Início » Web e redes sociais » Instagram muda termos de serviço e quer usar suas fotos para ganhar dinheiro

Instagram muda termos de serviço e quer usar suas fotos para ganhar dinheiro

Facebook, o dono do aplicativo, poderá ceder as fotos de usuários para campanhas publicitárias sem pagar nada por isso

Por
2 anos atrás

Um aviso bem discreto apareceu essa semana para usuários do Instagram no aplicativo móvel da empresa. Ele dizia que a política de privacidade e termos de serviço seriam alterados em breve e que seus membros deveriam lê-los. Um post no blog oficial detalhou um pouco mais da mudança, mas deixou de fora alguns itens importantes – que foram descobertos pela mídia. Um dos itens, talvez o que causou mais revolta entre os usuários, é que as fotos podem ser comercializadas sem autorização do usuário.

Integração com o Facebook já era esperada

Já esperávamos, desde a compra pelo Facebook, que as duas empresas unificassem as informações de todos os seus usuários. Algo que simplificaria a vida dos administradores de ambos os sites e ajudaria em outras coisas. Segundo o post no blog do Instagram, a união de dados vai ajudar a empresa a combater SPAM.

O aviso publicado: hora de pular fora.

O texto diz que a política de privacidade nova vai “ajudar o Instagram a funcionar mais como parte do Facebook [...] isso significa que podemos fazer coisas como detectar problemas de disponibilidade mais rapidamente”. Além disso, um ponto destacado tanto nos novos termos de serviço quanto na política de privacidade é a melhoria da luta contra o SPAM.

Como exatamente essa integração será feita e quais são os benefícios, além da luta contra SPAM, não sabemos. E nem o Facebook ou Instagram fizeram questão de detalhar muito.

As fotos são suas, mas o Facebook pode fazer dinheiro com elas

Essa é a grande polêmica envolvendo os termos de serviço: a possibilidade de venda de fotos. Você ainda é dono das imagens que publica no seu perfil do Instagram, mas com a mudança dos termos de serviço, o Facebook pode pegar qualquer imagem que seus usuários disponibilizam e comercializá-las sem ter que repassar um centavo do lucro para eles.

Quem levantou a questão foi Kurt Opsahl, um dos advogados da EFF, ou Fundação da Fronteira Eletrônica, importante órgão americano que luta a favor dos usuários na era digital. Ele diz que, sob os novos termos de serviço, uma empresa pode requisitar ao Facebook algumas fotos do Instagram tiradas nas proximidades dela, pagar por essas fotos, usá-las em propagandas e não repassar nada para quem as capturou.

Esses termos, segundo Opsahl, entram em conflito até com leis americanas de direitos privacidade pessoal – que impedem, por exemplo, que imagens de crianças de até 13 anos de sejam usadas em propaganda e anúncios sem autorização dos pais.

Mudar para o modo privado não adianta muito

Existem dois tipos de perfis no Instagram: o público e o privado. O segundo tipo é o único em que suas fotos ficam escondidas para o público. Em teoria, mudando para esse tipo de perfil, o Facebook não poderia fazer nada com suas fotos, certos? Nem tanto.

A nova política de privacidade diz que, se por ventura o Facebook tornar as fotos privadas públicas, ele não poderá ser processado. A política diz exatamente que “nós não seremos responsabilizados por nenhum uso ou divulgação de conteúdo que o usuário disponibilizar”. Isso não quer dizer que o Instagram ou o Facebook vão necessariamente tornar as fotos públicas, mas diz que se isso acontecer, ninguém poderá processá-los.

Não gostou? Exclua sua conta e leve suas fotos com você

Os novos termos de serviço entram em efeito a partir do dia 16 de janeiro. Até lá, quem não concordar com os novos documentos deve parar de usar o Instagram por completo – ou seja, excluir sua conta. E isso é bem fácil: basta ir nesse link, escolher o motivo pelo qual sua conta está sendo excluída e requisitar a exclusão.

Mas quem tem um arquivo de fotos grande pode querer mantê-lo longe das garras do Facebook. Nesse caso, sites como o Instaport.me e Copygram que geram um arquivo de todas as imagens de um usuário e disponibiliza para download. Há também o Free Instagram Downloader, programa para Windows que baixa todas as fotos de um perfil público.

Se você não quiser ter o trabalho de baixar todas as fotos para enviá-las para um servidor de novo depois, existe também um site chamado OpenPhoto. Trata-se de um aplicativo que permite que você importe todas as fotos do Instagram direto para uma conta do Dropbox, Box.com, Dreamhost ou Amazon S3.

Para onde levar suas fotos?

Pessoalmente, recomendo o Flickr. Uma atualização recente no aplicativo para iOS e Android trouxe o suporte a filtros de imagens parecidos com o que o Instagram usa. E a quantidade de usuários lá é tão grande que é possível que seus amigos do Instagram já tenham passado pelo Flickr antes. Ou, se quiserem, podem criar uma conta facilmente usando o Facebook ou Google. Mas a melhor vantagem é poder subir todas as fotos baixadas do Instagram de uma só vez, assim seu arquivo permanece intacto – exceto pelas curtidas e comentários.

Mas existem diversos outros serviços tão (ou até mesmo mais) hipsters quanto o Instagram. Como por exemplo Hipster, Hipstamatic, Molo.me e Pixlr-o-matic, todos com pelo menos aplicativos para a plataforma Android. Nem todos os serviços permitem a importação de várias fotos baixadas como o Flickr, o que é uma pena.


Com informações: CNET, BBC News.

  • Lucas Herrera

    A porta da rua é serventia da casa.

    • http://www.feliperaimo.com.br feliperaimo

      Né… isso mesmo…

  • Djavan Laurentys

    Esqueceram de mencionar o MOLOME ( http://www.molo.me). É um ótimo aplicativo e o site é muito mais interativo. Eu pelo menos gosto.

    • http://behbastos.blogspot.com/ Cibele Bastos

      né? eu uso o molome tb por causa do meu N8.

  • João Neto

    Continuarei usando meu adorável Instagram. Não importo com a venda. Espero esta integração com o Facebook e a luta contra o SPAM.

    • http://twitter.com/MasterWebInter YanGM

      Ovelha.

  • Guilherme Jales

    Se o Instagram/Facebook mantiver sua posição, excluo minha conta. Consigo até entender vender minhas opiniões, gostos, pra me mandarem sugestões de propaganda. Mas estar sujeito a ter meu conteúdo, que eu produzi, vendido? Não mesmo.

  • othon

    É um tiro no próprio pé. Enquanto para o usuário comum isso aí tanto faz (até parece que alguém vai pagar pra usar foto do prato de comida de alguém), para profissionais, não somente de fotografia como de qualquer outra área, que utilizam da rede para expor o trabalho ou para ter um contato maior com o público, vão preferir outras opções. Não é o desejo de ninguém ter gente usando do seu trabalho sem a devida compensação.

  • Fernando Toledo

    Esqueceram de mencionar tbm o Pixrl Express, campeão em edição de fotos e muito mais filtros que qualquer outro.

  • daviddiniz

    Deletei meu Instagram. Não concordo com os termos.

  • http://bit.ly/marcosjahn Marcos Jahn

    Se a pessoa quer lucrar com uma foto, mas a posta no Instagram (ou qualquer outra rede social), merece um troféu joinha.

    Minha opinião: tempestade em um copo d’água esse assunto.

    • http://twitter.com/MasterWebInter YanGM

      Não existe lucro com uma foto. É como você postar um sample no Youtube e o Google vender essa sample para o Latino e você não ganhar um centavo por isso.
      Você pode ter postado algum trabalho para mostrar para os seus amigos e o Facebook vai e passa a mão, não importa o quão privado seja a foto, nos termos o Facebook se dá permissões para fazer isso.

  • Mikael Ouriques

    Pense vc, postando uma foto sua no instagram, por qualquer motivo. Amanhã, ela está estampando uma embalagem de cereal na Argélia. Ou, pior, a caixa de um brinquedo sexual qualquer. Instagram? No thanks.

  • Yago G. Oliveira

    Sem falar que o Flickr faz uma mágica e deixa a fotos bonitas.
    As vezes só visito o instagram, mas não gosto.

  • Fábio de Jesus

    Estou pensando no que fazer ainda, tenho uma conta no Flickr, posso pensar em voltar a usar, o problema é que nem todo mundo sabe disso ou então não se importa

  • Leandro Marques

    Não sou profissional, não tenho interesse em lucrar com minhas fotos do Instagram, então pra mim tanto faz como tanto fez.

    • http://twitter.com/MasterWebInter YanGM

      Ai o Facebook vai e lucra milhões com um trabalho seu e você não ganha nada. Legal, né?

    • http://melhoresimoveis.net Rodrigo Fante

      Tira foto sua, de seus amigos, filhos e depois não reclame ao ver estampando algum produto que não te interesse ou que ache vexatório.

  • Rodrigo Rodrigues

    Pessoalmente eu prefiro o GPhotos (ex Picasa) ao Flickr

  • http://www.persecutio.com.br Raphael Rios Chaia

    Eu estou lendo e relendo os termos de uso do Instagram e não estou vendo isso em lugar nenhum…. Pelo contrário, estou lendo isso, na seção “Proprietary Rights in Content on Instagram”:

    “1. Instagram does NOT claim ANY ownership rights in the text, files, images, photos, videos, sounds musical works, works of authorships, applications, or any other materials (collectively “Content”) that you post on or through the Instagram services.

    By displaying or publishing (“posting”) any Content on or through the Instagram Services, you hereby grant to Instagram a NON-EXCLUSIVE, fully paid, royalty-free, worldwide, limited license to USE, MODIFY, DELETE FROM, ADD TO, PUBLICLY PERFORM, PUBLICLY DISPLAY, TRANSLATE and REPRODUCE such content, including, without limitation, distributing part or all of the site in any media channels, EXCEPT CONTENT NOT SHARED PUBLICLY (“private”) will not be distributed outside the Instagram Services”.

    O que eu entendi é que eles têm uma clausula para prevenir ações contra ele, caso uma foto postada publicamente no Instagram apareça em alguma peça de divulgação do site, ou ainda caso um terceiro pegue essa foto e faça uso dela. É muito mais uma clausula de defesa do que uma clausula abusiva de exploração de paterial protegido por direitos autorais.

    Segundo ponto importante: os acordos TRIPs nunca permitiriam esse tipo de comercialização de material alheio sem que houvese um novo aceite dos termos de uso; esse tipo de cláusula ão pode ser simplesmente colocada no contrato e engolida goela abaixo pelos usuários. Qualquer mudança nesse sentido,SEM EXCEÇÃO, deve ser novamente submetida a aceite do usuário, reforço.

    Acredito que isso seja um pouco de paranóia, sendo bem sincero… De qualquer forma, tenho Flickr há anos, e já que vou migrar pro Lumia 920, o Instagram nem vai fazer falta :)

    • Marcos Benites

      Raphael, acredito que você esteja se referindo ao que está em vigor, os novos termos são diferentes, veja aqui neste link: http://instagram.com/about/legal/terms/updated/ leia o que diz o item 2 em “rights”

      “Some or all of the Service may be supported by advertising revenue. To help us deliver interesting paid or sponsored content or promotions, you agree that a business or other entity may pay us to display your username, likeness, photos (along with any associated metadata), and/or actions you take, in connection with paid or sponsored content or promotions, without any compensation to you. If you are under the age of eighteen (18), or under any other applicable age of majority, you represent that at least one of your parents or legal guardians has also agreed to this provision (and the use of your name, likeness, username, and/or photos (along with any associated metadata)) on your behalf.”

      Leia o que diz: … que uma empresa ou outra entidade poderá nos pagar para mostrar seu nome de usuário, curtida, fotos (junto com qualquer metadata associado), e/ou ações que você tenha tomado … sem qualquer remuneração para você.

      • http://www.persecutio.com.br Raphael Rios Chaia

        Ainda assim, a chave está em “[...] in connection with paid or sponsored content or promotions [...]“, ou seja, só se suas postagens estiverem ligadas a promoções ou conteudo patrocinado. Isso me parece mais uma clausula de defesa para divulgação de material premiado em promoções do que “olha vamos vender suas fotos do almoço de ontem em baixíssima resolução para ganhar uns trocados”.

        Sério, QUEM vai comprar fotos em baixíssima resolução?

  • http://about.me/lucas13lab Lucas Blassioli

    Vi muitos usuários falando “não deixo venderem minhas fotos nem a pau” mas lembrando que só estão no facebook, gmail, twitter e quase todos os outros serviços sem nem lerem os termos de uso, por mim continuo no instagram e sei que muitas empresas vão tentar entrar em contato com o usuário para conseguir o direito das fotos pois não parece que o Facebook vai vender essas fotos por um preço baixo.

  • viniciusghietti

    Adeua Instagram ola snapseed e tbm os novos filtros do twitter :D

    • Douglas Chagas

      O Snapseed tem uma comunidade como o do Instagram, ou só posta as fotos em rede sociais como o Google+?

  • severosales

    Não concordei com os novos termos. Conta encerrada também. Simples assim.

  • Douglas Chagas

    A maioria das pessoas que sigo no Instagram estão debandando do mesmo, também sigo alguns artistas e pessoas públicas, e me parece que eles são os mais preocupados com essa novidade nos termos… eu já irei excluir minha conta, até reativei o meu Flickr agora, mas é um problema eles só ter aplicativo para iOS =\

    • Douglas Chagas

      Ledo engano meu, existe aplicativo do Flickr também no Android =)

  • http://pensamentolateral.com/ Raph4

    Eu ficaria realmente preocupado se retirassem os créditos das fotos, como ninguém são faria algo assim, isso é realmente um problema?
    Primeiro, parem de se achar “my precious pictures”, provavelmente ninguém pagaria um centavo pela maioria dos pratos de comida, cafés e bonequinhos da sua estante que você posta. Então se o Instagram conseguir vender estas fotos, você realmente ficaria pau da vida? Não digo todas, mas no caso de algumas, eu certamente ficaria feliz. E pensando on the other side, se venderem muitas fotos suas, você se tornará conhecido por este trabalho. E se você é um fotógrafo profissional, provavelmente já mantém seu portfólio no flickr e sites ainda mais especializados. O Insta seria apenas uma vitrine, isso também não seria de todo mal.
    Outra, eles nunca cobraram pela banda do serviço, pelo hosting das fotos, pela disponibilidade quase ininterrupta. E a existência de ads do próprio serviço, se não nula, é muito pequena.

    E preciso discordar sobre o aviso ser “bem discreto”. Nem de longe, afinal ocupa um bom espaço na aba de updates.

    Não entendo essas sugestões de mudança de serviço, como se os efeitinhos hipster fossem o que realmente atraem e mantém as pessoas lá. Pô, é a rede social que importa, o fato de todo mundo estar lá!
    O Flickr foi assim, a rede badalada quando lançou, dentro de certos nichos, claro, mas hoje é muito mais para fotógrafos e afins, muito menos gente usa. O mais impactante, menos gente “normal” usa, sua vizinha, sua tia e seu irmão, provavelmente tem Instagram, mas não devem ter flickr.

  • Gabriela Malta

    Não concordei com os novos termos também. Adeus instagram! =)

  • http://twitter.com/MasterWebInter YanGM

    Facebook parece aquela velha fuxiqueira que toda rua tem.

  • Diego Macan

    Quanto a filtros eu já usava o PixIr-o-matic a muito tempo…o Instagram era apenas a página onde eu as compartilhava…
    Olá Flickr, e adeus Instagram.

  • Alberson Melo

    App free nunca é free, você paga de alguma forma. Capitalismo, domina o mundo em que você vive, e que te possibilitou a compra e/ou o uso do equipamento que você usou pra comentar com fúria.

    • Diego Macan

      O que na minha opinião, não deve impedir que não gostemos das mudanças que são feitas no meio do caminho :-)

  • viniciusghietti

    Pessima escolha, muitas pessoas (inclusive eu) ja e/ou vao desativar suas contas. Nada inteligente isso ja que o Twitter lancou os novos filtros. Alem dos tweets irem para o Face. Ainda com o rival o Snapseed do Google para o Google +

  • http://incommunseries.com/ Douglas Costa

    Não entendo….

    Mostram o rabo e outras coisas e agora não querem que peguem suas fotos, é isso?

    Então apaga logo a conta e para de dar piti, ou enfia o rabo no meio da pernas e sossega o facho

    • Fabio

      Típico comentário de quem gosta de ver um rabo.

    • Douglas Chagas

      Mas não é justamente o que todos que discordam dos termos estão fazendo, excluindo as contas? A crítica é uma forma de ir contra a novidade e quem sabe tentar mudar isso, não é apenas piti.

  • Marcos Martins Santos

    Já exclui minha conta do Instagram. Mas ficou uma dúvida: o Facebook pode vender as fotos que tenho na minha conta do Facebook?

  • Ygor dos Santos Luz

    Nunca tive Instagram, por isso, “tou sossegado”. Mais para quem tem ou tinha vai aí uma dica:
    br.financas.yahoo.com/noticias/veja-10-apps-para-substituir-o-instagram-190600726.html?page=1

  • Willian Nobuo

    ta facil falir essa bagaça! é soh todo mundo fechar a conta do instagram e pronto. voltarão atras rapidinho.

  • Juliano Passos

    Isso é bom hein, pro Facebook.. é óbvio que UMA foto não terá tanto valor, pq a qualidade das imagens é baixa, mas venda em lote é muito interessante.

    Pro usuário, não é bom, é apropriação de direitos, é como se pegassem aquelas fotos suas que vc guarda com tanto carinho, reveladas de filme e alguém escaneá-las e amanha aparece num outdoor com tantas outras…

    #fail hein Facebook.

  • Tiago Pesce

    Se eu quisesse ter fotos vendidas cadastraria elas no GettImages ou Shutterstock e venderia as fotos. O fato de não ser opcional é uma posição unilateral dos termos do Instagram, característica do tempo da web 1.0 …

    Hoje em dia prezamos pela liberdade de escolha dos usuários e os novos termos do Insta são uma dissonante nesse preceito.

  • http://www.feliperaimo.com.br feliperaimo

    O Facebook já vem se “embananando” com a política de privacidade e uso deles, já era de se esperar que o nosso amigo Instagram entrasse no bolo, normal ué, é assim mesmo… continuemos a usar, normal… tudo vai ser assim :)

  • brunosorocaba

    Parabéns aos inteligentes que percebem a tendência negativa e vão atrás de novos serviços. E àqueles que deixam se levar pela preguiça e pelo modismo, estarão concordando com os termos invasivos e de pouco respeito à privacidade!
    Se o Facebook começar a apelar assm, DELETO sem pensar. Preciso de facebook? Não! Quem precisa? Ninguém… É um recurso tecnológico muitas vezes usado pelo “modismo”.. (todo mundo têm, pq eu não?…). Basta outro serviço mais interessante aparecer que ele poderá afundar (lembra do quase-falecido Orkut?)…

Tecnocast

|

Faça seu login no Tecnoblog

Crie a sua conta

Esqueci minha senha