Os HDs sobrevivem: Seagate já tem unidades com 30 terabytes de capacidade

Primeiros discos rígidos com mais de 30 TB já estão sendo testados por cliente da Seagate e devem chegar ao mercado ainda em 2023

Emerson Alecrim
Por
Parte interna de um HD (imagem: reprodução/Seagate)
Parte interna de um HD (imagem: reprodução/Seagate)

SSDs são mais rápidos e compactos. Então, discos rígidos são produtos fadados ao esquecimento? Só se for em um futuro distante. HDs continuam sendo meios de armazenamento de dados importantes. A prova disso é que a Seagate já produziu as primeiras unidades com mais de 30 terabytes de capacidade.

Mérito da tecnologia HAMR

É um feito notável. Os HDs de 30 TB ou mais preservam o tradicional formato de 3,5 polegadas. Para fazer tantos terabytes caberem em uma unidade com dimensões padronizadas, a Seagate recorreu à nova geração da tecnologia HAMR (Heat-Assisted Magnetic Recording — Gravação Magnética Auxiliada por Calor).

A Seagate não revela todos os detalhes sobre HDs HAMR. Sabe-se, porém, que a tecnologia é baseada em um feixe de laser com comprimento de onda muito curto usado no cabeçote de gravação. Isso possibilita que o disco receba mais dados, sem aumentar as suas dimensões físicas.

Inicialmente, para datacenters

A empresa ainda não anunciou oficialmente os HDs com mais de 30 TB. Eles estão em fazer final de avaliação. O produto em si já foi desenvolvido e testado pela Seagate. Na etapa atual, as primeiras unidades foram enviadas a um cliente para serem qualificadas.

Trata-se de um parceiro de datacenter, o que não surpreende. Esses HDs foram desenvolvidos para funcionar em servidores e sistemas corporativos de armazenamento de dados.

Os novos discos rígidos devem estrear ainda neste trimestre nas soluções de armazenamento Corvault, da própria Seagate. É o que deu a entender Dave Mosley, CEO da companhia, em uma teleconferência com investidores.

A disponibilidade mais ampla só é esperada para 2024, no entanto. Até porque outros clientes em potencial da Seagate também precisam validar o produto antes de adotá-lo.

Prédio da Seagate (imagem: divulgação/Seagate)
Prédio da Seagate (imagem: divulgação/Seagate)

E o usuário doméstico?

Não há previsão para HDs com tanta capacidade de armazenamento chegarem a computadores pessoais. Contudo, o Tom’s Hardware observa que a tecnologia HAMR tende a ser levada a unidades intermediárias e básicas da empresa, até como forma de reduzir os custos de fabricação.

Isso significa que, eventualmente, HDs com alta capacidade de armazenamento poderão chegar ao usuário doméstico com preços razoáveis. Talvez não unidades com 30 TB, mas com 15 ou 20 TB.

Com o custo por gigabyte ficando cada vez menor no SSD, parece não fazer sentido recorrer a HDs para uso pessoal. Mas essas unidades ainda podem fazer sentido para sistemas de backup ou para quem trabalha com grandes volumes de dados.

Relacionados