Telegram bloqueia canais públicos por incitação à violência

Telegram bloqueou "dezenas" de canais públicos do mensageiro por fazer "incitação à violência para milhares de assinantes"

Bruno Gall De Blasi
Por
• Atualizado há 2 anos e 4 meses
Telegram no iPhone (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)
Telegram no iPhone (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

O Telegram bloqueou dezenas de canais por incitação à violência. Segundo um porta-voz do mensageiro nesta quarta-feira (14), foram barrados os espaços públicos que abrigavam conteúdos que faziam apelo à violência a “milhares de assinantes”.

As informações são da CNN. Em nota, o porta-voz do Telegram, Remi Vaughn, informou que os moderadores do app estão “analisando um número crescente de denúncias relacionadas às postagens públicas com apelo à violência”. Esse tipo de conteúdo, lembrou Vaughn, é “expressamente proibido” pelos Termos de Serviço do aplicativo.

“Nas últimas 24 horas, bloqueamos dezenas de canais públicos que faziam incitação à violência para milhares de assinantes”, disse. “O Telegram usa uma abordagem consistente para protestos e debate político em todo o mundo, do Irã e Bielo-Rússia à Tailândia e Hong Kong. Aceitamos discussões e protestos pacíficos, mas rotineiramente removemos conteúdo publicamente disponível que contenha apelos diretos à violência”.

Segundo a CNN, entre os canais derrubados, estão aqueles que conteúdos extremistas e discursos de ódio, sendo um deles com mais de 10 mil membros. Apesar do banimento, alguns retornaram logo em seguida ao serem reposicionados por novos canais.

Telegram chega a 500 milhões de usuários

O Telegram apresentou um crescimento notável nos últimos dias. Após registrar mais de 25 milhões de usuários entre 9 e 12 de janeiro, o mensageiro alcançou a marca de 500 milhões de usuários. Os números foram apresentados por Pavel Durov, fundador do Telegram, nesta terça-feira (12).

“As pessoas não querem mais trocar sua privacidade por serviços gratuitos. Elas não querem mais ser reféns de monopólios que parecem pensar que podem se safar de qualquer coisa, desde que seus aplicativos tenham uma massa crítica de usuários”, disse Durov.

O aumento na base de usuários acontece após a apresentação da nova política de privacidade do WhatsApp, que rendeu críticas ao Facebook, inclusive de Elon Musk. Neste fim de semana, o Telegram e o Signal chegaram às primeiras colocações em downloads nas lojas de apps para Android e iPhone em dezenas de países.

Com informações: CNN e Poder360

Receba mais sobre Telegram na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Bruno Gall De Blasi

Bruno Gall De Blasi

Ex-autor

Bruno Gall De Blasi é jornalista e cobre tecnologia desde 2016. Sua paixão pelo assunto começou ainda na infância, quando descobriu "acidentalmente" que "FORMAT C:" apagava tudo. Antes de seguir carreira em comunicação, fez Ensino Médio Técnico em Mecatrônica com o sonho de virar engenheiro. Escreveu para o TechTudo e iHelpBR. No Tecnoblog, atuou como autor entre 2020 e 2023.

Canal Exclusivo

Relacionados