Início / Notícias / Finanças /

Inter e Nubank bloqueiam Pix para Binance? Clientes reclamam, mas bancos negam

Múltiplos clientes do Inter reclamam que o banco está bloqueando transações via Pix para a Binance; outros usuários relatam que cartão Nubank recusa compras na corretora

Bruno Ignacio

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Desde a semana passada, diversos usuários do Banco Inter estão relatando dificuldades para realizar transferências via Pix para a corretora de criptomoedas Binance. Clientes do Nubank também vêm relatando nas redes problemas similares, mas focados principalmente na recusa de compras de criptoativos com o cartão de crédito. No entanto, ambos os bancos disseram que não aplicaram restrições contra a corretora.

Ícone de aplicativo do Banco Inter
Ícone de aplicativo do Banco Inter (Imagem: Divulgação/Inter)

Nas redes sociais, múltiplos clientes do Inter afirmam que, ao tentar realizar um Pix para a Binance, uma das operações que permite ao usuário adicionar dinheiro à sua conta da corretora com a finalidade de negociar criptoativos, recebem o erro “COD.PIXP62”. O código aparece quando não é possível processar o pedido do usuário.

O problema parece estar concentrado no Inter. Outros bancos, como o Itaú, Bradesco e Santander enviam Pix normalmente para a Binance.

Poucos clientes do Nubank também relataram dificuldades em realizar Pix para a Binance, mas o principal problema entre o banco digital e a exchange está nas compras com cartão de crédito.

A corretora permite comprar criptoativos, como bitcoin (BTC) e ether (ETH), através desse meio de pagamento. No entanto, clientes já vêm reclamando há semanas que o Nubank não está autorizando a transação via cartão na Binance. A vasta maioria de outros cartões de crédito não apresentam o mesmo problema.

Inter vem bloqueando Pix para Binance

No Reclame Aqui, há uma enxurrada de reclamações de clientes do Banco Inter, todos dizendo a mesma coisa: “Não consigo realizar Pix do Inter para a Binance”.

Clientes do Banco Inter reportam bloqueio de Pix para Binance no Reclame Aqui (Imagem: Reprodução)
Clientes do Banco Inter reportam bloqueio de Pix para Binance no Reclame Aqui (Imagem: Reprodução)

Em uma delas, um usuário explicou que, no dia 11/02, tentou fazer um Pix para a corretora e o Inter não permitiu. “Além de tudo, bloqueou os meus limites por 24 horas. Que tipo de palhaçada e essa? O Inter quer me dizer o que eu faço com o meu dinheiro? Isso é um absurdo”, reclamou o cliente.

O banco digital respondeu o usuário da seguinte forma:

“Ressaltamos que essa conta está indisponível para fazer transações e não será possível concluir o envio do Pix aqui pelo Inter. Ao tentar fazer essa operação, seus limites diários de transações foram zerados por 24 horas. Sendo assim, oriento que não tente refazer o Pix para esse destinatário, para que os seus limites não sejam reduzidos novamente.”

No entanto, o Inter não deu mais detalhes, afirmando que “por questões de sigilo bancário”, não se tem acesso aos motivos do bloqueio dessa transação. Por mais que existam casos mais isolados de clientes do Nubank reclamando do mesmo problema com o Pix, o transtorno ocorre majoritariamente no Inter. Até o momento, não houve relatos de bloqueios de transações para a Binance por nenhum outro banco.

Não há bloqueio e serviço está disponível, diz o Inter

O Tecnoblog buscou um posicionamento do banco digital sobre o problema amplamente relatada por seus clientes nos últimos dias. Oficialmente, o Banco Inter declarou que não aplicou nenhum bloqueio contra a corretora:

“O Inter informa que o serviço está disponível para seus clientes. A instituição reforça ainda que o bloqueio de movimentações atípicas é feito de forma pontual, seguindo todas as regras de segurança.”

Até o fechamento desta matéria, o banco digital não deu mais respostas sobre os bloqueios de Pix relatados.

Cartão Nubank tem sistema “preventivo anti-fraude”

Cartão do Nubank (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)
Cartão do Nubank (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

O Nubank também foi questionado. Em comunicado compartilhado com o Tecnoblog, a fintech explicou que há um sistema preventivo aplicados em compras de cartão de crédito em alguns estabelecimentos. O banco digital também destacou que esse mecanismo automatizado não se aplica somente à Binance ou foca em operações relacionadas a criptoativos.

“O Nubank esclarece que a ação de segurança faz parte de um mecanismo preventivo anti-fraude aplicado em compras de cartão de crédito a determinados estabelecimentos. Não há qualquer relação com um segmento de mercado, produto ou serviço em particular. Enfatizamos, inclusive, nosso entusiasmo com tecnologias disruptivas capazes de atender as necessidades dos clientes, como tem se apresentado o universo das criptomoedas, uma tendência global.”

Sobre os relatos de bloqueios de Pix para a Binance relatados por alguns clientes do Nubank, todos parecem ser casos isolados.

“O Nubank informa também que não há política de bloqueio de transações via Pix para o referido estabelecimento e as operações seguem funcionando normalmente. Em respeito à privacidade dos clientes e ao sigilo bancário, não comentamos casos específicos. No caso de haver qualquer dúvida adicional, além das já esclarecidas pelo nosso time de atendimento, orientamos o cliente a entrar em contato com o estabelecimento.”

Rumores sugerem que bloqueio partiu da CVM

Com muitas reclamações e poucas respostas, rumores surgiram nas redes sociais que o bloqueio de Pix para a Binance teria partido da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) por ela, supostamente, não ter autorização no Brasil para negociar ativos mobiliários. No entanto, essa informação é falsa.

Criptomoedas não são reguladas na maioria dos países (Imagem: Executium/ Unsplash)
Binance foi acusada de não possuir autorização para atuar com ativos mobiliários (Imagem: Executium/ Unsplash)

Procurada pelo Tecnoblog, a CVM não comentou o caso. No entanto, como órgão regulador, a Comissão não têm competências jurídicas para aplicar qualquer restrição. Na realidade, a entidade atua como mediadora, encaminhando as devidas denúncias, se assim cabíveis, ao Banco Central para irregularidades ou ao Ministério Público se houver a suspeita de crime contra a economia popular.

Por mais que falso, o rumor partiu de um fato concreto. Em março de 2021, a Associação Brasileira de Criptoeconomia (ABCripto) acionou o Banco Central, o Ministério Público Federal e a Comissão de Valores Mobiliários para que apurassem possíveis atuações irregulares da Binance no Brasil. No entanto, nenhuma decisão foi tomada até o momento.

O Tecnoblog também procurou o Banco Central e o MPF para consultar o status do processo, mas não obteve respostas até o fechamento desta matéria. De qualquer maneira, nenhum deles comenta sobre investigações em andamento.

No entanto, o BC pontuou:

“Ao atuar como usuário final, ou seja, na situação em que a Binance possui conta em uma instituição participante do Pix, tal conta pode ser usada para enviar ou receber Pix. Nessa hipótese, cabe aos participantes Pix envolvidos, seja como instituição do usuário pagador ou recebedor, aceitar ou rejeitar as transações, nos termos do Regulamento do Pix (Regulamento anexo à Resolução BCB nº 1/2020).”