Início » Celular » Project Ara: Motorola quer criar smartphones modulares, com hardware personalizável

Project Ara: Motorola quer criar smartphones modulares, com hardware personalizável

Paulo Higa Por

Os rumores do Moto X com hardware personalizável não se confirmaram, mas a ideia de um smartphone modular talvez possa ser colocada em prática num futuro não muito distante. E pela própria Motorola. A fabricante de celulares do Google afirma que está trabalhando há mais de um ano no Project Ara, que consiste em criar smartphones modulares, montados e atualizados pelo próprio usuário.

motorola-ara-1

Com o Project Ara, a Motorola quer "fazer pelo hardware o que a plataforma Android fez pelo software". A ideia é criar um ecossistema de componentes de hardware: uma empresa pode fornecer o processador, outra pode produzir o módulo da câmera e uma terceira pode fazer a tela, por exemplo. Esses componentes seriam entregues aos usuários, que montaria um smartphone de acordo com a sua necessidade.

Dessa forma, o usuário poderia criar seu próprio aparelho, em vez de deixar as escolhas nas mãos das fabricantes. Usa muito o smartphone? Coloque uma bateria maior. Não faz questão de câmera? Deixe-a de lado e aproveite o dinheiro economizado para colocar um processador mais potente. Ainda não se dá bem com teclados virtuais? Ok, encaixe uma tela menor e coloque um teclado físico no espaço que sobrar.

motorola-ara-2

Segundo a Motorola, o Project Ara estimularia a inovação. Isso porque as empresas podem, em vez de gastar tempo no desenvolvimento de um smartphone, fabricar os componentes e deixar a criação para o usuário. Um aparelho modular permitiria a montagem de dispositivos com funções mais específicas, que provavelmente nunca chegariam às lojas. No blog oficial, a Motorola cita como exemplo um módulo para o smartphone que mediria a quantidade de oxigênio no sangue do usuário.

O Project Ara consiste em uma moldura estrutural, chamada endoesqueleto, que mantém os módulos no lugar. Esses módulos podem ser uma nova tela, uma bateria, um processador ou algo que ainda não foi inventado. A ideia é muito parecida com o interessante Phonebloks. E olha só: a Motorola afirma que o criador do Phonebloks, Dave Hakkens, foi chamado para trabalhar no projeto.

Ainda não sabemos se o Project Ara será smartphone vendido no futuro. A ideia é bacana, mas tornar os componentes modulares pode ser uma grande barreira. Hoje, as fabricantes reúnem processador, GPU e RAM em um único chip para deixar o aparelho fino e leve, por exemplo. Deixar esses componentes separados e atualizáveis poderia tornar os aparelhos mais caros ou trambolhões. Não é por acaso que os desktops, que permitem atualizar praticamente tudo, são muito maiores que os ultrabooks, que praticamente não suportam upgrades.

Enquanto torcemos pelo sucesso do Project Ara, a Motorola diz que vai fazer pesquisas nos próximos 6 a 12 meses para definir os pontos principais de um smartphone modular. Nesta página, você pode se cadastrar para ajudar no desenvolvimento do projeto; caso ele se torne um sucesso, os membros mais ativos receberão um modelo gratuitamente.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Eduardo Mattos

Talvez devessem trabalhar algo no estilo drivers de PC, você trocaria um bloco do smartphone e teria que somente instalar o driver dele pra funcionar.

eduardomattos
Talvez devessem trabalhar algo no estilo drivers de PC, você trocaria um bloco do smartphone e teria que somente instalar o driver dele pra funcionar.
Ricarte Barros
Torcendo muito para que isso dê certo. Salivando aqui com as possibilidades de combinações dos módulos.
Marcos Ordonha
Preocupante para as empresas que vivem de venderem suas plataformas através da imagem exclusiva de seus produtos. Além de lembrar em muito propostas encenadas pela plataforma Arduíno... Obviamente essa customização de performances é ótima para os usuários. :p
Angelo Barbosa
isso se chama CAPITALISMO ...
Emanuel Sousa
Curti muito a ideia quando descobri sobre o Phoneblocks. É animador ver que uma empresa de grande porte comprou a ideia, dando chances de efetivamente virar um produto (ou será que não?) Uma coisa que a notícia não aborda mas que também é positiva, é que um smartphone modular tem potencial para, de certa forma, ser um produto mais "sustentável". É ridículo como trocar de celular anualmente virou padrão de consumo. Eu tenho um Galaxy S1 há quase dois anos e meio e espero chegar a três anos, talvez mais. O problema é que a RAM dele é minúscula, causa muitos travamentos. Seria muito bom simplesmente atualizar o módulo de memória. Não acho que eu precise de um celular novo por inteiro no momento, e certamente não quero pagar por um. Ninguém precisa realmente de um celular novo a cada ano, mas o marketing criou essa falsa necessidade e deu muito certo. Aí, em função disso, eu temo que o project Ara não consiga popularizar. Mas quem sabe não acontece e esse seja meu próximo celular? :)
Hugo Fabiano Alves Ferreira
a idéia é muito boa! mas os "blocos" não podem ser tão caros...
Lucas Gouveia
Isso parece incrivel, imagina so empresas como Samsung Mobile, LG Mobile, Motorola, Sony Mobile entre outras... fabricando blocos com as tecnologias que melhor oferecem , seria bom pras empresas que venderiam mais e bom pra gente que ia poder ter nossos aparelhos com o que gostamos... apesar de que eu acho que um ponto negativo seria a fragmentação de dispositivos, na hora de atualizar o software nao seria tarefa facil , mais e um bom projeto , que venha #ProjectAra ;D
trovalds
"Trambolhões" eles já estão se tornando... telas de 5" pelo menos pra mim não são exatamente pequenas. Mas desde sempre torço por algo próximo a isso, pelo menos o aparelho sem SO e que o usuário pudesse instalar o que quiser. MAS se a criação vai ser hardware personalizável, serve também!
Uriel Dos Santos Souza
Vou comprar!
Vitor Felipe
Nesse último parágrafo também deixo minha opinião ( vão virar trambolhos) ...a princípio não sei se será uma boa ideia...=/
Matheus Falcão
Não vejo problemas num projeto desse tipo. Basta querer e, pelo que parece, a Motorola e principalmente a Google quer. A questão da GPU, CPU e RAM poderia ser um módulo só com várias especificações. A fim de comparação, uma placa de vídeo que conta com RAMs diferentes, processamento e especificações, que apesar de ser apenas 1 produto físico, há diversas especificações. Agora vejo evolução na área, porque não há motivo pra trocar de smartphone. O N4 me serve muito bem e não vejo porque trocar pro N5. Mas, que venha o Ara <3
Elton Silva
Pontos positivos para a Motorola.
Hugo M. Garcia
Show! Muito legal mesmo... (piadinha: agora quando meu celular cair no chão, não vai se partir em 3, e sim e 10 ou 12 partes...)