar horas montando meu parque dos sonhos ali.

RollerCoaster Tycoon 2, em específico, deve ter ocupado pelo menos 500 horas da minha vida até hoje. Contudo, chegou um momento em que, apesar de divertido, o jogo ficou datado. Por mais que exista um mod que “revive” o game — o OpenRCT2 —, não é a mesma coisa do que ter algo inédito para jogar, com gráficos melhores e mecânicas diferentes.

RollerCoaster Tycoon 2 (Imagem: Divulgação/Atari)
RollerCoaster Tycoon 2 (Imagem: Divulgação/Atari)

Quando RollerCoaster Tycoon 3 saiu, em 2004, fiquei bastante animado com introdução de gráficos em 3D e câmera com movimentação livre. No quesito diversão, porém, o game não entregou uma experiência tão bacana quanto o seu antecessor. Desde então, não havia surgido jogos que revivessem a magia dos simuladores de parque de diversão, pelo menos até a estreia de Planet Coaster.

Sem fazer muito alarde, a Frontier Developments, que trabalhou em RollerCoaster Tycoon 2 e 3, resolveu encerrar a parceria com a Atari e lançar o seu próprio jogo. O objetivo era criar o simulador definitivo, que juntasse os melhores recursos tanto de gerenciamento quanto de construção da franquia em um único lugar. Assim surgiu Planet Coaster.

Planet Coaster é uma máquina de criar sonhos

Planet Coaster (Imagem: Divulgação/Frontier)
Planet Coaster (Imagem: Divulgação/Frontier)

Gosto de definir Planet Coaster como uma máquina de criar sonhos. Os recursos de construção são muito variados, com opções de definir a mínima angulação das paredes de uma lanchonete, por exemplo. Pessoalmente, amo passar horas construindo montanhas-russas, e sempre me surpreendo com a quantidade de ferramentas disponíveis para criar os brinquedos mais loucos.

Além de permitir criar atrações surpreendentes, o simulador não deixa a desejar no quesito gerenciamento. Saber gerenciar os recursos financeiros do seu parque, assim como a felicidade dos visitantes, é tão importante — e divertido — quanto construir brinquedos e decorar a paisagem. Afinal, clientes infelizes não retornam, e você entra em falência.

Essas mecânicas incríveis, entretanto, têm um lado negativo. Apesar de permitir a criação de sonhos, a máquina de Planet Coaster é difícil de operar, principalmente se você for iniciante em simuladores. Há muita coisa para aprender e prestar atenção ao mesmo tempo, desde os comandos de construção até as funções de gestão financeira.

A parte do gerenciamento do parque ainda é um pouco mais simples, mas as ferramentas de construção são bem difíceis de usar. Eu, que já tinha experiência de outros simuladores, demorei para entender a importância das mecânicas das montanhas-russas, como ângulo dos trilhos, aceleração, velocidade, tração e força centrípeta, por exemplo.

Planet Coaster (Imagem: Divulgação/Frontier)
Planet Coaster (Imagem: Divulgação/Frontier)

Tudo isso influencia bastante na diversão dos visitantes. A boa notícia é que Planet Coaster oferece brinquedos prontos, padrões e outros recursos que facilitam a vida dos iniciantes. Dá para finalizar o modo carreira tranquilamente, sem se preocupar em pegar um diploma de bacharelado em Física ao longo do caminho.

Para quem gosta de passar horas brincando no modo de Caixa de Areia, Planet Coaster é um prato cheio. Eu mesmo posso ficar um dia inteiro mexendo nos meus parques e relaxando no processo. A trilha sonora acústica, aliada ao visual carismático, deixa a experiência ainda mais gostosa. É uma pena que não seja possível transferir meus parques para o mundo real.

Planet Coaster é tudo que eu queria e mais um pouco

Planet Coaster (Imagem: Divulgação/Frontier)
Planet Coaster (Imagem: Divulgação/Frontier)

Planet Coaster reacendeu minha paixão por simuladores de parque de diversão, que estava apagada desde RollerCoaster Tycoon 2. Ainda pretendo investir muitas horas na criação dos meus parques, porque não tem nada que me deixa mais feliz do que ver minha imaginação tomando forma.

Agora, minha missão é tentar me aventurar mais em Cities Skylines para ver se a chama por simuladores de cidade também volta a arder. Por enquanto, Sim City 4 segue imbatível no topo do meu ranking.

Para quem quiser experimentar Planet Coaster, o jogo está disponível para PC. Há também uma versão adaptada para consoles que roda no PS4, PS5, Xbox One e Xbox Series X|S.

Você, leitor, já jogou Planet Coaster ou algum outro simulador? Compartilha sua história com a gente na Comunidade do Tecnoblog!

Relacionados

Relacionados