Caixa Tem deve se tornar banco digital avaliado em R$ 100 bilhões

Banco do Caixa Tem terá abertura de capital e deverá se concentrar em clientes de baixa renda

Victor Hugo Silva
Por
• Atualizado há 5 meses
Caixa Tem (Imagem: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
Caixa Tem (Imagem: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

A Caixa Econômica Federal planeja transformar o Caixa Tem em um serviço com estrutura e equipe próprias. Popularizado com o auxílio emergencial, o aplicativo passaria a operar como um banco digital com foco em clientes de baixa renda. O projeto passa pela abertura de capital que, pelas projeções da estatal, faria o novo banco ser avaliado em R$ 100 bilhões.

Segundo a Folha de S.Paulo, que divulgou a informação, o banco digital seria controlado pela Caixa, mas ganharia estrutura tecnológica e equipe independentes. Atualmente, os serviços do Caixa Tem dependem da tecnologia e de cerca de 100 funcionários da estatal. O plano é concretizar a separação até o final de 2020.

A criação do banco digital com serviços do Caixa Tem também depende do sinal verde do Conselho de Administração da Caixa, que permitiria reivindicar a autorização do Banco Central. A expectativa da empresa é de que a liberação do BC seja anunciada até o final do primeiro trimestre de 2021.

Ainda sem nome definido, o novo banco permitirá movimentação de até R$ 5 mil por mês nas contas e reunirá pagamentos de programas sociais do governo federal. Os beneficiários do Bolsa Família serão os primeiros a participarem do processo de migração. Previsto para acontecer em quatro etapas, ele começará em dezembro e deverá ser concluído em março de 2021.

Os clientes do banco digital terão outros serviços à disposição, como saques, pagamentos de contas e transferências. A plataforma também promoverá a venda de seguros e a oferta de microcrédito. A Caixa realizará o serviço de financiamento por meio de uma lista de análise prévia de crédito compartilhada pela Receita Federal.

Caixa Tem chega a 105 milhões de contas

Em outubro de 2019, quando foi lançado, o objetivo era de que o Caixa Tem chegasse a 35 milhões de usuários. Um ano depois e com a pandemia do novo coronavírus no caminho, a marca foi facilmente superada. O aplicativo fechou o terceiro trimestre de 2020 com 105 milhões de contas abertas.

A plataforma tinha 18,9 milhões de contas no primeiro trimestre e, após a criação do auxílio em abril, terminou o segundo trimestre com 91,6 milhões de contas. O Caixa Tem chegou a R$ 50 bilhões em movimentação no terceiro trimestre, valor quase R$ 20 bilhões acima do segundo trimestre.

Receba mais sobre Caixa Econômica Federal na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Victor Hugo Silva

Victor Hugo Silva

Ex-autor

Victor Hugo Silva é formado em jornalismo, mas começou sua carreira em tecnologia como desenvolvedor front-end, fazendo programação de sites institucionais. Neste escopo, adquiriu conhecimento em HTML, CSS, PHP e MySQL. Como repórter, tem passagem pelo iG e pelo G1, o portal de notícias da Globo. No Tecnoblog, foi autor, escrevendo sobre eletrônicos, redes sociais e negócios, entre 2018 e 2021.

Canal Exclusivo

Relacionados