Gravadoras processam o Twitter em US$ 250 milhões e acusam empresa de ignorar notificações

Grandes selos musicais, incluindo Sony, Warner e Universal Music, processam a rede social por violações de direitos autorais; Twitter teria ignorado remoções de conteúdos

Felipe Freitas
Por
Twitter
Twitter é processado em US$ 250 milhões (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

É bom que os cortes de gastos no Twitter sejam eficazes, pois 17 gravadoras e distribuidoras do ramo da música se uniram para processar a empresa. O grupo de empresas inclui o “Grande Trio”, composto pela Sony Music, Warner Chappell e Universal Music— todas representadas pela associação americana de distribuidoras de músicas (National Music Publishers’ Association, NMPA). Na disputa judicial, o grupo pede uma indenização de US$ 250 milhões.

A NMPA listou nos autos do processo 1.700 músicas das quais enviou “múltiplas notificações de violação de direito autoral”, afirmando ainda que o Twitter não agiu para remover os conteúdos irregulares. E é aqui que entra a gigantesca cifra do “processinho”: a associação pede US$ 150 mil por cada violação. O processo foi aberto na justiça federal de Nashville, capital do estado americano do Tennessee.

Twitter não possui acordos com gravadoras

  • O processo relembra que o Twitter não possui um acordo com as gravadoras para usar músicas sob suas propriedades. Competidores da rede social, como TikTok e Instagram, tem contratos de licenciamento com essas empresas para utilizarem conteúdos sob direito autoral.
  • Em março, o New York Times divulgou que Elon Musk, o dono da rede social, planejava assinar um acordo do tipo com as gravadoras. Todavia, esses acordos chegam a custar US$ 100 milhões por ano para as plataformas — e dinheiro é algo que Musk quer economizar na sua rede social.
  • Segunda a NMPA, o Twitter enriquece seu negócio com incontáveis infrações de cópias musicais, violando a exclusividade de direitos protegidos por lei das distribuidoras e outras empresas.

Processo será dor de cabeça para nova CEO do Twitter

Ficará com Linda Yaccarino, nova CEO do Twitter, a função de resolver o processo das gravadoras. A experiência da nova chefona da rede social como presidente de publicidade e parcerias da NBC Universal será fundamental para lidar com a disputa — e quem sabe em fechar um acordo com a NMPA.

Com informações: TechCrunch

Relacionados