Elon Musk não quer que verificados usem o nome Elon Musk no Twitter

CEO da plataforma não gostou das brincadeiras feitas com seu nome e inventou uma nova regra entre um tuíte e outro; comediantes e outros foram suspensos

Ricardo Syozi
Por

O novo dono do Twitter anunciou no começo de novembro que passará a cobrar U$ 8 para oferecer o selo de verificação para qualquer usuário. A partir daí, algumas pessoas que já possuem o símbolo azul decidiram provar o quão complexo é esse tipo de autenticação. Sendo assim, muitos mudaram seus nomes para “Elon Musk” e fizeram postagens curiosas, algo que não agradou ao Elon Musk verdadeiro.

Elon Musk
Elon Musk (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Após finalizar a compra da rede social do passarinho, o CEO da Tesla criou um post afirmando estar trazendo o “poder de volta para o povo”. Ou seja, estaria garantindo a liberdade de expressão para qualquer usuário da plataforma.

Entretanto, essa “liberdade” não durou muito.

Diversas pessoas, de comediantes a personalidades do esporte, decidiram alterar seus nomes para “Elon Musk” e adicionar uma foto de perfil condizente. Por terem o selo de verificado, ficou mais difícil para muitos seguidores notarem que não se tratava realmente do famoso empresário.

Não demorou nada para isso incomodar o verdadeiro Elon Musk.

Nas palavras do CEO:

Daqui para frente, qualquer personificação no Twitter sem especificar claramente “paródia” será permanentemente suspensa.

Ele continua os tuítes dizendo que antes, a plataforma dava um aviso antes da suspensão, mas como agora estão oferecendo o selo de verificação mais facilmente, nenhum alerta será dado. Por fim, Musk ressalta que qualquer mudança de nome em contas verificadas vai resultar em perda temporária do selo.

É claro que os perfis que fizeram as brincadeiras foram suspensos.

Twitter muda regras antes da formação de conselho de moderação

O CEO da Tesla havia afirmado que nenhuma grande decisão sobre os conteúdos na plataforma seria tomada antes da formação de um conselho que votaria sobre esse tipo de assunto. No entanto, a nova regra sobre a personificação de indivíduos e o selo de verificado foi definida unicamente por ele.

Atualmente, os termos de serviço do Twitter têm regras sobre perfis de “paródias, comentários e contas de fãs”. Porém, as novas normas que Elon Musk divulgou ainda não constam na lista padrão que o usuário deve ler antes de ingressar na rede social.

Isso deixa a situação ainda mais curiosa, pois o fundador da SpaceX havia feito uma postagem com os dizeres: “Legalize a comédia”. Além disso, ele se autodenominou um “absolutista da liberdade de expressão”.

Contudo, após algumas piadas com seu nome e rosto, ele decidiu que a comédia só é legal quando ele a achar engraçada.

Compra de selo de verificação ainda deve dar dor de cabeça

Previamente, a aquisição do desejado selo de verificado no Twitter era algo que o usuário conquistava. Além de provar que a pessoa era realmente a dona do perfil, o foco era o de dar aos seguidores uma sensação de credibilidade por estarem seguindo o indivíduo verdadeiro.

Com as novidades anunciadas pelo novo dono, qualquer um pode pagar pelo famoso símbolo. Assim, não é difícil entender que a ideia de credibilidade fica mais complicada a partir daí.

Até mesmo as brincadeiras com contas de paródia passam a ter aquele “pé atrás”, pois se alguém pagar para ser verificado, como a plataforma vai distinguir a verdadeira dentre milhares de contas?

Há até mesmo um perigo envolvido nisso, já que um usuário com rancor pode criar um perfil usando o nome de um terceiro, pagar para ter o símbolo azul e atrapalhar enormemente a vida da pessoa.

Piadas à parte, o Twitter pode se tornar uma rede social ainda mais problemática em um futuro próximo.

Com informações: The Verge.

Relacionados

Relacionados