RIP Omegle: site de bate-papo encerra as atividades após 14 anos

Serviço que conectava usuários com pessoas aleatórias será fechado por ser “financeiramente e psicologicamente” insustentável, diz fundador

Lupa Charleaux
Por
Página Inicial do Omegle após encerramento das atividades
Página principal do Omegle exibe uma lápide do serviço de bate-papo (Imagem: Reprodução/Omegle)

O serviço de bate-papo por vídeo Omegle anunciou o fechamento após 14 anos no ar. A notícia foi revelada em um longo comunicado do fundador Leif K Brooks na página principal da plataforma na última quarta-feira (8).

O criador cita que “não é mais sustentável, financeiramente nem psicologicamente” manter o site no ar. Além disso, ele assume a dificuldade de evitar que o serviço seja utilizado para “crimes hediondos indescritíveis”.

Página Inicial do Omegle
Omegle teve um aumento de popularidade durante a pandemia de COVID-19 (Imagem: Reprodução / Internet)

O Omegle foi um serviço de bate-papo que conectava pessoas aleatórias em chamadas de vídeo. De acordo com Brooks, o conceito do site era ser uma “aldeia global” na internet, permitindo que o usuário conversasse com qualquer um que encontrasse no caminho.

Embora tenha ficado no ostracismo por anos, a plataforma teve picos de acessos durante o início da pandemia de COVID-19 em 2020. Entretanto, os “encontros aleatórios” viraram um espaço para diversos crimes de abuso sexual de menores.

Um caso de destaque ocorreu no Brasil, quando uma criança de 10 anos de São Paulo foi assediada por um adulto de 27 anos de Porto Alegre. O incidente foi julgado em abril deste ano e resultou na primeira condenação por estupro virtual do país.

Conforme as informações do The Verge, casos semelhantes também ocorreram em outros países. Por exemplo, o Omegle foi acusado por um juiz do Oregon, nos Estados Unidos, de conectar uma menina de 11 anos com um predador sexual.

Criança no celular
Leis digitais mais rigorosas em diversos países tentam prevenir a exploração sexual na internet (Imagem: Unsplash/Bruce Mars)

As tentativas do Omegle para criar um ambiente seguro

O encerramento do Omegle coincide com o aumento de leis e regulamentações mais rigorosas de segurança digital em diversos países. Em especial, as ações visam prevenir a exploração sexual infantil na internet.

Brooks diz que tentou transformar o site em um ambiente mais seguro ao longo dos anos. Por exemplo, a moderação de conteúdo do serviço ajudou a coletar provas usadas para alertar as autoridades e prender criminosos.

“Praticamente todas as ferramentas podem ser usadas para o bem ou para o mal, e isso é especialmente verdadeiro no caso das ferramentas de comunicação, devido à sua flexibilidade”, disse o fundador no comunicado.

Com informações: Omegle, The Verge e G1

Receba mais sobre Omegle na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Lupa Charleaux

Lupa Charleaux

Repórter

Nerd por natureza, Lupa Charleaux é formado em Jornalismo Multimídia pela São Judas Unimonte (2012). Iniciou a carreira como repórter de entretenimento em 2013, mas migrou para a editoria de tecnologia em 2019. Construiu experiência na área ao produzir notícias diárias sobre eletrônicos (celulares, vestíveis), inovação, mercado e conteúdos especiais sobre os temas. É repórter do Tecnoblog desde outubro de 2023. Anteriormente, atuou como redator de tecnologia e entretenimento no TecMundo (2019-2021/2022-2023) e redator de produtos no Canaltech (2021-2022).

Canal Exclusivo

Relacionados