Início » Legislação » O novo plano mirabolante de Hollywood contra a pirataria é uma espécie de alfândega da internet

O novo plano mirabolante de Hollywood contra a pirataria é uma espécie de alfândega da internet

Paulo Higa Por

you-are-a-pirate

A Motion Picture Association of America (MPAA), associação que defende os interesses dos estúdios de Hollywood, frequentemente está envolvida em ações para combater a pirataria. Mas o novo plano da entidade é bem diferente do que estamos acostumados (e também é bizarro): a ideia é criar uma fronteira para controlar a entrada de dados nos Estados Unidos. Como uma alfândega, só que para a internet.

Mas isso é possível? Legalmente, parece que sim. A Comissão Internacional de Comércio (ITC) dos Estados Unidos, que tem como uma de suas atribuições o controle dos bens físicos que entram no país, assim como a nossa Receita Federal, recentemente ganhou a possibilidade de fiscalizar também a entrada de dados no território norte-americano.

A ITC ganhou esse poder depois que a empresa ClearCorrect começou a vender um aparelho dentário que, em vez de usar uma armação de metal para corrigir a posição dos dentes, é transparente e feito sob medida para cada dente. O processo de modelagem do aparelho dentário infringe patentes norte-americanas, então a ClearCorrect se aproveitou de uma brecha na lei: decidiu modelar (e apenas modelar) os produtos em um escritório no Paquistão.

Se os aparelhos dentários da ClearCorrect fossem fabricados no Paquistão e enviados para os Estados Unidos, eles seriam barrados na alfândega assim que chegassem ao território norte-americano. Mas o que a ClearCorrect faz é apenas enviar os modelos em 3D pela internet, que por fim são impressos nos Estados Unidos. Assim, a ITC não teria como barrar os produtos — até agora.

O aparelho dentário da ClearCorrect

O aparelho dentário da ClearCorrect

Portanto, a ideia da MPAA é usar a ITC para impedir também que arquivos pirateados cruzem a fronteira da internet dos Estados Unidos. O The Verge faz uma analogia fácil de entender: “se você enviasse um monte de DVDs piratas para os Estados Unidos, a ITC não teria nenhum problema em barrá-los na fronteira — então por que não um arquivo ISO?”

É difícil saber se o plano da MPAA vai sair do papel algum dia, mas isso traz várias implicações: grandes empresas, como Google, Facebook e Netflix, que têm servidores espalhados pelo mundo, teriam que repensar suas estruturas, aumentando os custos, o que também acabaria afetando os outros países que usam os serviços dessas companhias, como o Brasil. E, se as empresas correm risco de enfrentar problemas legais quando enviam dados pela fronteira dos Estados Unidos, provavelmente precisaremos de mudanças na infra-estrutura da internet.

Complicado.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Francisco Diniz
Toda semana a Sony com o PS3/PS4 faz uma votação pra que os clientes decidam qual filme (geralmente lançamento) vai ter o preço reduzido para R$ 2,50 (se não me engano) deveriam aprender com isso.
Tiago Celestino
Mais uma ideia tosca da MPAA
corvolino
Não vejo diferença..
antônio

Exatamente. As indústrias são dos EUA, elas não são "os EUA". Doh.
Não são os EUA, são empresas USA-based.

Antônio Cesar Moraes
Exatamente. As indústrias são dos EUA, elas não são "os EUA". Doh. Não são os EUA, são empresas USA-based. Feel the difference.
antônio

LOL, não me dei conta. Que horror.

Antônio Cesar Moraes
LOL, não me dei conta. Que horror.
Zanac_Compile
Se enquadrem na rua lei senão vamos piratear !! ? Cada vez vai ser mais inviável piratear jogos. São gigantes e cheio de crackes chinelagem.
Cristopher
Pior que não , é só você ver a China
Bender B. Rodriguez
Será que nenhum dos engravatados conhece algum executivo da Valve ? Será que nenhum dos filhos desses executivos tem o Steam instalado num PC ?
Lucio717
teremos bandas sim, varias já disponibilizam ou grátis ou no esquema "pague o quanto achar que deve", mas PRA MIM, na música não afeta em nada já que eu ouço principalmente eletronica e classica, como classica nao tem direitos autorais e no mundo da eletronica os produtores já tem a mente formada de que a internet é o caminho, sem problemas. Eu pago todos os jogos de pc que posso, quando não posso eu baixo e depois compro, steam me permite isso com preços JUSTOS. Se o preço é justo, eu pago com prazer, se não, baixo mesmo, compartilho mesmo e durmo tranquilo.
Walter Hugo Nishida Xavier da
O problema é que nos EUA as corporações ditam as regras, infelizmente. Financiamento de campanha lá é descarado.
Walter Hugo Nishida Xavier da
Nem tanto à terra, nem ao mar. Como o tema é complexo, vou me ater ao tema da notícia. O problema é a regulamentação excessiva, desperdiçando dinheiro alheio (e geralmente público) para sustentar uma máquina burocrática que progete o bolso de poucos (privados). Pirataria online é uma consequência, não uma causa. Sem contar a invasão de privacidade dessa medida.
Zanac_Compile
Se a pirataria imperar e ninguém mais comprar discos e musicas de bandas. Será que ainda teremos bandas e musicas boas no futuro ? É justo as bandas criarem e produzirem suas musicas e baixarmos a criação intelectual deles sem pagar? Isso não é roubo ? Pirataria é o futuro perfeito ? Abaixo pagar por filmes, musicas e jogos ? Só trouxas pagam ???
Porto Velho

Solução pra acabar com a pirataria?? Tentar levar o conteúdo pro maior número de países possíveis através do Netflix e do Hulu?? Que nada, vamos tentar privar os consumidores de acessar nosso conteúdo.

Exibir mais comentários