Google+ não será mais vinculado ao YouTube e a outros serviços do Google

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 1 mês
Google+

O Google iniciou a semana com um anúncio há muito tempo esperado: a integração (forçada) do Google+ com outros produtos da empresa deixará de existir. A decisão vale principalmente para o YouTube. O serviço será desvinculado da rede social nas próximas semanas.

A decisão prova que o Google mudou mesmo o foco dado ao Google+, movimento que, se analisarmos bem, começou há mais de um ano, quando Vic Gundotra, principal nome por trás do serviço, saiu do Google. Desde então, a companhia passou a dar sinais de que o Google+ já não tinha mais tanta prioridade.

Em setembro de 2014, por exemplo, a abertura de contas no Gmail deixou de levar automaticamente à criação de um perfil na rede social. No próximo sábado,  1º de agosto, o Google+ Photos será descontinuado. Em seu lugar entra o Google Fotos (outra manobra prevista desde o ano passado).

Mas, para muita gente, é mesmo o fim do vínculo do Google+ com o YouTube que interessa. O Google integrou ambos os serviços há cerca de dois anos sob o argumento de privilegiar comentários relevantes e, principalmente, combater as “trollagens” que apareciam ali. No final das contas, a obrigação de usar o Google+ para realizar ações no YouTube acabou desagradando meio mundo.

No comunicado oficial, a companhia destacou que, no decorrer dos próximos meses, você só precisará ter uma conta no Google (seu cadastro no Gmail, por exemplo) para criar canais no YouTube, compartilhar conteúdo e realizar outras tarefas que, antes, exigiam perfil no Google+.

Para quem criou um perfil na rede social apenas para usufruir desses serviços, a companhia também promete disponibilizar meios para viabilizar a eliminação da conta.

São medidas, no mínimo, sensatas. A obrigatoriedade de um perfil no Google+ sempre foi vista como uma tentativa do Google de ter números para fazer frente ao Facebook, por mais que a companhia negasse. A estratégia pegou mal e não funcionou: o Google+ está cheio de contas pouco participativas.

Mas há gente que utiliza a rede social com alguma frequência. Se é o seu caso, uma boa notícia: essas mudanças não significam que o Google+ será descontinuado, pelo menos não de imediato. O serviço será mantido, mas com foco em outras características, como compartilhamento de conteúdo.

Com informações: TechCrunch

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados