A terceira geração do Apple Watch estreou em vários países, e como é de costume, o pessoal do iFixit desmontou o relógio para saber exatamente o que há dentro dele, e se é fácil consertá-lo.

Os componentes do Apple Watch Series 3 não mudaram drasticamente em relação ao antecessor. A novidade mais visível está nos chips de radiofrequência para o 4G; e agora a tela funciona como uma antena. (A Apple admitiu que o relógio está tendo problemas de conectividade, e que vai resolvê-los em “uma futura versão de software”.)

O iFixit não conseguiu descobrir quem fabricou esses chips 4G. Pode ser a Intel, visto que a Apple está envolvida em várias disputas com a Qualcomm.

A bateria agora é de 279 mAh, um aumento de 4% em relação ao Series 2 e 32% se comparado ao Apple Watch original. O Series 3 é 0,25 mm mais grosso que seu antecessor, e tem autonomia de 18 horas com uso misto de 4G, Bluetooth e Wi-Fi.

Além disso, temos um processador dual-core e um chip W2 para conectividade Bluetooth e Wi-Fi. A saída de ar foi movida para a parte inferior do dispositivo, ao lado da porta de diagnóstico.

O Apple Watch Series 3 obteve nota 6 de 10 em reparabilidade. Ele foi lançado por US$ 329 na versão Wi-Fi, e por US$ 399 na versão com 4G; e ainda não chegou oficialmente ao Brasil.

Com informações: iFixit, SlashGear, Mashable.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Ventura

Felipe Ventura

Editor

Felipe Ventura fez graduação em Economia pela FEA-USP, e trabalha com jornalismo desde 2009. Começou no TB em 2017 como editor de notícias, ajudando a cobrir os principais fatos de tecnologia, e hoje coordena um time de editores-assistentes e a rotina das editorias. Sua paixão pela comunicação começou em um estágio na editora Axel Springer na Alemanha. Foi repórter e editor-assistente no Gizmodo Brasil.

Relacionados