Alexa, como está seu futuro? Amazon pode cortar investimentos na assistente

Empresa registrou prejuízo operacional de US$ 5 bilhões na divisão de dispositivos, responsável também pela produção da Alexa

Felipe Freitas
Por

A Amazon está passando por problemas na sua divisão de dispositivos. A divisão da empresa, que abrange também a assistente de voz Alexa, teve um prejuízo operacional de US$ 5 bilhões em um ano.

Novo Amazon Echo Show 10 (Imagem: Divulgação/Amazon)
A faca pode chegar na Alexa (Imagem: Divulgação/Amazon)

Com isso, fontes ligadas à empresa afirmam que a divisão receberá menos “atenção” da Amazon — pelo menos enquanto os dispositivos não voltarem a ser rentáveis para a companhia de Jeff Bezos.

Não está “tudo bem” para a divisão de dispositivos

Chega a ficar repetitivo falar que as grandes empresas americanas de tecnologia (as famosas big techs) estão em uma fase de queda de receitas — algumas com quedas maiores, claro. Com a Amazon não seria diferente.

A empresa de Jeff Bezos, assim como a Meta, teve um forte crescimento por causa da pandemia. Com as pessoas passando mais tempo em casa e adotando o home office, uma assistente virtual começou a fazer sentido para muita gente. Logo, os dispositivos com Alexa (como o Echo e Fire TV Stick) tiveram o seu momento de brilhar.

Documentos vistos pelo jornal The Wall Street Journal revelam que o brilho começou a apagar. A divisão de dispositivos, que conta com mais de 10.000 funcionários, está acumulando prejuízos nos últimos anos — chegando até a passar prejuízo operacional de US$ 5 bilhões em um ano. 

O WSJ não chega a detalhar o ano em que isso aconteceu. Porém, vale destacar o que foi apresentado pela Amazon em seu último resultado financeiro. De setembro de 2021 até setembro de 2022, a Amazon viu seu lucro cair para US$ 11 bilhões. No mesmo intervalo de 12 meses correspondente de 2020 até 2021, o lucro foi de US$ 26 bilhões.

Alexa Voice Remote Pro (Imagem: Divulgação/Amazon)
(Imagem: Divulgação/Amazon)

“Alexa, cortar as despesas e realocar funcionários”

O próximo passo da Amazon está em decidir qual medida tomar para melhorar o desempenho financeiro da divisão de dispositivos. Uma delas é clássica: cortar investimentos na divisão. Tradicional como feijão com arroz. Assim, dispositivos como o Echo, Fire TV Stick, Echo Buds e Kindle podem ficar sem grandes alterações por um período.

A empresa também considera aumentar o número de recursos (skills) na Alexa — justamente para que ela alavanque as vendas dos dispositivos. O problema é que, para isso, a Amazon tem que gastar mais. Essa proposta esbarra em outro problema: a maioria dos clientes, de acordo com a própria empresa, utilizam a Alexa apenas para algumas funções. Fora que nem todo mundo tem uma casa totalmente inteligente — às vezes o Echo Dot é o único dispositivo IoT de uma residência.

Ao invés — ou melhor, antes — de passar o facão no quadro de funcionários, a Amazon está sugerindo que seus empregados busquem mudança para outras da empresa. O motivo é que, segundo fontes para o WSJ, algumas equipes serão suspensas ou fechadas. Na sequência dessas transferências internas é que a demissão em massa deve começar na Amazon.

Amazon Echo Show 8 (Imagem: Divulgação/Amazon)
(Imagem: Divulgação/Amazon)

Amazon continua otimista com o futuro da Alexa

Apesar do prejuízo operacional, a Amazon ainda está otimista com o futuro da Alexa. De acordo com um porta-voz da empresa, a assistente de voz “continua como um importante negócio e área de investimento para a Amazon”. Alexa, vai ficar tudo bem.

Com informações: The Wall Street Journal

Relacionados

Relacionados