C6 Bank vê receita aumentar, mas fecha ano com prejuízo de R$ 692 milhões

C6 Bank encerrou 2021 com prejuízo quase 15% maior na comparação com 2020, apesar de registrar aumento de receita

Emerson Alecrim
Por

Muitos bancos digitais ainda não encontraram o caminho do lucro. É o caso do C6 Bank. Divulgadas nesta semana, as últimas demonstrações financeiras do banco apontam para um prejuízo líquido de R$ 692 milhões no encerramento de 2021. Trata-se de um acumulado quase 15% maior do que o registrado em 2020.

Prédio do C6 Bank (imagem: divulgação/C6 Bank)
Prédio do C6 Bank (imagem: divulgação/C6 Bank)

Quando observamos os números do relatório financeiro, o prejuízo causa certo espanto. A receita do C6 Bank com prestação de serviços, por exemplo, ficou em R$ 392 milhões; no fim de 2020, esse montante era de R$ 129 milhões.

Se olharmos para a receita de intermediação financeira, que indica a arrecadação do banco com operações de câmbio, crédito, títulos e valores mobiliários, entre outros, o valor registrado foi de R$ 906 milhões, total quase seis vezes maior na comparação com 2020.

De onde vem o prejuízo, então? Nas demonstrações financeiras, o C6 Bank afirma apenas que o resultado é “decorrente de investimentos para evolução de sua estrutura operacional”. Esse foi o mesmo argumento dado pela empresa para justificar o prejuízo registrado no ano anterior.

As causas do prejuízo podem não ter sido detalhadas, mas o documento revela que, em 2021, o banco gastou quase R$ 400 milhões com pessoal — se somados todos os seus negócios, a empresa encerrou o ano passado com cerca de 2.500 funcionários — e mais de R$ 1 bilhão com despesas administrativas.

O prejuízo por ação no encerramento de 2021 ficou em R$ 0,63.

Prejuízo também com consignado

O C6 Bank não é uma instituição única, mas um grupo de empresas. Uma delas é o C6 Consignado (C6 Consig), braço que, como o nome sugere, oferece empréstimos para servidores públicos, aposentados e pensionistas do INSS com desconto de parcelas no salário ou benefício.

Pois bem, essa divisão também teve prejuízo. O C6 Consignado encerrou 2021 com um volume de R$ 7,5 bilhões em operações de crédito, mais que o dobro do montante registrado no final de 2020 (R$ 3,5 bilhões). Porém, o prejuízo ficou em R$ 77 milhões.

Nas palavras da instituição, esse cenário é decorrente “de despesas operacionais e administrativas para evolução de sua estrutura operacional”.

Presente e futuro do C6 Bank

Números negativos sempre causam desconfiança, mas existe algum otimismo com relação aos dias atuais e os próximos meses do banco. Primeiro porque o banco JPMorgan Chase obteve, no início de fevereiro, aprovação de órgãos regulatórios para comprar 40% de participação no C6 Bank.

Na mesma época, o C6 Bank foi capitalizado em R$ 3,6 bilhões, valor que, se aprovado pelo Banco Central, dará mais “gás” para as suas operações.

Relacionados

Relacionados