Belkin

Para a taiwanesa Foxconn, fabricar o iPhone e tantos outros dispositivos já não é suficiente: a companhia quer marcar presença no movimentado mercado de acessórios premium e, para isso, comprou a Belkin, um dos nomes mais fortes do segmento. O negócio também fará a Foxconn ser dona das marcas Linksys e Wemo.

A Belkin tem sede na Califórnia e, apesar de ter surgido em 1983, muito antes do estabelecimento do mercado de dispositivos móveis, a companhia é conhecida hoje por fabricar acessórios como cabos de diversos tipos, hubs USB, adaptadores de tomada, baterias portáteis, capas para iPhones e por aí vai.

Rotadores Wi-Fi e outros dispositivos para redes também fazem parte do portfólio da Belkin, mas a companhia só se tornou realmente presente nesse segmento no começo de 2013, quando comprou a Linksys da Cisco por um valor não revelado.

Debaixo do guarda-chuva da Belkin também está a Phyn, divisão criada em parceria com uma empresa de climatização chamada Uponor que desenvolve tecnologias para combater vazamento e desperdício de água. Ao comprar a Belkin, a Foxconn está matando três coelhos com uma cajadada só, portanto.

Carregador sem fio da Belkin
Carregador sem fio da Belkin

Na verdade, quatro. Não podemos nos esquecer da Wemo, divisão responsável por uma linha de produtos focada em casas inteligentes, digamos assim. Um dos itens atuais da marca é o Wemo Bridge, dispositivo compatível com o Apple HomeKit que permite ao usuário controlar diversos itens da sua casa (como lâmpadas e termostatos) a partir do iPhone ou iPad.

O preço por tudo isso não é baixo: US$ 866 milhões. A Belkin e suas marcas ficarão sob controle da subsidiária Foxconn Interconnect Technology (FIT), desde que o negócio seja aprovado por órgãos reguladores dos Estados Unidos — se levarmos em conta a atual “implicância” do país com empresas da região da China, pode não ser algo tão fácil de se obter.

Mas, se conseguir aprovação para a compra, a Foxconn será dona não só de uma das marcas de acessórios mais conhecidas do mundo como também terá em suas mãos as mais de 700 patentes da Belkin, incluindo aquelas trazidas com a aquisição da Linksys.

Com informações: Financial Times, Bloomberg.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados