Tim Cook não acredita que o metaverso pode dar realmente certo

Para Tim Cook, a maioria das pessoas nem consegue definir o metaverso; esse seria um fator prejudicial ao conceito

Emerson Alecrim
Por
Tim Cook ao lado de vários MacBooks Air (imagem: divulgação/Apple)

Desde que Mark Zuckerberg apresentou a proposta do metaverso, em 2021, empresas de várias partes do mundo se mobilizam para não ficar de fora desse novo cenário. Mas há quem veja a ideia com desconfiança ou ceticismo. Uma dessas pessoas é Tim Cook, CEO da Apple.

Em entrevista ao jornal holandês RTL, o executivo respondeu a perguntas sobre vários assuntos. Mas o posicionamento sobre a “moda” do metaverso foi um dos pontos fortes da conversa. Não que Cook seja contra o conceito. Ele simplesmente vê a ideia como algo difícil de se concretizar.

Começa pela percepção de que, de modo geral, as pessoas não sabem exatamente o que é metaverso, argumenta Cook:

Eu sempre penso que é importante que as pessoas entendam o que uma coisa é. E eu não estou realmente seguro de que as pessoas comuns conseguem dizer o que é metaverso.

Na ausência de definições mais claras, provavelmente, a maioria das pessoas parte para a explicação simplista de que o metaverso é meramente um ambiente virtual com personagens que representam indivíduos reais.

Talvez essa não seja a definição perfeita, mas errada ela não está. O que levanta questionamentos mais profundos é se as pessoas realmente gostariam de passar parte do seu tempo em um ambiente do tipo.

Nesse sentido, ao comentar sobre realidade virtual (VR), Tim Cook deu uma resposta que também serve para o metaverso (afinal, ambos os conceitos estão intimamente ligados):

[A realidade virtual] é algo em que você pode realmente mergulhar. E isso pode ser usado de um jeito positivo. Mas não acho que você queira viver a vida desse modo. VR é para períodos definidos, mas não é uma maneira de se comunicar bem. Então, eu não sou contra isso, mas é assim que penso.

Mark Zuckerberg pensa diferente

Muito diferente. Enquanto a Apple prioriza a integração entre seus vários produtos e serviços para criar um ecossistema forte, Mark Zuckerberg defende uma abordagem mais aberta (envolvendo várias organizações).

Mark Zuckerberg (imagem: Reprodução/Facebook)
Mark Zuckerberg (imagem: Reprodução/Facebook)

Como aponta o The Verge, no início do ano, o CEO da Meta declarou que o empenho da companhia em desenvolver o metaverso a coloca em uma “competição filosófica” contra a Apple:

Essa é uma competição de filosofias e ideias, onde eles [a Apple] acreditam que fazendo e integrando tudo por conta própria e firmemente, construirão uma experiência melhor para o consumidor.

A declaração de Zuckerberg é interessante. Mesmo que não tenha sido a intenção, ela insinua que, se a Apple quisesse apostar na ideia do metaverso, provavelmente iria criar algo próprio, dentro de seu ecossistema.

Mas Tim Cook deixou claro que a companhia não tem planos para isso e que vê a ideia como pouco ou nada promissora.

Por outro lado, talvez a Apple esteja olhando com bastante atenção para o mercado de realidade virtual / realidade aumentada. Há cada vez mais rumores de que a empresa lançará um dispositivo do tipo em 2023.

Com informações: 9to5Mac.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados