Há um bom tempo venho utilizando o Telegram e o WhatsApp simultaneamente, dependendo do grupo de pessoas com o qual preciso me comunicar. Normalmente, para trabalho e colegas da internet, o Telegram funciona melhor. Já para receber vírus, aqueles vídeos sem noção e mensagens de autoajuda da família, nada mais eficiente que o WhatsApp.

Recentemente notei um fenômeno envolvendo os dois aplicativos: usuários do Telegram convidando seus amigos do WhatsApp para experimentarem o lado do aviãozinho de papel. Eu, inclusive, já fiz isso: consegui convencer meu pai a mudar de lado e hoje em dia a gente só usa o Telegram. 10 pontos para Grifinória!

Só que desde a última versão do WhatsApp, algumas dessas pessoas passaram a reportar que, ao tentar enviar mensagens com URLs que faziam referência ao Telegram para seus amigos do WhatsApp, o texto era enviado sem o link para o site. Resolvi testar eu mesmo para ver se era verdade. Confira:

test_telegram_whatsapp_toadgeek

E se a gente tentar usar variantes do nome do concorrente, tudo funciona normal:

ap_resize

Estranho. Muitíssimo estranho. Muitos começaram a dizer que poderia ser um bug ou falha do sistema ao tentar ler dados do site do Telegram. Curioso que sou, resolvi ver o código-fonte da última versão do WhatsApp. Minha suspeita era que poderia existir alguma expressão regular bloqueando o site do Telegram. E voilá! Dentro do arquivo LinkifyWeb.java, linha 18:

Screen Shot 2015-12-01 at 4.04.24 PM

E onde é que estes chamados “BAD_HOSTS” estão sendo utilizados? No método isBadHost:

Screen Shot 2015-12-01 at 3.28.30 PM

Essa função é executada por outro método, nomeado como hasBadHost, referenciado em outra classe, a MessageSelectionActionModeCallback.java:

Screen Shot 2015-12-01 at 3.30.58 PM

Para quem não entende muito de programação, eu explico: o que o WhatsApp está fazendo aqui é, deliberadamente, filtrar mensagens que possuam referências ao site do concorrente e removendo o link.

Porém, contudo, entretanto, todavia, uma vez que o texto em si é enviado, e qualquer pessoa pode digitar a URL no navegador, me pergunto qual a motivação para uma atitude que pode facilmente ser considerada antiética? Será que a aposta é dificultar a vida de usuários que por ventura tenham preguiça de copiar o texto e abrir o site manualmente?

Será que isso, no fundo, não vai despertar ainda mais a curiosidade de uma parcela desses indivíduos? Difícil saber.

Em suma: não é bug, é proposital. E o que vocês acham desta atitude que o WhatsApp tomou? Acham válido e faz parte da guerra de mercado ou vocês acham que a empresa jogou sujo?

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Matheus Gonçalves

Matheus Gonçalves

Ex-redator

Matheus Gonçalves é formado em Ciências da Computação pelo Centro Universitário FEI. Com mais de 20 anos de experiência em tecnologia e especialização em usabilidade e game development, atuou no Tecnoblog entre 2015 e 2017 abordando assuntos relacionados à sua área. Passou por empresas como Itaú, Bradesco, Amazon Web Services e Salesforce. É criador da Start Game App e podcaster do Toad Cast.

Canal Exclusivo

Relacionados