Início / Notícias / Internet /

China tenta conter críticas sobre coronavírus nas redes sociais

Autoridades estariam tentando evitar que coronavírus motive críticas ao governo da China

Por

O coronavírus Covid-19 tem potencial para atingir o mundo todo, mas a China continua sendo a principal área de proliferação do vírus. É por isso que o governo chinês estaria tentando amenizar os estragos, só que de um modo bastante controverso: monitorando o compartilhamento de informações sobre o assunto nas redes sociais.

Mulheres com máscara na China (Foto: Felix Wong/SCMPO)

A informação vem da Vice, que afirma que o governo chinês está “caçando” cidadãos chineses que usam redes sociais e serviços de mensagens para publicar informações sobre o coronavírus Covid-19.

O texto começa relatando o caso de um empresário de 28 anos que vive em Wuhan e, ao chegar aos Estados Unidos em janeiro para passar férias, começou a se preocupar com a possibilidade de os seus familiares que ficaram na China não estarem recebendo informações a respeito do surto.

Ao usar o WeChat (serviço de mensagens instantâneas bastante popular na China) para compartilhar informações sobre o coronavírus com a sua família, o empresário passou a receber mensagens de quatro amigos pedindo a localização dele nos Estados Unidos.

Ele não passou a localização e, por conta disso, os seus contatos começaram a pedir que ele voltasse o quanto antes para a China. O empresário acredita que seus amigos foram coagidos pelo governo chinês a pressioná-lo para revelar a sua localização como parte de um esforço para “silenciar” pessoas que compartilham informações sobre o coronavírus.

Até redes sociais estrangeiras estariam sendo monitoradas, como o Twitter: o serviço é bloqueado na China, mas pode ser acessado por VPNs ou chineses em viagens internacionais.

Apple Store em Xangai (Foto: Reuters)

Na reportagem da Vice, há o relato de um chinês que publicou no Twitter uma crítica sobre a a atuação demorada do governo da China contra o surto de coronavírus e, dias depois, foi localizado por autoridades locais que disseram que o seu conteúdo — agora removido — atacava o Partido Comunista da China.

Que o governo chinês atua com censura na internet não é novidade. Mas, com relação ao coronavírus, o contexto é diferente do habitual: a ONG GreatFire.org, que monitora a censura online da China, explica que as autoridades chinesas reconhecem a importância de informações sobre o vírus serem compartilhadas, mas ao mesmo tempo tentam evitar que o assunto resulte em críticas ao governo.

“As autoridades estão lutando para descobrir o que deve ser censurado ou não”, finaliza a ONG.

Apesar de a maior parte das vítimas do coronavírus Covid-19 estar na China, a propagação do vírus em outros países avança. Nesta semana, a Organização Mundial da Saúde chegou a alertar para o risco de pandemia.