Notícias Gadgets

Alexa consegue imitar a voz de parentes falecidos

Função experimental foi apresentada pela Amazon, mas ainda não há indicação de que chegará ao público

Ricardo Syozi
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Por mais estranho que isso possa parecer, a Amazon apresentou um recurso que faz com que a sua assistente virtual imite vozes de pessoas que já faleceram. A demonstração dessa função foi feita por Rohit Prasad, cientista-chefe para Alexa IA da empresa. Ela ocorreu durante a conferência anual MARS e deixou muitas pessoas com a cabeça coçando.

Amazon Echo Dot com relógio - Review
Alexa no Amazon Echo Dot (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Mesmo que a IA não pode eliminar a dor de perda, ela pode definitivamente fazer suas memórias durarem.

Rohit Prasad

Com essas palavras, o cientista-chefe da companhia deu início a uma demonstração que pode até parecer surreal. O vídeo mostra um garotinho pedindo para a Alexa ler o livro “O Mágico de Oz” na voz de sua falecida avó. Algo que a IA consegue fazer com grande facilidade.

A exibição do material dura pouco tempo, mas consegue atiçar a curiosidade e vários outros sentimentos por parte de qualquer espectador. Assim, Rohit Prasad ressalta que ter atributos humanos na Alexa e em outras inteligências artificiais é importante, ainda mais em épocas de pandemia, pois muitos perderam alguém que amam.

Segundo a apresentação, os sistemas da IA conseguem aprender a imitar a voz de um indivíduo com apenas um minuto de áudio gravado. Ou seja, não seria nada complicado para uma pessoa fazer diferentes usos para uma mensagem de voz, seja de alguém falecido ou não.

Por outro lado, a Amazon não confirmou em momento algum se essa função será disponibilizada para os usuários. Pode ser algo focado em testes ou para ser usado em outras ferramentas da Alexa, por exemplo. Nesse caso, vamos precisar aguardar por novidades.

Recurso da Alexa é controverso, mas também é comum

Se você se sentiu desconfortável com a ideia de usar a sua assistente virtual para ouvir a voz de algum parente que faleceu, não se preocupe. Este é um sentimento compreensível, assim como qualquer outro relacionado a essa informação.

Porém, esse tipo de recurso é algo muito mais comum do que parece. Indústrias como a de videogames e do cinema fazem uso do chamado “audio deepfakes” há bastante tempo.

No geral, podemos resumir isso como o ato de gerar uma voz sintética através de uma IA.

Dessa forma, diversos aplicativos como o Resemble, o ReSpeecher e o iSpeech, conseguem clonar vozes de qualquer pessoa em minutos de gravação. A utilidade disso é variada, mas comumente é usada para ficção e brincadeiras nas mãos de usuários comuns.

A grande diferença é que a Amazon tem grande popularidade, o que a faz ditar as regras no quesito tecnologia.

O que você acha dessa função da Alexa? Conta para gente!

Com informações: AWS Events.

Ricardo Syozi

Ricardo Syozi é jornalista apaixonado por tecnologia e especializado em games atuais e retrôs. Já escreveu para veículos como Nintendo World, WarpZone, MSN Jogos, Editora Europa e VGDB. Possui ampla experiência na cobertura de eventos, entrevistas, análises e produção de conteúdos no geral. Entrou para o Tecnoblog em 2021.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque