Internet Starlink terá cobertura global até setembro, diz SpaceX

SpaceX já lançou 1.800 satélites Starlink; quando todos estiverem em operação, serviço de internet terá alcance global

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 1 ano e 7 meses
Antena da Starlink (imagem: divulgação/SpaceX)
Antena da Starlink (imagem: divulgação/SpaceX)

A SpaceX projetou a rede de satélites Starlink para levar internet ao mundo todo. O que ninguém esperava é que esse objetivo pudesse ser atingido tão cedo: de acordo com Gwynne Shotwell, presidente da companhia, a cobertura global poderá ser oferecida a partir de setembro deste ano.

A executiva explica que a rede Starlink já conta com cerca de 1.800 satélites lançados e, quando todos estiverem em operação — o que deve acontecer até setembro —, a cobertura global será possível, ainda que esse número esteja muito abaixo das 12.000 unidades que a companhia planeja colocar em órbita no decorrer dos próximos anos.

Mas estamos falando de uma previsão técnica. Na prática, a oferta global do serviço precisará de um prazo muito maior para virar realidade, por uma única razão: questões regulatórias.

A SpaceX precisa obter aprovação de órgãos reguladores de telecomunicações em cada país em que pretende oferecer o serviço de acesso à internet por satélite.

Starlink já funciona em fase beta

Obter autorização regulatória requer tempo e, presumivelmente, boa capacidade de negociação, afinal, o acesso à internet por meio de uma rede com milhares de satélites é um modelo de negócio recente e, portanto, sem base técnica estabelecida.

A boa notícia é que, de certa forma, esse trabalho já começou. A SpaceX obteve autorização para oferecer o serviço beta da rede Starlink em países como Estados Unidos, Reino Unido e Canadá, por exemplo.

O número atual de clientes beta não é conhecido, mas sabe-se que, até maio, a companhia havia recebido mais de 500 mil pedidos de participação no serviço.

Além disso, a companhia registrou subsidiárias em países de todos os continentes, como África do Sul, Alemanha, Austrália, Espanha, França, Grécia, Itália, México e Nova Zelândia.

Sim, o Brasil também está no radar da SpaceX. Em maio, a Anatel homologou duas antenas de satélites Starlink. Outras autorizações ainda precisam ser dadas, mas a companhia espera iniciar as suas operações em território brasileiro até o final de 2021.

A fase beta teve início em outubro de 2020 e, atualmente, oferece taxas que chegam a 150 Mb/s (megabits por segundo) e latência entre 20 ms e 40 ms. Mas, em uma fase posterior, quando o número de satélites em operação for muito maior, o plano é oferecer velocidades que alcançam 1 Gb/s (gigabit por segundo).

Com informações: Reuters.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados