Kodak diz que vai lançar criptomoeda e ações disparam 60%

Paulo Higa
Por
• Atualizado há 1 mês

Já falamos de companhias que estão trocando de nome para aproveitar a mania das criptomoedas, como uma empresa de tabaco, uma rede de fast food e uma fabricante de chá gelado. Todas elas viram suas ações subirem depois da mudança. A nova velha empresa a aderir ao negócio é a Kodak, que vai fazer uma oferta inicial de tokens (ICO) para lançar uma criptomoeda para fotógrafos.

Nesta terça-feira (9), a Kodak anunciou que fechou uma parceria com a Wenn Digital para lançar a KodakCoin. Trata-se de uma “criptomoeda com foco em fotografia para capacitar fotógrafos e agências a terem maior controle no gerenciamento de direitos de imagens”. Uma rede baseada em blockchain permitirá que os fotógrafos licenciem seus trabalhos e ganhem dinheiro (na verdade, KodakCoins) por isso.

Como aconteceu com várias outras empresas, a Kodak viu suas ações dispararem com a novidade. As ações da companhia abriram a US$ 3,10 na bolsa de Nova York e chegaram a ser negociadas a US$ 4,95, uma alta de 59,7%. No momento em que escrevo este parágrafo, os papeis estão subindo 36% no dia.

A Kodak foi fundada em setembro de 1888 e, durante muito tempo, dominou o mercado de fotografia, sendo responsável pela venda de 90% dos filmes fotográficos no final da década de 1970. A empresa inventou as câmeras digitais, mas não entrou de cabeça no mercado para continuar lucrando com filmes. Foi destruída pelas concorrentes e entrou com pedido de falência, mas se recuperou em 2013.

Desta vez, não dá para dizer que eles não estão atentos às novidades do mercado.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Paulo Higa

Paulo Higa

Ex-editor executivo

Paulo Higa é jornalista com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. No Tecnoblog, atuou como editor-executivo e head de operações entre 2012 e 2023. Viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. Foi coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Canal Exclusivo

Relacionados