Uber quer desenvolver bicicletas e patinetes autônomos

Micromobility Robotics foi criada pelo Uber para desenvolver tecnologias autônomas para a Jump, plataforma de compartilhamento de bicicletas e patinetes

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 2 anos
Uber - Jump

Que o Uber já trabalha com bicicletas e patinetes elétricos não é novidade. Batizado de Jump, o serviço vem de uma startup comprada em abril de 2018 e está disponível em algumas cidades dos Estados Unidos. O que é um tanto surpreendente é o objetivo de longo prazo da companhia: desenvolver bicicletas e patinetes autônomos para a plataforma.

Imediatamente, a ideia que nos vem à mente é a de bicicletas ou patinetes transportando usuários de modo autônomo, ou seja, estabelecendo rotas e desviando de obstáculos automaticamente. Mas parece que não vai ser bem assim: o objetivo principal, pelo menos para a primeira fase, seria o de automatizar a recarga de baterias.

Esse é um dos aspectos que dificultam a expansão de serviços de compartilhamento de patinetes elétricos. As empresas precisam ter equipes para levar os veículos para fazer recarga ou condicionar o usuário a deixá-los em estações fixas, detalhe que reduz a praticidade da plataforma.

Patinete Jump (por: TechCrunch)

Patinete Jump (por: TechCrunch)

A divisão responsável pelo desenvolvimento da tecnologia autônoma foi batizada de Micromobility Robotics e ainda está sendo montada. Aparentemente, o plano é desenvolver bicicletas e patinetes que se dirigem a pontos de recarga autonomamente quando a bateria estiver fraca. A mesma tecnologia poderia ser usada para fazer o veículo ir até o usuário.

Talvez o plano inicial seja ainda mais simples: apenas fazer a bicicleta ou patinete se conectar a um ponto de recarga ou trocar de bateria automaticamente, desde que o veículo já esteja na estação.

O Uber não comenta o assunto, por isso, as informações são escassas. O assunto só veio à tona depois que Chris Anderson, CEO da 3DRobotics, mostrou o anúncio de oportunidades de trabalho na Micromobility Robotics que o Uber divulgou em um evento. O link leva a um formulário que dizia que a companhia está explorando maneiras de melhorar a segurança, a experiência do usuário e a eficiência operacional das bicicletas e patinetes, tudo isso usando sensores e robótica.

Faz sentido que o objetivo do Uber seja o de permitir que bicicletas ou patinetes se movimentem autonomamente, afinal, essa tecnologia daria à empresa uma grande vantagem em relação aos concorrentes. Só que os desafios aqui são enormes e isso talvez explique o silêncio da companhia. Só para dar um exemplo, imagine as complicações que o Uber teria se uma bicicleta ou patinete autônomo atingisse um pedestre.

Com informações: TechCrunch, Telegraph.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados