Nvidia cogita fabricar placas de vídeo para minerar criptomoedas

Demanda de mineradores de criptomoedas pode fazer Nvidia retomar produção de CMPs

Bruno Ignacio
Por
• Atualizado há 2 anos
nvidia geforce rtx 3090 3070 3080
Série Geforce RTX 3000 (imagem: Dilvulgação/Nvidia)

A Diretora Financeira da Nvidia, Colette Kress, afirmou durante a 19ª Conferência Anual da J.P. Morgan que a empresa está potencialmente pronta para retomar a produção de GPUs voltadas à mineração de criptomoedas. A executiva explicou que se houver evidências de uma demanda significativa por esse tipo de hardware, a fabricante poderia aliviar a crescente pressão sobre estoques da série RTX 3000 ao voltar a vender as chamadas CMPs, placas adaptadas para a atividade.

Nvidia se manterá focada em games

Ao ser questionada sobre o impacto que a mineração de criptomoedas tem sobre as vendas da Nvidia, Kress afirmou: “Não temos visibilidade de quanto da demanda final da Série RTX 3000 vem da mineração, mas não acreditamos que seja uma grande parte do nosso negócio hoje. A demanda por jogos é muito forte e achamos que é maior que nossa capacidade de oferta atual. Desta vez, parece diferente do que vimos vários anos atrás por alguns motivos.”

Em 2018, a demanda do setor de mineração de criptoativos cresceu drasticamente, afetando a capacidade de oferta de GPUs da Nvidia. A executiva ainda observa que os estoques atuais de placas da arquitetura Ampere também se encontram baixos, porém as razões para isso não devem ser as mesmas do passado, mas sim a crescente demanda por games em 2020.

Produção de CMPs pode ser retomada

As CMPs, sigla referente às placas adaptadas para a mineração de criptomoedas, já foram produzidas pela Nvidia no passado. Por mais que a empresa não possa ter certeza sobre a participação atual de mineradores na demanda de seus produtos, o mercado se mostra com uma fome crescente por equipamentos do gênero.

Esse tipo de hardware tem suas saídas de vídeo removidas e assim podem oferecer um desempenho alto a preços mais baratos que GPUs potentes. Contudo, a mineração de bitcoin (BTC) já não é mais possível com CMPs, tendo em vista que as chamadas ASICs (máquinas exclusivamente dedicadas a uma aplicação) dominam a produção da criptomoeda. Em contrapartida, muitas outras moedas menores ainda podem ser adquiridas com placas gráficas do tipo, como a Ethereum (ETH).

“Portanto, em resumo, se a demanda do setor de criptomoedas aumentar ou se virmos uma quantidade significativa de aspirantes, também podemos usar essa oportunidade para reiniciar a linha de produtos CMP para atender à demanda contínua de mineração”, conclui Kress.

Com informações: Seeking Alpha, TechRadar

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Bruno Ignacio

Bruno Ignacio

Ex-autor

Bruno Ignacio é jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero. Cobre tecnologia desde 2018 e se especializou na cobertura de criptomoedas e blockchain, após fazer um curso no MIT sobre o assunto. Passou pelo jornal japonês The Asahi Shimbun, onde cobriu política, economia e grandes eventos na América Latina. No Tecnoblog, foi autor entre 2021 e 2022. Já escreveu para o Portal do Bitcoin e nas horas vagas está maratonando Star Wars ou jogando Genshin Impact.

Canal Exclusivo

Relacionados