Twitter corre risco de ser despejado de prédio nos Estados Unidos

Empresa deve aluguel de prédio em Boulder, no Colorado; na prática, custos desde 2020 ultrapassam os US$ 968 mil, cerca de R$ 4,6 milhões em conversão direta

Thássius Veloso
Por
Empresa terá de devolver escritório em Boulder, nos EUA (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O proprietário do escritório do Twitter na cidade de Boulder, nos Estados Unidos, parece não estar feliz com a falta de pagamento de aluguel. Tanto que, de acordo com documentos obtidos pelo site TechCrunch, foi solicitado o despejo da plataforma controlada pelo empresário Elon Musk.

Sabe-se muito pouco sobre o assunto. A documentação comprova que, em 2020, o Twitter obteve uma linha de crédito para financiar o aluguel do espaço num prédio do Colorado. O valor total era de US$ 968 mil, o que dá em torno R$ 4,6 milhões. Quase três anos depois… a fonte secou.

300 pessoas

Acredita-se ainda que cerca de 300 profissionais trabalhavam no ambiente. Isso pode ter mudado desde que Elon Musk adquiriu o Twitter e passou por uma demissão coletiva, no ano passado.

Portanto, o Twitter deverá pagar os valores até o fim de julho caso queira manter o escritório funcionando.

Elon Musk (Imagem: Tesla Owners Club Belgium/Flickr)
Elon Musk não é mais CEO da empresa (Imagem: Tesla Owners Club Belgium/Flickr)

Ainda de acordo com o TechCrunch, o assunto chegou à Justiça dos Estados Unidos em maio. O proprietário obteve vitória e a Corte ainda determinou que o xerife da cidade desse apoio à ordem de desejo num prazo de 49 dias.

Encrenca atrás de encrenca

Curiosamente, depois foi descoberto que a plataforma de rede social também deve US$ 93,5 mil (cerca de R$ 449 mil) para uma empresa de limpeza de Boulder. O Twitter foi procurado pela imprensa gringa, mas não se pronunciou sobre o assunto.

Aliás, a plataforma passa por um período conturbado. Gravadoras musicais querem US$ 250 milhões (R$ 1,2 bilhão) por inúmeras violações de direitos autorais dentro da plataforma. O grupo de empresas inclui a Sony, Universal e Warner. O problema deverá ser resolvido pela nova CEO, Linda Yaccarino.

Com informações: TechCrunch

Relacionados