Linus Torvalds rejeita correção “estúpida” da Amazon para Linux

Para Linus Torvalds, correção para bug apresentada por engenheiros do AWS pode prejudicar desempenho do Linux

Emerson Alecrim
Por

Linus Torvalds é conhecido por não economizar palavras quando está contrariado. No episódio mais recente, ele rejeitou uma correção desenvolvida por um engenheiro do Amazon Web Services (AWS) para o Linux por considerá-la uma grande estupidez.

Computador Lenovo com Ubuntu Linux

No início do ano, Pawel Wieczorkiewicz, engenheiro do AWS, descobriu que é possível vazar dados do cache LD1 de determinados processadores Intel Core e Xeon a partir da exploração de um método de bus snooping — o truque consiste, essencialmente, em monitorar o cache para fazer uma captura de dados quando houver mudança nas informações existentes ali.

Algum tempo depois da divulgação da falha — que foi identificada como CVE-2020-0550 — Balbir Singh, também engenheiro do AWS, propôs uma correção para Linux que permite a softwares limpar o L1D assim que uma tarefa for finalizada para evitar que dados sejam vazados após uma mudança de contexto no cache.

O patch com esse recurso foi adicionado ao Linux 5.8. Porém, após revisão do código do kernel, Linus Torvalds resolveu tirá-lo de lá. Para ele, essa é uma solução “estúpida”, pois pode afetar o desempenho do sistema.

“Parece que isso basicamente exporta instruções de liberação de cache para o espaço do usuário e dá aos processos um jeito de dizer ‘desacelere qualquer outra coisa que eu agendar junto'”, explicou Torvalds.

Linus Torvalds

Linus Torvalds

Em outras palavras, o patch pode até ter algum efeito protetor sobre os dados do cache, mas permite que o software que faz uso dessa instrução degrade o desempenho da CPU para outros aplicativos. Isso porque, presumivelmente, a limpeza do cache pode remover dali dados de outros processos.

Essa discussão ilustra o quão difícil é para os mantenedores do kernel tratar de bugs relacionados a processadores. Não raramente, os “efeitos colaterais” podem inviabilizar as soluções propostas. De todo modo, o patch poderá ser aplicado ao Linux se os engenheiros do AWS puderem convencer Torvalds de que a correção apresentada realmente tem valor.

Com informações: The Register, ZDNet.

Relacionados

Relacionados