thumb-windows-phone-8

A Microsoft liberou recentemente um SDK do Windows Phone 8 para que desenvolvedores produzissem aplicativos para a plataforma. Esse SDK foi liberado apenas para um número restrito de pessoas, já que muitos recursos ainda não haviam sido anunciados oficialmente. Mas é claro que alguém com acesso ao kit de desenvolvimento tratou de espalhar as novidades do sistema.

Leia mais

thumb-kinect-sub-sdk

O Kinect tem um potencial incrível para novas aplicações, porém ainda inexplorado com a autorização da Microsoft, a responsável pelo produto. Nessa quinta-feira, a empresa flexibilizou um pouco as coisas ao liberar o SDK do Kinect para Windows 7. A partir de agora, qualquer pessoa com um computador rodando Windows 7 poderá testar os recursos do gadget e criar novas formas de interagir com aplicativos. Leia mais

Pelo visto, a Microsoft não quer que seu hypado Kinect faça carreira apenas embarcado nos consoles Xbox 360. A gigante dos softwares anunciou nesta segunda-feira que irá disponibilizar um kit de desenvolvimento de software (que em inglês carrega a sigla SDK) de seu sistema de reconhecimento de movimentos para o Windows. Leia mais

A Qualcomm anunciou nessa semana uma ferramenta específica para quem deseja criar aplicações interativas – e preferencialmente interessantes – para o Google Android. Trata-se de um Software Development Kit (SDK) específico para tirar proveito da realidade aumentada. Curioso que isso seja lançado pela Qualcomm, e não pelo Google, não é?

Leia mais

ares_full-thumb.png

Project Ares: desenvolvimento de apps para webOS direto do browser (clique para ampliar)

A Palm anunciou nessa quinta-feira (18) o Project Ares, uma nova plataforma de desenvolvimento para seu novo sistema operacional móvel, o webOS. O que tem de novo nisso? O Project Ares é o primeiro ambiente de desenvolvimento inteiramente executado dentro de um navegador. Ele roda diretamente no Safari, Chrome ou Firefox e inclui funcionalidades como:

  • Contrutor de interface e upload de arquivos via drag-and-drop;
  • Editor de código, debugger visual e visualizador de log;
  • Acesso completo às bibliotecas de desenvolvimento do webOS;
  • Permite rodar os apps direto no emulador ou no dispositivo (mediante instalação do SDK).

O Ares já está disponível como um beta público, e qualquer desenvolvedor interessado pode se inscrever no próprio site do projeto.

Acontecerá no próximo sábado a última de uma série de três edições do iPhoneDevBr, um evento que visa reunir desenvolvedores brasileiros da plataforma iPhone OS. Eu estive na segunda edição e posso afirmar que, para os interessados nessa plataforma de desenvolvimento, o comparecimento é bastante recomendado, tanto pelas palestras como pela possibilidade de interagir com diversos outros desenvolvedores de iPhone OS e poder discutir assuntos pertinentes a esse mercado.

O evento acontecerá no dia 7 de novembro, das 12h30 às 18h30, no Museu da Imagem e Som, em São Paulo. Como nos demais eventos, a entrada é franca.

Os participantes assistirão algumas palestras de enfoque técnico e outras de enfoque comercial/estratégico. Segue a programação:

Palestrante Tema Horário
Gustavo Ambrozio Biblioteca Three20 utilizado na aplicação do Facebook 12h30
— Intervalo — — Intervalo — 13h30
Adriano Santageli (Maya) Otimização, dicas de implementação, como resolver problemas 14h30
Tiago Moraes Jogos em geral 15h30
Ney + Leonardo Jogos avançados utilizando a biblioteca cocos 2d 16h30
Márcio Nunes Valor dos apps 17h30

Os interessados devem fazer a inscrição no site do evento, onde também podem ser encontradas maiores informações, como o endereço completo do local. Confira no post completo o e-flyer:

Leia mais

Depois de vazarem as imagens da nova versão do sistema operacional para dispositivos móveis do Google, agora foi a vez de um “vazamento” oficial de informações. O Google anunciou o SDK (Kit de Desenvolvimento de Software) para o Android versão 2.0, codinome Eclair, e junto com ele algumas novas funcionalidades foram descobertas. A principal notícia? Sim! Agora proprietários de aparelhos rodando Android poderão fazer uso de interface multitoque (o famoso multitouch celebrizado pelo iPhone). Seguem os principais destaques do Android 2.0:

  • Interface multitoque!
  • Sincronização para múltiplas contas de e-mail, incluindo contas de Exchange e contatos. Mas está lá nas letras miúdas: “os fabricantes dos aparelhos poderão escolher se incluirão ou não suporte a Exchange em seus dispositivos”…
  • Uma caixa de entrada de e-mails combinando todas as contas.
  • Desenvolvedores podem criar adaptadores de sincronização para fontes adicionais de dados.
  • Capacidade de enviar e-mail, SMS ou fazer uma chamada para um contato tocando sua foto. Chamado de Quick Contact, esse widget pode residir em múltiplos aplicativos, como os de e-mail, mensagens e agenda. (Ver vídeo abaixo para demonstração)
  • Melhoria nos controles de câmera, com zoom digital, modo de cena, controle de balanço de brancos, efeitos de cor e macro.
  • Um layout remodelado do teclado virtual, proporcionando digitação mais rápida e precisa. Nas palavras do Google, “o suporte a multitoque assegura que teclas pressionadas não sejam perdidas quando se digita rapidamente com dois dedos”.
  • Um dicionário mais inteligente, que aprende à medida que o aparelho é usado e automaticamente sugere nomes de contatos.
  • Bluetooh 2.1 com OPP (Object Push Profile) e PBAP (Phone Book Access Profile).
  • Busca por todos as mensagens SMS e MMS, bem como auto-deleção das mensagens mais antigas em uma conversa quando um limite pré-definido é atingido.
  • Interface remodelada com melhorias nas buscas e navegação, bem como favoritos com thumbnails , suporte a HTML5 e zoom com duplo-toque (assim como o iPhone).

Veja abaixo imagens de algumas telas do novo Android e um vídeo (em inglês) feito pela equipe de desenvolvimento apresentado a versão 2.0.

Esse post foi atualizado após a realização do evento, com relatos do mesmo.

iPhoneDevBr 2_230pxNesse sábado, dia 24 de outubro, das 12h às 18h, ocorrerá em São Paulo a segunda edição do iPhoneDevBr, um evento que visa reunir desenvolvedores brasileiros da plataforma iPhone OS.

A palestras do evento seguirão a programação a seguir:

Palestrante Tema Horário
Alan Silva Introdução ao desenvolvimento para iPhones/iPods touch 13 horas
— Intervalo — — Intervalo — 14 horas
Ivan Salina Fernandes Publicidade em aplicativos 15 horas
Rafael Fischmann Melhores práticas para promoção de apps 16 horas
Ricardo Augusto Map Kit 17 horas
Mads Rasmussen In App Purchases 18 horas

A página oficial do evento contém o endereço do evento, bem como o formulário de inscrição. O iPhoneDevBr é fruto de uma parceria entre o Museu da Imagem e do Som (MIS), a MobileYou e a CreativeApps, com apoio da Simple Brasil. Este será o segundo dos 3 encontros de desenvolvedores de aplicações para iPhone planejados para acontecerem no auditório do LabMIS, o primeiro foi no dia 19 de setembro e o próximo será no dia 07 de novembro. E se tudo correr bem, este que vos escreve estará lá sábado. :D

[Atualizado no dia 26/10] Tudo correu bem e estive no MIS no último sábado participando do evento, que foi muito bem sucedido. As palestras flutuavam entre aspectos técnicos, aspectos mais ligados à área de gestão de seu app como um produto (publicidade, por exemplo) e discussões sobre o processo de se desenvolver uma aplicativo para iPhone OS e colocá-lo à venda na App Store (incluindo a já notória burocracia da mesma). Mais do que um ciclo de palestras, o iPhoneDevBr acabou sendo um espaço para reunir os desenvolvedores brasileiros da plataforma, promovendo a troca de experiências e a discussão dos mais diversos aspectos, tanto técnicos como mercadológicos.

iPhoneDevBr

Auditório do MIS durante a realização do iPhoneDevBr

Terminadas as palestras, iniciou-se uma discussão a respeito da fundação de uma associação brasileira de desenvolvedores para iPhone OS, algo que seria muito benéfico tanto para os desenvolvedores como para o próprio mercado de aplicativos destinados a iPhone/iPod Touch no Brasil. A pauta foi agendada para ser retomada na próxima edição do iPhoneDevBr, que ocorrerá no dia 7 de novembro. Interessados devem se manter atentos ao site oficial para maiores informações e inscrições.

Parece que vem novidade por aí na Palm. De acordo com o site Electronista, a Palm está procurando um engenheiro de software para trabalhar em uma plataforma de games para seu sistema operacional webOS.

De acordo com o site Mary-Margaret, que publicou a vaga de emprego na empresa, a Palm está procurando por desenvolvedores “apaixonados” por games e dispositivos móveis (o que é até meio óbvio) para ajudar a colocá-la no mundo dos jogos. Eles devem ser familiarizados com as técnicas mais modernas de computação gráfica, como pixel shader, e irão trabalhar diretamente no webOS que até o lançamento de seu SDK ocorrido a pouco tempo, possuía grande limitação de acesso direto ao hardware o que impossibilitava grandes aplicações.

A falta de jogos no Palm Pre, por parte da incapacidade do webOS nesse quesito, é dada como um dos motivos das modestas vendas do aparelho principalmente se comparado ao iPhone, que possui uma enorme quantidade de títulos, oficiais e outros nem tanto, em seu catalogo da App Store. [Electronista]

Android

Apesar dos princípios basicos que fazem do Android a plataforma que é, o desenvolvimento de aplicativos baseados em Java em cima de uma maquina virtual (VM) especializada e totalmente otimizada nem sempre atende as necessidades dos desenvolvedores.

Pensando nisso, o Google liberou um Kit de Desenvolvimento Nativo (NDK, da sigla em inglês) para o Android 1.5 que permite aos desenvolvedores criarem suas próprias bibliotecas em C e C++ rodando diretamente na plataforma e sem a necessidade de utilizar o Dalvik, a Máquina Virtual Otimizada utilizada no sistema. A equipe do Android, entretanto, deixa claro que com grandes poderes vêm grandes responsabilidades, e que os desenvolvedores devem tomar cuidado redobrado ao utilizarem código nativo, “sua aplicação será mais complicada, terá compatibilidade reduzida, não terá acesso às APIs do framework, e será mais dificil de se fazer a depuração” disse a equipe.

A grande vantagem do uso de programação nativa é o ganho de performance e um acesso mais profundo ao hardware do aparelho, deixando como limitação somente a experiência dos desenvolvedores. Com a nova possibilidade, facilita o desenvolvimento de softwares conhecidos em outras plataformas para o sistema do Google, o tornando ainda mais competitivo perante seus concorrentes. [ Engadget ]