Rede de fast-food vai usar IA do Google para anotar pedidos no drive-thru

Wendy's faz parceria com o Google e personaliza modelo de linguagem para que robôs conheçam o cardápio e entendam os pedidos corretamente

Giovanni Santa Rosa
Por
Restaurante Wendy's nos EUA
Restaurante Wendy's nos EUA (Imagem: Wikimedia Commons/Nheyob)

Se você está acompanhando as notícias sobre inteligência artificial, sabe que ela já consegue escrever textos, criar códigos, fazer ilustrações e muito mais. Uma nova habilidade estará nessa lista: anotar pedidos em lanchonetes. A rede de fast-food Wendy’s anunciou uma parceria com o Google para levar a tecnologia para trabalhar no seu drive-thru.

O primeiro chatbot atendente está previsto para começar a trabalhar em junho, em um restaurante no estado de Ohio (EUA). Esse processo será supervisionado por funcionários.

Preparar IA não é tão fácil quanto parece

Os engenheiros de software da Wendy’s trabalharam com o Google para personalizar o modelo de linguagem da empresa. Assim, a inteligência artificial será capaz de entender palavras e expressões específicas do contexto da lanchonete.

Tem gente que pede o junior bacon cheeseburger dizendo apenas “JBC”, por exemplo, assim como quase ninguém chama os milk shakes da rede pela marca Frosties.

Além da questão dos termos específicos, Thomas Kurian, CEO do Google Cloud, diz que ruídos, como música do rádio do carro ou crianças no banco de trás, também atrapalham a compreensão do robô.

Para completar, há sempre os clientes indecisos, que mudam de ideia no meio do pedido, e a inteligência artificial precisa entender isso também.

“Tem gente que pensa que passar de carro e falar com um atendente é um problema fácil para a inteligência artificial, mas, na verdade, é um dos mais difíceis”, avalia Kurian.

O atendente com IA também vai fazer uma coisa que quase todo caixa humano faz: oferecer combos maiores, sobremesas e sanduíches do dia.

O resto da linha de produção continua igual. O pedido aparece na tela da cozinha, é preparado e entregue por uma janela por trabalhadores humanos.

Wendy’s nega que chatbot vai substituir empregados

A ideia é agilizar o processo de atendimento para evitar que clientes desistam de passar no drive-thru ao ver uma fila grande.

A Wendy’s não revela qual o investimento feito na tecnologia — diz apenas que trabalha com o Google em análise de dados, ferramentas de computação na nuvem e aprendizagem de máquina desde 2021.

A rede de fast-food também garante que novidade não relação com seu programa de reestruturação, que vem sendo feito para reduzir custos. Segundo a companhia, a ideia não é substituir funcionários por chatbots, mas ajudá-los a lidar com as várias tarefas do drive-thru.

Com informações: The Verge, Wall Street Journal

Relacionados