Twitter investiga prints modificados usados para espalhar informação falsa

Felipe Ventura
Por
• Atualizado há 1 semana
Twitter

Na quarta-feira (15), ocorreu mais um tiroteio em uma escola nos EUA. Nikolas Cruz, de 19 anos, matou 17 pessoas e deixou vários feridos na Marjory Stoneman Douglas High School.

Depois que o atirador entrou na escola e começou o ataque, alguns alunos usaram o Snapchat e o Twitter para relatar o que estava acontecendo. Essas redes também foram usadas para espalhar informações falsas — incluindo prints de uma jornalista pedindo “fotos ou vídeo dos cadáveres”.

Alguns jornalistas entraram em contato com os alunos para entender a situação — tal como Alex Harris, repórter do Miami Herald. Segundo o BuzzFeed News, demorou menos de uma hora para alguém criar imagens falsas de tweets que ela enviou.

Uma das imagens menciona “fotos ou vídeos de cadáveres”. Outro print falso perguntava se o atirador era branco — e se tornou viral no Reddit e em um fórum de supremacistas.

“Eu recebi literalmente milhares de mensagens, e elas lotaram minhas menções e DMs com ameaças de morte terríveis, racistas, sexistas e gráficas”, disse Harris. “Também recebi mensagens com o mesmo conteúdo em minha conta privada no Facebook.”

O CEO Jack Dorsey diz que está investigando o caso.

Harris entrou em contato com diversos usuários do Twitter dessa forma:

Eu odeio ter que entrar em contato num dia terrível como esse, mas se você estiver à vontade para falar sobre isso, gostaria de fazer uma pergunta ou duas. Trabalho para o @MiamiHerald. Siga de volta se você estiver OK em falar sobre isso.

Ela respondeu a tweets com estudantes compartilhando imagens como essas:

https://twitter.com/TheCaptainAidan/status/963868088683900931
https://twitter.com/camilafraserr/status/963880672128569344
https://twitter.com/Asamaroo613/status/963886546779852802

Depois que os prints falsos se proliferaram, Harris tuitou que “elas são versões modificadas de tweets que eu enviei enquanto tentava contar as histórias das vítimas e sobreviventes — histórias importantes que precisam ser ouvidas”.

Ela também denunciou tweets com as imagens falsas, acompanhados de mensagens como “se mata” ou “como você ousa dizer isso, racista”.

As regras do Twitter dizem que “não é permitido assumir a identidade de indivíduos, grupos ou organizações com a intenção de iludir, confundir ou enganar”. Além disso, as contas não podem ser usadas para “enviar spam ou se envolver em comportamento abusivo”.

Com informações: BuzzFeed News.

Receba mais sobre Twitter na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Ventura

Felipe Ventura

Ex-editor

Felipe Ventura fez graduação em Economia pela FEA-USP, e trabalha com jornalismo desde 2009. No Tecnoblog, atuou entre 2017 e 2023 como editor de notícias, ajudando a cobrir os principais fatos de tecnologia. Sua paixão pela comunicação começou em um estágio na editora Axel Springer na Alemanha. Foi repórter e editor-assistente no Gizmodo Brasil.

Relacionados